Blog do Geraldo José - Imprimir Matéria

Biólogo explica importância da arborização em Juazeiro e os métodos de poda nas árvores

publicado em 10 de Agosto / 2018 às 07:00 | Espaço do Leitor

O biólogo Alan dos Santos envia email a este Blog e alerta para importância das árvores e alerta para o tipo de poda empregado em Juazeiro.

Confiram:

A arborização no ambiente urbano tem papel fundamental no fornecimento de serviços ecossistêmicos, tais como sombreamento, redução da temperatura e aumento da umidade relativa do ar no microambiente. Todavia, apesar desses e inúmeros outros benefícios que aumentam a qualidade de vida da população, a arborização urbana no nosso país, de modo geral, é tratada com insensibilidade pelo poder público. Infelizmente, a nossa Juazeiro não foge à regra, o que pode ser observado através dos métodos empregados na poda das árvores e nas escolhas das espécies que são plantadas na cidade.

O tipo de poda empregado nas árvores de Juazeiro é uma das principais evidências da falta de assistência técnica qualificada à arborização urbana. As árvores em nossa cidade passam, na verdade, por um processo de “achatamento” ao invés da poda propriamente dita (Imagem 1). Isso impede o crescimento adequado, culminando em exemplares que produzem sombras reduzidas e não fornecem os serviços ambientais com a eficiência que são capazes.

Esse problema é decorrente de uma política pública ineficiente porque o município não conta com plano diretor de arborização urbana. Além disso, os órgãos responsáveis pela arborização na cidade não utilizam manuais de poda e arborização. Por outro lado, cidades como Curitiba-PR, Goiânia-GO, Chicago-USA, Sheboygan-USA, Toledo-PR e João Pessoa-PB, que tem uma atenção adequada relacionada à arborização urbana dispõe de tais documento.

Ademais, quando qualquer processo de plantio acontece na nossa cidade, mais uma vez, a assistência técnica qualificada inexiste. Isso porque é comum encontrar árvores em conflitos com a infraestrutura da cidade, como por exemplo, árvores muito próximas à iluminação pública, além daquelas que rompem calçadas.

Aqui, dois exemplos podem ser citados. Primeiro, recentemente foi realizado um plantio de árvores em uma praça do Bairro Centenário. Nesse caso, uma das árvores, a qual é comumente conhecida como paineira e pertencente ao gênero Ceiba, quando adulta pode ter um caule com diâmetro superior a 160 cm. Esse exemplar foi plantado a uma distância muito próxima de uma estrutura de cabeamento telefônico (Imagem 2). Assim é evidente que em alguns anos haverá problemas de conflitos decorrente da falta de conhecimento das características da espécie escolhida. Segundo, no canteiro central da avenida Flaviano Guimarães, os inúmeros exemplares de nim indiano, espécie exótica de nome científico Azadirachta indica, rompem e desnivelam as calçadas, pondo em risco a integridade dos pedestres (Imagem 3).

Indubitavelmente, a arborização urbana é um desafio para o poder público. Entretanto, esta não pode ser negligenciada. Juazeiro apresenta tanto espaços inadequados à arborização, a exemplo das calçadas que não chegam a 1 metro, quanto áreas mal utilizadas, como as praças, onde árvores frondosas que apresentam flores que encantam a população como os ipês, poderiam ser plantadas.

É importante mencionar, porém, que esse não é um problema ocasionado por grupo político A ou B, mas um problema de gestão pública que sempre esteve presente no município. Faz necessário, portanto, uma implementação urgente de política pública voltada à arborização urbana em Juazeiro, que atenda critérios técnico-científicos para que, assim, os juazeirenses possam desfrutar dos recursos que as árvores oferecem.

Alan dos Santos-Biólogo

© Copyright Blog Geraldo José. 2009 - 2018. Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do autor.