Blog do Geraldo José - Imprimir Matéria

Cariri cearense aposta nas casas e oficinas dos mestres da cultura como museus orgânicos

publicado em 17 de Agosto / 2019 às 19:00 | Variadas

Intersecção entre Juazeiro do Norte, Crato, Barbalha e alguns municípios limítrofes, a região do Cariri, desta feita, parece nação própria dentro da pátria cearense maior. Com forte identidade e dono de ricas manifestações, seja na gastronomia, nas artes ou no tecido geográfico, o local elege o diálogo com a tradição de maneira a alargar as possibilidades de contato e apreciação com nossas raízes. É símbolo concreto de integração e potência.

O convite está feito. Abra a porta, entre na sala, puxe uma cadeira e converse. Esta é a proposta dos Museus Orgânicos em atividade na região do Cariri cearense. Casas e oficinas de mestres da cultura transformam-se em lugares de convívio para um público maior, curioso, sedento pelas histórias daqueles que transmitem o saber popular por meio de diferentes expressões. 

Nada de muita modernidade. É olho no olho, ouvido atento e diálogo solto com figuras como Espedito Seleiro, Françuli, Antônio Luiz e outros mais. O projeto, desenvolvido pelo socioeducador Alemberg Quindins em parceria com o Sesc, pretende abrir 16 museus nesse formato na região.

Inclusive, no início deste mês, três equipamentos foram inaugurados, durante seminário internacional que iniciou campanha para tornar Chapada do Araripe Patrimônio da Humanidade. São eles: o Museu Casa do Mestre Nena, em Juazeiro do Norte; o Museu Casa do Mestre Raimundo Aniceto, no Crato e o Museu Casa Oficina de Dona Dinha, em Nova Olinda. 

Diario do Nordeste

© Copyright Blog Geraldo José. 2009 - 2019. Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do autor.