Blog do Geraldo José - Imprimir Matéria

As 12 crianças tailandesas e a angustiante solidão da humanidade

publicado em 11 de Julho / 2018 às 23:00 | Espaço do Leitor

O caso dos 12 meninos tailandeses presos em uma caverna com seu treinador de futebol, comoveu o mundo. Dos mais céticos, frios e indiferentes aos mais dramáticos e empáticos. O terrível drama vivido pelas crianças aprisionadas na caverna despertou o melhor de bilhões de pessoas em todo o mundo que, sem conhecê-las, torceram ou fizeram preces pelo resgate completo de todas elas.

A humanidade vem, aos poucos, se isolando e se tornando "cavernal". Pessoas optam pela frieza virtual, por não encontrarem meios de se conectarem emocionalmente, e de verdade, umas outras. Isso está produzindo uma geração de infelizes e solitários angustiados de alma os quais quando tentam se relacionar de verdade não o conseguem por completa falta de prática relacional.

Desenvolver uma forma de empatia com seu próximo é de fundamental importância para estabelecermos a capacidade de nos conectarmos emocional e espiritualmente uns com os outros. Digo isso porque alguns de nós nos escondemos nas cavernas existenciais da obscuridade racional e isso nos faz sentir e estar sozinhos, mesmo rodeado por outras pessoas.

Alguém precisa dar o primeiro passo rumo ao abismo profundo em que se encontra o outro. Isso sem pré-julgamentos, pré-conceitos ou ideias limitadoras. Amar é a mais sublime forma de se tocar o coração do outro. Só se importa de verdade pelo semelhante quem se dispõe a sofrer junto e buscar junto o equilíbrio do ser.

É tempo de adentrarmos as cavernas dos corações levando luz, paz e esperança, sob a motivação maior de um amor que se importa de verdade.

Há mais de 2000 anos um homem liderou 12 e mudou a História da humanidade. É hora de O imitarmos.

Pr. Teobaldo Pedro

© Copyright Blog Geraldo José. 2009 - 2018. Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do autor.