Blog do Geraldo José - Espaço do Leitor
Vale do São Francisco - 16 de Julho de 2019
|
Redação: (74) 3613-3479

Espaço do Leitor

publicado em 07 de Julho / 2019 às 14:00

Juazeiro está de luto

Juazeiro está de luto
Morreu seu filho mais louco e impoluto
Arregaça/João Doido
Major Zinho
Euvaldão/ Zé Maurício/Durin Durin/ Dedé Pereira de Oliveira eram loucos de brincadeira
Perto de João

Bebel Gilberto fez um papel feio
E arranjou um jeito
De impedir
João de se gerir

João não era morredor
Vai joão
Trinca os dentes
E desafina o coro dos contentes

Ler Matéria Completa
Poeta Demar Guerra
publicado em 07 de Julho / 2019 às 11:00

JOÃO GILBERTO

Estou triste. Por quê? Minha vã filosofia, para ser humilde e não tentar filosofar e nem fazer juízo de valor sobre alguém, baseado no que este alguém produziu, não permite que eu vá, além da saudade que já estou sentindo. Estou triste pela partida de João Gilberto, um juazeirense que fez do seu violão, um instrumento mundialmente respeitado, quando na década de 1960 se tornou porta voz do Brasil no exterior, tornando a MPB uma das músicas mais respeitadas internacionalmente.

Chega de saudade em 1959, posteriormente, desafinado, abriram caminho para um toque sofisticado de um violão que não permitia sons estridentes,  pois, os acordes de João Gilberto eram tão melodicamente preenchidos e bem colocados harmonicamente, que um sussurrar, um sopro se tornavam voz macia, suave aos ouvidos, diferente do que se ver hoje, muitas vezes, músicas que afetam os nossos tímpanos.

Para se ter uma ideia, ainda hoje na Europa e nos Estados Unidos, João Gilberto é o artista brasileiro mais celebrado. Se isso não bastasse, João, ao criar a Bossa Nova, influenciou cantores e compositores, a exemplo de Caetano, Gilberto Gil, Roberto Carlos, Gal Costa, Chico Buarque, Novos Baianos, Milton Nascimento, entre tantos, além de ter sofrido uma influência de Orlando Silva (um dos maiores cantores do Brasil de todos os tempos). Sem contar que, como contemporâneo de Tom Jobim e Vinicius de Moraes, João Gilberto interpretou grandes clássicos da música brasileira, a exemplo de Garota de Ipanema, Corcovado, Samba do Avião e Copacabana.

Ler Matéria Completa
Enviado pelo leitor Paulo José
publicado em 07 de Julho / 2019 às 09:00

ESPAÇO DO LEITOR: AVENIDA ADOLFO VIANA NO ESQUECIMENTO! PREFEITURA RESPONDE

a obra de requalificação da Avenida Adolfo Viana que agora caiu no esquecimento. A avenida hoje se encontra abandonada, o que começaram a fazer já estar se deteriorando, cadê as calçadas amplas, a iluminação em LED, os estacionamentos, vai ficar só na ilustração divulgada nas redes sociais? Nós cidadãos queremos respLeitor do Blog GJ Notícias encaminhou e-mail cobrando da administração municipal informações a respeito da obra de requalificação da Avenida Adolfo Viana que parou com a promessa de retornar depois do carnaval, já se passaram os festejos juninos e até hoje nada. Veja: “Geraldo, o Poder Público Municipal tanto divulgou a oostas! com a palavra a prefeitura municipal. Estamos aguardando”.

Confira nota Prefeitura de Juazeiro:

A Prefeitura de Juazeiro através da Secretaria de Obras e Desenvolvimento Urbano (SEDUR) esclarece que a obra de requalificação da Av. Adolfo Viana, juntamente com a Requalificação das vias de acesso ao bairro Pedra do Lorde, integram um único convênio celebrado entre o município e o Governo do Estado através da Companhia de Desenvolvimento Urbano do Estado da Bahia – Conder, orçado em R$ 6 milhões, onde R$ 4,7 milhões custeiam a obra da Pedra do Lorde e o restante do recurso é referente à obra de requalificação da Av. Adolfo Viana.

A SEDUR esclarece que, em virtude da execução do serviço de drenagem nas vias da obra da Pedra do Lorde, a área ficou com a mobilidade comprometida o que levou a gestão a priorizar esta intervenção, uma vez que a Av. Adolfo Viana, teve o canteiro redimensionado, a pavimentação recuperada e a mobilidade mantida. Tão logo a mobilidade das vias na obra da Pedra do Lorde seja restabelecida a obra da Av. Adolfo Viana será retomada.

publicado em 06 de Julho / 2019 às 23:03

João Gilberto: Um gênio raramente morre feliz. Um gênio raramente tem uma vida à altura da beleza que deixou para os outros

A notícia da morte de João Gilberto me pegou justamente num sábado em que eu preparava um artigo sobre estilo literário. Estilo, em termos gerais.

Estilo (ia eu pensando) é um conjunto de qualidades e defeitos tão peculiares que dão um perfil único e inimitável àquele artista. Um conjunto de habilidades e limitações: coisas que ele faz melhor que qualquer um, justapostas a coisas que qualquer um faz e ele é incapaz de fazer.

Quero ser mico de circo se João Gilberto fosse capaz de me ver tocando violão (assumidamente mal) durante 2 ou 3 horas e depois tocar do jeito que eu toco. Não poderia. Ele só sabia tocar – acho eu – do jeito de João Gilberto.

Em qualquer capital brasileira há grandes violonistas de barzinho capazes de tocar igual a João e, se me vissem, igual a mim em 15 minutos. Tocam igual a Baden Powell e a Mark Knopfler, se quiserem. E por isso nunca serão outra coisa senão grandes violonistas de barzinho.

João Gilberto desenvolveu sua estética, sua batida, sua harmonização, sua emissão vocal, num meio musical extremamente exigente e vigilante, o da vida noturna do Rio de Janeiro dos anos 1950. Era um Brasil onde o conceito milionário de sucesso era apenas um vapor muito tênue. Era uma selva de qualidades conflitantes, um Brasil capaz de acolher com hospitalidade as violentas guinadas artísticas da Bossa Nova.

A grandeza de João foi a de criar um idioma musical próprio, mistura de candura, rigor e complexidade, e com isso provocar respostas diferentes em cada um dos seus discípulos. Veja-se a diversidade da obra de admiradores seus como Tom Jobim e Chico Buarque, no lado mais caretão da MPB, e como Gilberto Gil e Caetano Veloso, no lado mais carnavalesco do tropicalismo.

Todos influenciados por João, todos diferentíssimos dele, a ponto de um jovem de hoje ter dificuldade de enxergar a influência de João em muitos deles, mas nenhum deles (podemos arriscar) ousaria o quanto ousou sem o exemplo radical de João Gilberto.

Nunca fui um grande fã de João, acho que por uma questão cronológica. Tivesse nascido um cinco anos antes e talvez a Bossa Nova tivesse me arrebatado como arrebatou tantos outros; e como o próprio Tropicalismo me arrebatou mais tarde.

Só comecei a reconhecer o papel desbravador de João quando li o Balanço da Bossa de Augusto de Campos, onde ele reconstitui vários processos desconstrutores com que João e a Bossa desinflaram a música popular operística e tenorística da época, com seus dós-de-peito, seus sentimentos porejantes de dramaticidade. Era o bolerão de Nelson Gonçalves (que continuo admirando – vejam só como são as coisas), Vicente Celestino e companhia.

A Bossa Nova varreu essa nossa música melodramática e sentimental com uma estética enxuta, simples, que raspava todos os excessos até revelar a ossatura de harmonia, melodia, ritmo e canto. Mostrava como nada daquele recheio fazia falta, e que era possível haver emoção sem sentimentalismo, força sem empostação.

Alguém disse da arquitetura de Oscar Niemeyer que ela demonstrava o quanto o concreto é leve. As harmonizações e as divisões rítmicas de João Gilberto mostravam que era possível haver uma ultra-sofisticação por trás de estruturas aparentemente simples, nuas, despojadas.

Como a poesia de João Cabral de Melo Neto e seu poeta-engenheiro que sonhava com superfícies claras, limpas, um copo dágua, uma quadra de tênis. Um “edifício crescendo de suas formas simples”.

Uma estética que correu mundo. Num trecho da contracapa de Bringin’ it All Back Home, Bob Dylan dizia: “Muitos podem gostar de um suave cantor brasileiro, mas eu já desisti de tentar a perfeição”. O álbum é de 1965, quando a Bossa Nova já pipocava nos EUA após o histórico concerto do Carnegie Hall em 1962.

Gosto é gosto, e sinto muito mais prazer ouvindo os seguidores de João Gilberto do que ele próprio, porque neles (Tom, Chico, Gil, Caetano) me atrai a exuberância, a variedade de formas, a espontaneidade melódica (muito mais do que a complexidade harmônica), a potência poética.

Os únicos discos dele que já tive foram o “Chega de Saudade”, “O amor, o sorriso e a flor” (o da capa solarizada), aquele com Astrud e Stan Getz, aquele outro da capa colorida que tem “Farolito” e outro que não lembro o nome, já na fase dos óculos, terno preto e cabelos brancos. Para mim ele é uma lição de minimalismo comparável com Erik Satie na música erudita e com Paul Klee e Miró na pintura.

E também, como todos estes, uma obra percorrida por um forte veio infantil, como de meninos que nunca cresceram e que mesmo depois de barbados continuam a brincar como se tivessem cinco anos. Este veio alimentou fortemente a Bossa Nova, com suas letrinhas ginasianas que às vezes derrapavam no simplório. Isso nunca me incomodou muito – eu fui desde o início um fã da Jovem Guarda, e nunca liguei para o infantilismo de “O Pato” ou “Lobo Bobo” porque para mim eram versos no mesmo nível simpático e brincalhão de “A Festa do Bolinha” ou “O Calhambeque”.

A própria voz de João Gilberto nunca se despregou muito da infância, era aquela voz sem muita força, de quem ainda não cresceu cabelo no peito, de quem acostumou-se a falar baixinho porque mora numa casa onde todo mundo é estentórico e tonitruante.

A casa dele era a casa cheia de decibéis onde pontificavam Cauby Peixoto, Ângela Maria, Leny Eversong e outros prodígios capazes de sustentar uma nota no ar durante o tempo de se fumar um cigarro sem filtro. Eles ensinaram a João, talvez, o valor da fala pequenininha, como uma estrela miúda que alumeia o mar.

Havia em João esse viés infantil, herdado por compositores e cantores em busca de simplicidade das coisas realmente grandes: Sidney Miller, Nara Leão, o próprio Chico Buarque com seu rosário de canções adaptadas das musiquinhas de roda e contos de fadas.

Só vim a considerar João Gilberto um gênio quando li o Chega de Saudade de Ruy Castro, agora já nos anos 2000, e finalmente entendi um pouco desse personagem por trás do cantor que parecia desafinar e era mais afinado que todo mundo, que parecia atravessar o ritmo e na verdade estava com as rédeas do ritmo na mão o tempo todo.

Um gênio raramente morre feliz. Um gênio raramente tem uma vida à altura da beleza que deixou para os outros. Eu faço uma distinção (bem minha, bem pessoal) entre “gênio” e “grande artista”. Um gênio não é simplesmente alguém mais inteligente do que o resto. É um cara anormal, no sentido de que tem (olha aqui a definição de “estilo”, mais uma vez) uns certos talentos e umas certas limitações numa combinação que ninguém mais tem, e num grau de intensidade que poucas pessoas em volta dele conseguem tolerar.

Chico Buarque, Tom Jobim, Edu Lobo, Caetano e companhia, todos são artistas excepcionais, mas nenhum deles é um gênio. São sujeitos iguais a mim e a você. Com a diferença de que compõem, escrevem cantam, etc. melhor do que eu ou você.

Um gênio é um sujeito fora de esquadro, fora do cotidiano normal de outras pessoas. Um gênio é alguém que incomoda, que provoca constrangimentos, que não é fácil de manobrar. Pode ser capaz de ingenuidades terríveis, de crueldades desnecessárias, de extremos egoísmos e generosidades extremas (tão extremas que nos deixam desconfortáveis). E não o faz pensando nas manchetes dos jornais nem na conta bancária. Faz porque isso é parte de sua formatação deformada, que o torna intensamente brilhante para algumas coisas e um tosco total para outras.

Renoir, Cézanne, Portinari, não eram gênios, eram grandes artistas. Gênio era Van Gogh. Um gênio é sempre alguém que você pensaria duas vezes antes de aceitar como hóspede em sua residência. João Cabral, Vinicius de Moraes, Manuel Bandeira, Carlos Drummond, não foram gênios (por esta minha nomenclatura), foram grandes poetas. Gênio era Arthur Rimbaud, era Edgar Allan Poe.

As maluquices de João Gilberto são conhecidas demais para repisar aqui. Fechado em si mesmo, sem ver ninguém e ao mesmo tempo dando telefonemas de cinco ou seis horas seguidas para pessoas que mal conhecia, ele seguia esse destino inapelável dos que não conseguiriam ser menos excêntricos – mesmo que quisessem, mesmo que achassem possível, mesmo que percebessem que as outras pessoas são diferentes deles.

Um gênio raramente tem uma vida pacata, uma morte tranqüila. Raramente é feliz, mesmo quando por um golpe de sorte é festejado em vida. Admiramos a obra que produzem, mas jamais invejaríamos a vida que gerou essa obra.

São os grandes solitários, os que brilham muito mas enxergam pouco. São números primos: aqueles que só se dividem por si mesmos, e pela Unidade.

*Texto Braulio Tavares-Escritor  Foto: Ivan Cruz Jacaré

Ler Matéria Completa
Braulio Tavares
publicado em 05 de Julho / 2019 às 23:00

A QUEM REPRESENTA O DEPUTADO-PALHAÇO TIRIRICA AFINAL?

Começo essa prosa dizendo que sempre fui fã do PALHAÇO TIRIRICA, pois seu humor desde a década de 90 me surpreendeu enquanto me esvaia de rir das palhaçadas de Dedé, Didi, Mussum e Zacarias! Naquele tempo Tiririca trazia algo novo e mais debochado em termos de humor. Isso eu não tenho o que negar. Mas o tempo foi passando e o palhaço começou a perceber que o negócio de fazer os outros rirem dele já não era tão lucrativo ou tão prioritário para seu projeto de vida brasileiro.

Então Francisco Everaldo Oliveira Silva, o Tiririca, ouviu "o canto da sereia" na voz de alguns "donos de partidos" e lançou sua candidatura a Deputado Federal. E não foi que colou? Muitos votaram nele não só pelo seu deboche ao dizer que "pior que tá não fica", mas por puro protesto naquela época contra vários parlamentares pegos em corrupção. Enfim, o Tirirca se elegeu e virou Deputado Federal! 

De novo o tempo passou e entramos no século XXI, porém, pelo que me parece, as coisas não mudaram muito no Congresso Nacional depois que o palhaço entrou na política. Tivemos dos mensalões, vieram os petrolões, as pedaladas... E, nesse quadro gigantesco o que era apenas riso, piada e circo, começou a virar empáfia! Da parte de quem? Dele... O "Super Tiririca!" Agora mais sério, mais moderado mais engajado em suas funestas ideologias partidárias e seus interesses escusos. Ele se reelegeu três vezes apesar de numa ocasião, declarar com todas as letras que tinha "se enojado da política!" Hoje, em 2019, o velho Tiririca não tomou jeito... Está bem diferente.

Em entrevista ao jornal Folha de S. Paulo, o deputado federal do PL-SP teceu até duras críticas ao presidente Jair Bolsonaro (PSL), do qual foi declarado apoiador durante as eleições de 2018. O palhaço-parlamentar, que já está em seu terceiro mandato na Câmara dos Deputados, afirmou que "se Bolsonaro não sair do pedestal, ele vai ser o pior governo que já tivemos em todos os tempos". 

Ler Matéria Completa
publicado em 05 de Julho / 2019 às 12:00

ESPAÇO DO LEITOR: MORADORA RECLAMA DE LIXO NO CENTRO DE JUAZEIRO (BA)

Moradora da rua Antônio Pedro, a leitora Izadora Moura, enviou e-mail ao Blog GJ Notícias solicitando a retirada de lixo no centro da cidade. Veja: “Geraldo, sou moradora da rua Antônio Pedro, centro de Juazeiro, há um mês a prefeitura fez uma limpeza e deixou todo o lixo na frente desse ponto fechado. A calçada está totalmente sem condições de tráfego, e aqui passam bastantes senhoras e alunos da escola vizinha. Os pedestres precisam ir para o meio da rua. Necessitamos que a prefeitura mande uma equipe para fazer a retirada desse lixo”.

publicado em 04 de Julho / 2019 às 23:00

ARTIGO: O POVO É SENHOR DA HISTÓRIA

Na história de humanidade, existem uns sem número de acontecimentos em que o povo tem demonstrado ser o Senhor da História. Ele – o povo – espera pela sua hora e pela sua vez, às vezes calmamente, outras vezes vai agitando-se aos poucos e, de pouquinho em pouquinho, até chegar a hora do parto, que é a grande eclosão, que dá origem a nova vida, ao novo comportamento da sociedade.

O povo brasileiro vem demonstrando, ainda que aos pouquinhos, querer ser senhor da sua própria história. Parece que ele vem se conscientizando que, para escrever essa história, nem sempre será com sorrisos ou com discursos vazios e populistas, mas, em determinados momentos, terá que ser com suor e lágrimas, se não quiser apenas assistir ao bonde da história passando e, esta geração fora do lugar para pegá-lo.

No domingo último de junho, dia trinta do mês, o povo brasileiro deu, espontaneamente, mais uma demonstração de que quer tomar as rédeas de sua própria história pela mão e segurá-la para que ela não passe em brancas nuvens em meio à população do nosso país; mas, ao passar, o povo tome-a consigo e proclame ser ele o senhor absoluto da história.

Ler Matéria Completa
Carlos Augusto Cruz-Médico e Advogado
publicado em 03 de Julho / 2019 às 19:10

Espaço do Leitor: Falta de atendimento médico no Alto da Aliança, Secretaria responde

Em e-mail ao Blog GJ Notícias nesta quarta-feira (03) um leitor que pediu para que sua identidade fosse preservada denuncia ausência de médico na UBS do bairro Alto da Aliança. Veja: "A UBS (Unidade Básica de Juazeiro) de saúde do Alto da Aliança segue há duas semanas sem atendimento médico. Alegam que devido um incidente na casa médica com um paciente ela deixou de ir trabalhar por falta de segurança no local. Sendo que a mesma so trabalhava até às 13 horas. A secretaria de saúde já foi comunicada e até hoje não providenciou o substituto".

Confira nota da Secretaria de Saúde de Juazeiro:

A Secretaria Municipal da Saúde informa que na Unidade de Saúde do bairro Alto da Aliança o atendimento é realizado por duas equipes. Uma médica pediu demissão no dia 27 de junho, mas os profissionais aprovados no Processo Seletivo já foram convocados e em breve vão assumir o cargo nas unidades que necessitam de profissionais.

A Sesau informa ainda que qualquer insatisfação ou reclamação pode ser feita através da Ouvidoria do município pelo WhatsApp (74) 9 8833-4638

Ler Matéria Completa
publicado em 03 de Julho / 2019 às 15:00

Leitor cobra instalação de redutor de velocidade na Travessa Edson Ribeiro e Floriano Peixoto, CSTT RESPONDE

Leitor flagra acidente e cobra instalação de redutor de velocidade.

Confiram:

Boa tarde Geraldo quero aqui pedir mais uma vez a secretaria responsável que venha instalar um redutor de velocidade entre a Avenida Dr Edson Ribeiro e a Rua Marechal Floriano Peixoto, no Centro da cidade, pois são constantes os acidentes. Ai vai a foto de mais um acidente que aconteceu nesse exato momento. Melhor prevenir para não acontecer uma coisa pior...

Atenciosamente,

Cristian

Através de nota a  Companhia de Segurança, Trânsito e Transporte (CSTT) lamenta o acidente e informa que tanto a Rua Floriano Peixoto, quanto a Travessa Edson Ribeiro estão totalmente sinalizadas. A CSTT reafirma que fará mais ações educativas, no sentido de evitar imprudências que ocasionem acidentes de trânsito

Foto: Cristian
publicado em 03 de Julho / 2019 às 07:00

ESPAÇO DO LEITOR: ANIMAIS VADIOS CIRCULANDO EM JUAZEIRO (BA), CONFIRA NOTA DA SEMAURB

Não há juazeirense que não fique indignado e envergonhado com a situação da cidade. O Poder Público abandonou a cidade de tal forma que afeta até os investimentos privados. Geraldo, essa imagem no vídeo e a fala revelam a verdadeira visão que os visitantes têm de nossa Juazeiro.  Divulga aí para ver se os políticos tomam vergonha e cuidam da cidade como ela merece.  Depois ficamos com raiva quando elogiam Petrolina.

Os animais estão perambulando pelo estacionamento do Juá Garden Shopping.

Jonas Silva Jatobá

Confira Nota da SEMAURB:

A Secretaria de Meio Ambiente e Ordenamento Urbano (SEMAURB) informa que recebeu denúncia sobre a circulação de cavalos no estacionamento do Juá Garden Shopping na manhã da última segunda-feira (01). Quando a equipe chegou os animais não estavam mais no local.

A SEMAURB dispõe de um curral municipal para que os animais de médio e grande porte que são encontrados soltos pelas vias públicas possam ser alojados e permanecer por até 72h, até que o responsável realize a retirada do animal, mediante pagamento de multa. A não procura dentro do prazo ocasiona na doação do animal.

A SEMAURB pede ainda à população que, se presenciar bois, vacas, bodes, porcos, cavalos, mulas e jegues circulando pelas vias da cidade, informe ao órgão de fiscalização através do telefone 3612-3581.

Da redação
publicado em 01 de Julho / 2019 às 11:30

UM JORNALISTA SEM CREDIBILIDADE

Pois é, enquanto o mundo gira, vemos pessoas se desequilibrarem na tontura dos acontecimentos e caírem em suas próprias contradições. Foi o caso do jornalista mais odiado da TV brasileira, Paulo Henrique Amorim. Ele vai sumir por alguns tempos depois de 14 anos ininterruptos à frente do programa vespertino Domingo Espetacular. A Record convocou o apresentador para uma reunião na tarde de ontem, (segunda-feira, 24 de junho) e lhe comunicou que está fora do programa. Amorim, que tem contrato até 2021, não será ainda demitido. Segundo nota, a emissora do Bispo Edir Macedo disse:

"Paulo Henrique Amorim deixa o programa e permanece na emissora à disposição para novos projetos", disse a direção da emissora em nota oficial. Sendo assim, o apresentador-militante deixa o Domingo Espetacular após um histórico de polêmicas, acusações e resistência. Esquerdista barulhento no seu blog de nome "Conversa Afiada," ele teve a cabeça pedida à Record inúmeras vezes desde 2014, quando a polarização entre esquerda e direita ficou mais acirrada. A emissora resistiu, afinal uma pesquisa apontou que o rosto do profissional era, apesar de tudo, fundamental para a credibilidade da revista eletrônica.

Ler Matéria Completa
publicado em 01 de Julho / 2019 às 10:30

Espaço do Leitor: Haja descaso no Expedito Nascimento em Juazeiro (BA), PREFEITURA RESPONDE

O leitor Adelino Junior que reside no bairro Monte Castelo enviou mensagem ao Blog GJ Notícias para fazer um apelo em favor da comunidade do Expedito Nascimento. Confira:

“Geraldo e leitores do blog mais uma vez estou aqui para denunciar o descaso em mais um ponto da cidade, dessa vez no bairro Expedito Nascimento! Olhem a situação dessa praça, segundo alguns moradores do referido bairro (Sandro Ribeiro e Nilber), já fizeram vários pedidos para que essa praça fosse limpa e as árvores podadas e até hoje nada, inclusive, pedidos esses diretamente as pessoas responsáveis, que são o gerente de podas e praças (Mundeco) o secretário (Celso Leal), então, por não terem sido atendidos, seis meses depois dessas solicitações , resolveram me pedir para que acionasse o seu blog para ver se eles fazem o que tem que ser feito, pois os cidadãos daquele bairro não suportam mais ver aquele descaso. Até quando teremos que conviver com esse abandono com as praças de Juazeiro?”

NOTA PREFEITURA:

A prefeitura de Juazeiro, através da Secretaria de Serviços Públicos (SESP) informa que recentemente uma das praças do bairro Expedito Nascimento recebeu mutirão de limpeza, com capinação, varrição, pintura de meio fio e poda de árvores. Já a outra praça está na programação da Secretaria para realização dos serviços.

A SESP lembra ainda que as equipes de limpeza estão diariamente nas ruas da cidade realizando mutirão e varrição.  A Secretaria informa que o número de atendimento por meio do telefone é o 3612 5411. A pessoa pode ainda comparecer pessoalmente no endereço Quadra H, nº 14, Distrito Industrial do São Francisco para solicitar qualquer serviço referente à SESP.  

publicado em 01 de Julho / 2019 às 10:00

ARTIGO - STF DIZ QUE TRABALHO INSALUBRE NÃO PODE SER REALIZADO POR GESTANTES E LACTANTES

*Josemar Santana

Segundo estabeleceu a REFORMA TRABALHISTA (Lei nº 13.467/2017, de 11.11.2017), a MULHER GESTANTE que trabalhasse em atividade insalubre de graus médio e mínimo e da EMPREGADA LACTANTE (que estivesse amamentando), independente do grau, poderiam se afastar da atividade mediante expedição de ATESTADO MÉDICO por médico de suas confianças.

O artigo 394-A da Consolidação das Leis do Trabalho havia sido alterado pela REFORMA TRABALHISTA, condicionando as atividades de GESTANTES e LACTANTES à apresentação de ATESTADO MÉICO, indicando essa necessidade.

Com isso, o afastamento de suas atividades sujeitou as GESTANTES e LACTANTES a enfrentar dificuldades para obtenção de ATESTADO MÉICO com profissional de sua confiança, porque, além de perderem um dia de serviço para consulta médica, tinham contra si a discriminação pelo fato de serem mulher e ainda mais estarem grávidas, ou amamentando.

Ler Matéria Completa
publicado em 30 de Junho / 2019 às 23:00

Artigo – POR QUÊ NÃO “INTERCEPTAR” OS CRIMINOSOS?

Ao que parece, a Providência se preocupou tanto com o Brasil e os brasileiros, que estabeleceu um calendário adequado para que as crises sejam intercaladas por períodos de festas típicas comemorativas, regionalizadas ou nacionais – Natal, Ano-Novo, Carnaval, Semana Santa, São João, etc. -, além dos tradicionais “feriadões”, permitindo, assim, que as turbulências políticas e econômicas sejam esquecidas, temporariamente, ou se acomodem e sejam substituídas por novos fatos. O noticiário dos jornais diários, que sobrevive em função das notícias novas e bombásticas, é um dos principais responsáveis pelo nível emocional das pessoas. Certamente, algum leitor já utilizou ou testemunhou esse tipo de comentário, em algum momento: “...Já caiu no esquecimento”!

Em meio a esse universo de variáveis que mexem com o lado emotivo da sociedade, o cidadão fica meio à mercê da intensidade da manipulação da notícia e, quase sempre, sob a influência do grau dos interesses político-financeiros envolvidos.

A propósito, ainda que as acusações de que se tornou alvo pretendam “procurar chifre em cabeça de cavalo” é inquestionável que a “Operação Lava Jato” inaugurou novos tempos no Brasil. Por mais que ao longo da história os desvios de recursos públicos e os sinais de corrupção fossem tão claros e expostos na administração pública, em geral, sendo objeto de chacotas e risos em todas as rodas de bate-papo, nunca ocorreu um avanço nas investigações e julgamento de envolvidos como nos últimos anos, sob o comando desses jovens Procuradores e Magistrados. Ora, se não houvesse a harmonia e entendimentos estratégicos entre eles, em conversas articuladoras para que os objetivos comuns fossem atingidos, jamais alcançariam os resultados positivos a que chegaram. E as ratazanas continuariam livres e faceiras porque, para o tamanho delas, deve ser difícil encontrar uma ratoeira apropriada!

Ler Matéria Completa
publicado em 30 de Junho / 2019 às 11:17

PASTOR ABRAÃO BARBOSA AFIRMA "EVANGÉLICOS NÃO SÃO IDIOTAS"

Um Líder Petista de sobrenome Malvezzi,  afirmou em um artigo num blog da região: que os evangélicos de Juazeiro “são idiotas”, chamando as igrejas de Currais eclesiais, chamou a igreja de Currais eleitorais, Utilizou o texto de João 10:10 para atacar os Pastores de Juazeiro! Por que as pessoas quando falam em Pastor já se aciona sempre as Palavras "mercenário", "ladrão"?

Venho através deste comentário dizer que aqui na nossa cidade tem pastores de caráter e conduta! Mas o mesmo quis se utilizar da passagem bíblica pra ofender a comunidade evangélica. 

Por que Esse preconceito aos evangélicos? A comunidade evangélica se despertou em Juazeiro-BA, na homenagem ao dia do Pastor, Reunimos mais de 200 lideranças na Câmara de Vereadores!

Ler Matéria Completa
publicado em 29 de Junho / 2019 às 23:00

ARTIGO - RENUNCIE PREFEITO ENQUANTO É TEMPO!

Existem momentos na vida em que, devemos reconhecer as nossas limitações, nossas fraquezas, se resignar, retroceder diante dos desafios que nos foram apresentados.  Isso chama-se dignidade.

Diante dos fatos e acontecimentos que vem ocorrendo na administração pública municipal, onde nitidamente aos olhos da população, o atual gestor Paulo Bonfim, demonstra uma evidente e clara incapacidade administrativa como gestor público municipal, não resta uma outra opção que não seja a  de renunciar ao mandato que lhe foi outorgada por parte dos eleitores juazeirenses no último pleito eleitoral de 2016.

Digo isso, baseado nas incontáveis denúncias feitas pela população nas redes sociais, jornais, blogs e demais meios midiáticos, mostrando a situação caótica por que passa a cidade de Juazeiro nesses pouco mais de 2 anos e meio de mandato do atual prefeito.

Ler Matéria Completa
publicado em 28 de Junho / 2019 às 23:00

ARRAIAL DO GONGO: UMA TRADIÇÃO DOS FESTEJOS JUNINOS

Quem disse que as festividades juninas perderam as suas tradições, não sendo mais como antigamente? Algumas comunidades interioranas, que não tem os holofotes (até porque os organizadores não sentem bem) das grandes mídias; organizam os seus festejos com o tradicional São João na roça como diz a música de Luiz Gonzaga:

“A fogueira tá queimando
Em homenagem a São João
O forró já começou
Vamos gente, rapapé nesse salão...”

E foi nesse clima que pelo terceiro ano consecutivo os irmãos que tem o sobrenome “Barbosa dos Santos”; Juvenal, Ailton e Almir realizam em sua propriedade rural sitio Lindaraí, distante de Juazeiro cerca de 82km, na região de Itamotinga, o “Arraial do gongo” que tem este nome homenagem a cidade natal dos irmãos que fica no sul da Bahia Gongogi (terra do cacau). A ideia central é de preservar as raízes e ao mesmo tempo de reunir familiares e amigos e cultivar esta manifestação, que ao longo dos tempos, vem perdendo sua originalidade.

Ler Matéria Completa
publicado em 28 de Junho / 2019 às 13:00

Artigo - Os currais eclesiais

Roberto Malvezzi (Gogó)

A parábola bíblica do Bom Pastor é uma das mais conhecidas. Jesus se compara a um bom pastor, que cuida bem de suas ovelhas, que dá sua vida por elas e as defende dos lobos vorazes (João 10, 1-18). Porém, o contrário do Bom Pastor não é o lobo, mas o "mercenário", aquele que finge ser pastor, mas quando apertado abandona suas ovelhas e foge.

O mercenário é mais que um fujão. Ele pode explorar suas ovelhas, ficar rico às custas delas, manipular sua boa vontade, manobrá-las como se fossem um grupo de idiotas.

No mundo contemporâneo e urbanizado não é fácil sustentar a parábola do Bom Pastor. Ninguém mais hoje em dia quer ser ovelha, no sentido que simplesmente obedece a uma voz de comando sem entender o que está acontecendo. Por isso mesmo, em outro contexto, Jesus vai dizer aos seus discípulos que eles não são servos, mas amigos, porque o servo não sabe o que faz ao seu Senhor, mas o amigo sabe (João 15,15).

Ler Matéria Completa
publicado em 28 de Junho / 2019 às 09:00

Espaço do Leitor: Lixão no Jardim Flórida. SAAE emite nota de esclarecimento

Em e-mail ao Blog GJ Notícias um morador do bairro Jardim Flórida reclama da formação de um novo lixão na cidade, exatamente em sua comunidade. Veja o relato de Castro: “Caro Geraldo José venho através do Blog pedir providências sobre o que estão fazendo com os moradores da rua 08, Jardim Flórida. Foi muito bom acabar com a lagoa de estabilização, mas o aterramento não está sendo feito com material adequado. Como você pode observar nas fotos, virou um aterro sanitário que está causando uma infestação de moscas, ratos e escorpiões... Peço que faça chegar às autoridades competentes e que tomem providências”.

SAAE explica situação da antiga lagoa no Bairro Jardim Flórida

Com relação à antiga lagoa de estabilização localizada no Bairro Jardim Flórida o Serviço de Água e Saneamento Ambiental SAAE/Juazeiro esclarece que está aterrando o local com restos de materiais de construção retirados diariamente das ruas da cidade.

O SAAE informa ainda que o caminhão da coleta do lixo domiciliar passa todas as tardes das segundas, quartas e sextas feiras, devendo os moradores colocar suas sacolas nestes dias e horários evitando assim o acúmulo de lixo no lugar onde será construído um equipamento público.

Da redação
publicado em 28 de Junho / 2019 às 06:00

Espaço do Leitor: Itamotinga, triste fim!

Por meio de e-mail ao Blog GJ Notícias um morador do Distrito de Itamotinga reclama maior atenção do Poder Público Municipal. Confira:

Geraldo, venho por meio deste canal de notícias e do sucesso que é seu blog, fazer um apelo em nome do Distrito de Itamotinga. Quase três anos depois, a obra de urbanização da entrada de Itamotinga não começou e nem tem previsão de começar. A secretaria já trocou de secretário, e o famoso fingir " demência" continua. Lembrando que esse projeto só iria atrasar um pouco por conta que precisava fazer ajustes com o engenheiro, porque o mapa estava errado. Deve ser uma obra secular, pra esse engenheiro não conseguir alterar, depois de quase três anos.

Interessante que o vereador Hélio, divulgou em sua rede social, e ainda contou vantagem. É, realmente Itamotinga está abandonada, com dois vereadores que na campanha eleitoral, batiam no peito dizendo ser filho de Itamotinga. Uns filhos desse... melhor permanecer só. Sem contar que o chefe de gabinete do prefeito é também do Distrito, com sua família enraizada na comunidade, e não se sensibiliza com sua terra. Em que mundo estamos? Seria muito pedir para retroceder no tempo? Há 20 anos, Itamotinga estava muito mais avançada do que hoje.

Ler Matéria Completa
publicado em 27 de Junho / 2019 às 23:00

EU PENSO ASSIM... JOGO IMPORTANTE EM CASA, TORCEDOR DEVE PRESTIGIAR.

Todos nós vimos como, de que maneira, a JUAZEIRENSE obteve a classificação para a próxima importante fase do “Brasileirão”, jogando contra o PATROCINENSE. O jogo aqui foi difícil. Obtivemos uma vitória minúscula, 1x0, com gol chorado, de pênalti. Deveria ter sido um placar mais avantajado aqui, para podermos ir a Minas Gerais enfrentar o PATROCINENSE mais tranquilo.

Perdemos por 1x0 no tempo normal, mas, felizmente, ganhamos na cobrança dos pênaltis. Ainda bem, conseguimos a classificação para a outra fase que começa no domingo (30), no “ADAUTÃO”.

Estamos em busca da classificação para a Série “C”. O objetivo maior é voltar para a Série “C”. Faltam poucos passos para alcançar esse objetivo. Estamos no “mata-mata” e sabendo disso, cada passo é muito importante e uma vitória, domingo aqui em casa, com um placar de no mínimo dois gols de diferença nos deixa com maiores possibilidades de uma classificação, jogando fora de nossos domínios.

Ler Matéria Completa
Herbet Mouze
publicado em 26 de Junho / 2019 às 23:00

Artigo - As aparências enganam

Algumas pessoas ficam 'cegas' a julgar apenas pela aparência, pela maneira que se apresenta ou é apresentado um semelhante. A função que exerce, a condição financeira e até o sobrenome (descendência) do julgado não têm sido, e nunca serão, parâmetros para identificar um '171' (aquele que engana para conseguir benefícios próprios). O bandido nem sempre é reconhecido em um primeiro momento, pois muitas vezes as aparências enganam.

A honestidade de alguém não está relacionada a estereótipos do tipo 'padrão televisivo' e sim ao seu caráter. Assusta saber que a farsa nunca esteve tão presente e o pior, profissionalizada e em todos os setores da sociedade.

A verdade tem perdido espaço para a mentira e a cólera desenfreadas, patrocinadas propositalmente para criar um ambiente generalizado de hostilidade; mesmo a falsidade com o objetivo de obter vantagens para satisfazer interesses ou sentimentos pessoais e causar danos a outrem sendo crime, independente da posição social de que a comete.

Ler Matéria Completa
publicado em 26 de Junho / 2019 às 17:00

ESPAÇO DO LEITOR: Morador do Monte Castelo indignado com descaso em seu bairro; Veja na íntergra:

"Geraldo é com muita alegria que hoje estou completando 39 anos de vida, desde já, eu quero agradecer a Deus por te esse previlégio de tê-lo comigo todos os dias no meu coração e usufruindo da sua proteção diária. 

Mas, é com muita tristeza que eu venho aqui no seu blog denunciar mais um descaso com o bairro Monte castelo. Pois bem, Geraldo e leitores desse blog, nós já não temos nada que nos afague aqui no Monte castelo, e a única coisa que ainda temos mais ou menos que é o acesso através da avenida, que por sinal nunca terminaram é muito mal sinalizada, e por isso nunca vinheram inaugurar, obra essa que é desde 2017 e que custou um valor absurdo para os cofres públicos, já está se deteriorando. Buracos enormes estão se abrindo, inclusive já foi solicitado por parte dos moradores a manutenção e nada. Mais uma vez eu pergunto a vocês que estão à frente desse governo municipal, até quando o Monte Castelo terá que sofrer por falta de compromisso com o povo desse bairro?

Pois, como eu escrevi acima, nós não temos nada, nós não temos uma PRAÇA, nós não temos uma ESCOLA, nós não temos uma CRECHE, nós não temos uma UBS, nós não temos PAVIMENTAÇÃO, nós temos um transporte público que só passa quatro vezes ao dia, nós vivemos cercados por CANAIS ABERTOS, FEDENTINAS E MURIÇOCAS DE MONTÃO, nós temos uma ILUMINAÇÃO PÚBLICA de péssima qualidade, enfim, não dá mais para viver com esse total abandono e com essa falta de respeito por parte dessa gestão que aí está. CHEGA! "

Adelino Junior
publicado em 25 de Junho / 2019 às 12:00

ARTIGO: O POVO ESTÁ CANSADO DA INDIFERENÇA DOS POLÍTICOS

Andando todos os dias nas ruas de Juazeiro-BA, indo e voltando do trabalho, parece que sinto um peso. Não um peso proveniente das fadigas diárias de um dia de trabalho, porém "há uma atmosfera pesada no ar!" Vejo em cada olhar das pessoas uma tristeza, algo do tipo – "um sentimento de perda, tristeza ou abandono", ou seja, o povo está cansado coma indiferença dos políticos de nossa cidade. O povo está cansado do político profissional, aquele que fala muito e não diz nada! O povo está cansado de tanta corrupção, está cansado, só para citar um exemplo, de chegar numa unidade básica de saúde e não ser atendido. Está cansado de tentar conseguir um médico especialista e nunca chegar a sua vez. 

Existe sim meu caro leitor (a) uma indignação generalizada. E o pior disso tudo é que não sou eu somente que percebo tal coisa, mas na voz de cada ouvinte do programa da emissora em que colaboro, compartilhando desse mesmo sentimento. Percebo isso também em cada pessoa que escreve aqui no Blog tanto nas crônicas, artigos ou nos comentários. Vejo isso em colegas jornalistas, radialistas, comunicadores, enfim, a situação tem andado ultimamente tão atípica, ao ponto de vermos quase que mensalmente a nossa cidade vizinha Petrolina-PE receber visitas de autoridades do âmbito federal, ganhando verbas para educação, saúde, transporte, urbanização enfim, uma parceria de chamar a atenção até de analistas econômicos e de jornalistas especializados das revistas de economia. E nós aqui, o que temos recebido? Um "Lula Livre?" 

Ler Matéria Completa
publicado em 24 de Junho / 2019 às 23:00

Artigo - A insaciável máquina do desperdício de dinheiro

*Celso Tracco

Já é consenso geral que a máquina pública brasileira é insustentável em relação ao que o país arrecada. Os gastos com salários, aposentadorias, pensões, verbas de gabinete, contratação de assessores, privilégios, mordomias, festas etc. é um escandaloso e abjeto desperdício de dinheiro do contribuinte que, em contrapartida, não tem segurança, escola, hospitais, creches, estradas decentes, infraestrutura. Não tem direito a uma vida digna e nem esperança de um futuro melhor. Por máquina pública entendemos os três poderes: legislativo, executivo e judiciário e os três níveis de governo: federal, estadual e municipal. Perto de 80% da arrecadação de impostos vai para alimentar essa monstruosidade que, aliás, só cresce. Um escândalo sem tamanho, um peso insuportável que a população carrega e que só será eliminado com uma mudança do sistema político brasileiro.

Vejamos alguns dados novos sobre os municípios brasileiros, onde a vida dos contribuintes acontece. O Brasil possui 5.570 municípios e, destes, cerca de 1.400 têm até 5.000 habitantes; 1.300 têm de 5.001 até 10.000 habitantes, e cerca de 1.400 de 10.001 até 20.000 habitantes. Por lei, esses 4.100 municípios precisam ter, no mínimo 9 vereadores.

Ler Matéria Completa
Voltar ao topo
© Copyright Blog Geraldo José. 2009 - 2019. Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do autor.