Blog do Geraldo José - Espaço do Leitor
Vale do São Francisco - 25 de Junho de 2019
|
Redação: (74) 3613-3479

Espaço do Leitor

publicado em 08 de Fevereiro / 2012 às 17:30

Espaço do Leitor: Wagner e a Salvador ff.

Roberto Malvezzi (Gogó)

Gregório de Matos dizia que a Salvador seiscentista era feita de “dois ff”(sic!): um de furtar e outro de fo...

Blasfemo, pornográfico, herético, o “Boca do Inferno” não perdoava seus inimigos pessoais, do clero ou da política. Seus poemas eram direcionados ao coração dos inimigos e não vacilava em citar o nome real de quem ele quisesse queimar em praça pública.

Acontece que ele também tinha seu calcanhar de Aquiles, era de família abastada e, muitas vezes, seus ataques eram para defender interesses pessoais e de família.

A Salvador de Wagner, quase 500 anos depois, é uma metrópole linda, que esconde atrás dos prédios das belas avenidas a pobreza das favelas e periferias. Foi ACM quem inventou a técnica de esconder a miséria atrás dos edifícios belos, assim passar uma imagem perfeita da cidade aos turistas.

A greve dos PMs da Bahia expõe a cara mais real de Salvador. Claro que ali há jogos, interesses, gente ainda ligada a ACM, mas há um problema sério de diálogo do governo baiano. Há tempos o funcionalismo público reclama da forma como o ex-sindicalista trata as corporações em greve. Professores, policiais e área de saúde têm problemas graves de relacionamento com o governador. Hoje, um professor do estado, quando pede a aposentadoria baseada em lei, tem que esperar quase dois anos para ser atendido.

Wagner sempre foi considerado um excelente negociador, antes de chegar ao poder. Quando Frei Luíz fez a greve de fome em Cabrobó, o enviado de Lula para conversar com ele foi o então ministro Wagner. Nunca nos esqueceremos que, com 11 dias sem comer, Wagner se trancou com ele na capela por mais de seis horas, até firmarem um acordo. Quando saiu do lado de fora, com um papel escrito a mão e assinado pelos dois, ele soltou a frase: que acordo?

Foi ali que a fixa caiu. Usando tática de prisioneiros de guerra, tentando vencer o adversário pela exaustão, não conseguiu dentro da capela, então rompeu o acordo ao sair na porta.

Quando chega a “festa da carne” em Salvador – literalmente - milhares de turistas prontos para chegar à cidade, a greve dos PMs se transformou num problema econômico, além da segurança. Agora comerciantes, empresários, artistas, pressionam o governo para acabar com a greve. Mas o estrago está estabelecido. No poder Wagner não é um bom negociador.

Pelos interesses em cena, esse jogo não vai acabar um a um.

publicado em 07 de Fevereiro / 2012 às 23:20

ESPAÇO DO LEITOR: É DO CARVALHO!

Eu vi Armadinho, Dodô e Osmar no palanque da rua da 28 em Juazeiro, grande show, imaginem se fosse em cima do trio que é o grande santuário da música baiana? Foi do Carvalho!!!
Não ter decoração nas ruas e durante o dia a cidade transformar-se em cemitério, principalmente no circuito da folia, foi do Carvalho!!!

A paralisação da polícia militar de Juazeiro, no final da festa, deixando os foliões e todo governo tensos e amarelos de medo pela insegurança e descaso do poderoso chefão, carioca, da Bahia. Foi do Carvalho!!!

Gastar alguns milhares de reais para promover uma grande festa em ano de eleição deixando a periferia e interior do município em completo abandono. Foi do Carvalho!!!
Pagar adiantado aos artistas de fora e deixar os artista da terra para receber, se receber, depois. Foi do Carvalho!!!

Assistir a Prefeito, deputados e candidatos dos mais diversos partidos, desfilando e nadando em drinks e salgadinhos nos camarotes, e o povo saltando sem noção no caldeirão da pipoca e mesmo assim felizes ou pensando que eram felizes, naquele momento. Foi do Carvalho!!!

Assistir mais uma vez o CIRCO DE ROMA desfilar pelas ruas de Juazeiro, iludindo a fé pública e tentando enganar a gregos e troianos, promovendo a farra do ócio com o dinheiro do povo que a partir da segunda-feira estará ressaquiado, liso e decepcionado. Foi do Carvalho!!!

Esse carnaval foi do Carvalho!!!

Esse governo é do Carvalho, por enquanto.

Lucien Paulo

PS. Alguns comentaristas também são do Carvalho!! Confiram.

publicado em 07 de Fevereiro / 2012 às 18:00

ESPAÇO DO LEITOR: GREVE DA PM: COMO O ESTADO RESOLVERÁ ESTA QUESTÃO?

Caro Geraldo,

A situação geral nas cidades da Bahia é de intenso alerta.

Salvador tornou-se, ao invés de capital do estado, uma verdadeira Cidade-Estado, isolada completa e absurdamente da região nordeste e de todo o Brasil. No centro da cidade ocorrem arrastões e tiroteios à luz do dia, enquanto na periferia encarna-se a face de um inferno real que nem o próprio Dante seria capaz de conceber; já na Assembleia Legislativa da Bahia, tanques de guerra ocupam o local, acompanhados de centenas de soldados da polícia do exército.

 Nesse meio tempo, o governador isola-se, tal como um doge medieval italiano, na proteção de seu palácio, alheio às perturbações que transformam tudo e todos num completo caos aparentemente incontrolável.

Em Sobradinho, o comércio está à portas baixas; não há confiança no rosto dos proprietários das lojas nem disposição para se defenderem frente a um saque de meliantes. Nas estradas e nas cidades caminhões do exército deslocam-se em comboio para tentar controlar, heroicamente, uma agitação poucas vezes vista em tamanha proporção. Já Juazeiro olha com o canto do olho para ver “se não vem bandido aí”.

Obviamente, é necessário que se observem os apelos e reivindicações dos policiais grevistas, e que se tente chegar a um acordo que agrade ambas as partes o mais urgentemente possível; a polícia militar é parte INDISPENSÁVEL da sociedade brasileira, vital para a segurança geral do Estado e do povo. Analogamente, levemos em conta a situação e o perigo a que estão expostos os militares em vários dos lugares mais violentos do país.

É hora de todos pararem e perceberem o quanto e o quê ainda precisamos evoluir e aprimorar na sociedade brasileira. Não vemos tanta movimentação do exército (exceto, claro, em ocasiões especiais) desde os anos de chumbo, e embora eu mesmo não tenha presenciado tal época, compreendo claramente o quão rápido precisamos resolver esta questão de extrema importância.

O que espero com veemência é que esta greve, que já tornou-se notícia em vários jornais internacionais não se espalhe por mais estados, frente aos baixos salários e as difíceis condições de trabalho dos policiais militares brasileiros, ou então o problema será realmente grave, e a partir daí, como uma reação em cadeia, nos veremos frente a uma instabilidade política que sempre levou a rumos sombrios na história da terra.

Vladimir Nunes – Estudante e Orador da Ação Paramaçônica Juvenil de Juazeiro.

Foto Correio
publicado em 07 de Fevereiro / 2012 às 12:40

ESPAÇO DO LEITOR: BEM QUE MEU SANTO AVISOU!

Dia 03 de janeiro, sexta-feira (felizmente não foi a sexta-feira 13), carnaval em Juazeiro. Dias de carnaval os “meninos”, ou melhor, os cãezinhos e os diabinhos ficam soltos pelas ruas e avenidas, participando dos momentos momescos e, muita gente que usa máscaras à sua semelhança é um prato cheio para o príncipe das trevas.

A mulher, Wilma Rosa insistiu para irmos juntos ao Escritório dos Filhos da Pauta no Mac Beto. Meu santo está me dizendo que hoje não devo botar o pé na rua, mas me libera para participar do bloco Cabaré das Ilusões, do velho Carcará, onde este fica transvertido de Crô e Raimundão se transforma em Tereza Cristina, ambos personagens da novela Fina Estampa, da Rede Globo tendo como homenageada a grande historiadora e folclorista Maria Izabel Muniz Figueiredo ( Bebela).

O meu juízo ficou agoniado de tal forma, mesmo sabendo que as respostas dos búzios, não são claras, nos dias de carnaval, os voduns se recolhem, porém, contrariando a seita animista, resolvi recorrer a Ifá, Deus nagô da adivinhação, orixá que é o maior oráculo da Nigéria. A resposta do jogo dos búzios chegou, todavia, turva, como se esperava, por razões óbvias ( momento impróprio).

Fui desobediente e, despachei a rua, jogando água em três direções, pedindo licença aos “meninos” – agô... agô... agô..! Fomos de carro, eu e a mulher “pé de carnaval”, envergados em um abadá (passaporte que dava acesso ao Escritório da Folia) trocado por dois quilos de alimentos não perecíveis.

Felizmente, nossos caminhos estavam abertos, livres, etc. Tomamos assentos no panteão da alegria. “Mac Beto”!  O ambiente animado pela dupla Neto e Mundinho. A diretoria, toda de branco, composta dos comunicadores Antônio Pedro, (Toinho), Paulo César de Oxalá, Sérgio Rêgo e outros companheiros da comunicação. Confesso que na minha ilusão de ótica, (miragem), pois, acabava de consultar a Ifá, vista turva, muita alegria do momo, a princípio pensei que a mesa da diretoria fosse um pombal, aves todas brancas. Odara, falei com os meus botões!

Toinho, de imediato, veio entrevistar-me, tendo o mesmo procedimento para com os presentes. No ambiente só alegria! Como o corpo não estava bem fechado (festa de carnaval quem manda são os “meninos” Exus), todavia, confiava nos poderes mágicos, pois, o meu amuleto de Xangô estava grudado ao peito; tinha confiança!

Toinho, muito solícito (mestre-sala), timoneiro esmerado à frente do Escritório dos Filhos da Pauta, estufava de alegria. Paulo César (rouxinol de Oxalá) cantou como uma cigarra do sertão, músicas momescas. Manoel Cambota não resistiu e, ao invés de pular, agarrou a Bia, sua mulher, pra dançar agarradinho. A minha meia conterrânea (ela é filha de Santo Amaro, cidade ligada a Cachoeira) que tem o samba no pé, toda de azul ( Ogum), largou o Cambota e sambou à “sorete”, sozinha, e, eu que estava sentado à mesa com o homem do Blog, Geraldo José, Cida, sua esposa e outros amigos, torci, então, que Ogum rodasse a cabeça da santamarense ( quem é de Santo Amaro já nasce feito) porque, gostaria de trocar língua, para pedir proteção para todos nós da folia, pois, tinha receio da pisa do tinhoso!

De repente, adentra no panteão da folia, a orquestra de frevo, Sapupara, levada pelo vereador Zó. Alguém gritou: lá vem o Comando Virgulino. Como o dia não estava para o meu santo, vendo tudo trocado, então, apino pedi malembe a Oxóssi e a Xangô, pensando que o cangaço tinha ressuscitado. Qual nada! Foi um grupo de jovens com instrumento de sopro, bons artistas, que trouxeram o carnaval do passado, fazendo todos saírem do chão.

Houve uma pausa, silêncio, quando de repente, pensei que fosse um ferreiro batendo o malho em uma bigorna, junto a mim. Meu labirinto saiu do lugar, sem saber onde estava. Como o Bradesco fica defronte ao local do Escritório dos Filhos da Pauta, na minha imaginação policial, julguei que algum malandro tinha explodido o caixa eletrônico, quando de fato, foi Geraldo José, possivelmente, pensando no programa de Varela, da Rede Record ou mesmo no programa do Ratinho, do SBT, bateu numa bandeja de alumínio que estava na mesa, o que muito me assustou. Motivo de sorrisos de “orelha a orelha”.

Os garotos dos instrumentos de sopro voltaram a balançar o ambiente! Todo mundo pulava e cantava a todo pulmão as marchinhas de outrora. Cada uma melhor que a outra. “É hoje que vou me acabar... com chuva ou sem chuva eu vou pra lá”. Foi nesse embalo, que Geraldo José tirava onda de Califa (estava sendo abanado, com um leque, por sua grande colombina, Cida, sua esposa) deu um pinote para cair no frevo, foi quando seu cigarro queimou o meu braço, sendo de imediato despejado cerveja no local da queimadura.

Lembrei que o meu santo havia me prevenido, mas, fui desobediente! “Desculpe Coronel. A culpa foi de Omolú”. Pensava que o Xará, fosse de Oxóssi, orixá destemido, vencedor de batalha. Lembrei-me, que tinha na minha carteira, três búzios, e, como era uma pergunta simples, talvez, recebesse uma resposta. Confirmou que Geraldo José, meu Xará é sem dúvida de Oxóssi, dono de sua cabeça, com passagem de Omolú. Esse orixá, Omolú é das doenças, queimaduras, que se cobre de Palha-da-Costa. Fiquei despreocupado quanto à referida queimadura, visto que, já sabia que logo seria cicratizada, o que ocorreu antes de chegar à minha residência. Saudamos-nos à maneira da seita. Como somos de Oxóssi, o seu ponto teria que ser dito: “Camarada bom é irmão do outro”!

                                                              São coisas de carnaval!

Geraldo Dias de Andrade é Cel.PM/RR – Cronista – Bel. em Direito – Membro da ABI/Seccional Norte – Escritor – Membro da Academia Juazeirense de Letras.

publicado em 07 de Fevereiro / 2012 às 11:00

Espaço do Leitor: O ano que não se perdeu

O cearense Saldanha Rolim e o mineiro Saulo Laranjeiras, protagonizaram no programa do mestre Rolando Boldrin, um reminisce da obra do genial compositor Geraldo Vandré. A cada canção executada, lembrava-me dos anos de chumbo, como jovem estudante e militante de uma corrente estudantil trotskista cujo nome: “COMBATE” simbolizava bem, nossa disposição para a luta contra a ditadura. Confesso que fiquei muito emocionado, como poucas vezes na vida.

Ouvir Vandré é uma catarse - trata-se de um poeta único com mais de 60 composições de sonoridade pujante e letras com muita poesia. Sempre devotei mais tempo à ciência do que as artes, mas rendo-me a boa arte, particularmente a obra musical de Geraldo Vandré, como poeta engajado, orgânico, por esta razão meu apreço multiplicado. Suas melodias e letras são canções de resistência e traduzem de forma singular a simplicidade das coisas e o desejo por um mundo mais solidário. Vivi o tempo da luta com honra e sacrifício pessoal muitas vezes.

Tempos que se perderam no tempo. Em uma das suas mais notáveis composições, mas não a mais famosa, Vandré, assinala: “ fica mal com Deus quem não sabe dar (repartir), fica mal comigo quem não sabe amar “. Revisitei com intensidade meus arquivos mentais de militante, num período difícil, de 1972 a 1982, e lembrei-me na política, particularmente do ano de 1979, quando participei com outros jovens estudantes de todo o Brasil da organização para a reconstrução da UNE, no memorável XXXI Congresso em Salvador  que a retirou da clandestinidade nos estertores do regime militar. Enquanto nas artes, estava sendo lançado pelo grupo TEMUCORDAS, um extraordinário álbum musical ( Long Play ) com composições do quilate de: sangria, cantador, recordança, apocalipse, rodeio, grito de liberdade, sangue e areia, peregrino, filho da terra e TRIBUTO À GERALDO VANDRÉ, esta última, uma justa e reconhecida homenagem a Vandré, um  poeta de enorme sensibilidade.

Nós os que vivemos aquele período, sofremos, choramos, lutamos, amamos não exatamente nesta ordem, mas havia decência, coragem, integridade, queríamos muito e ao mesmo tempo pouco – apenas a liberdade de escolher nossos governantes, hoje temos essa liberdade e uma pálida imagem daquilo que sonhamos. O movimento estudantil logrou de certa forma mudar parcialmente o mundo, notadamente nos aspectos materiais, mas nos esquecemos que não eram apenas as instituições que precisavam ser reformadas, fundamental era, construir o homem novo, com valores éticos e humanos que nos distinguissem dos opressores.

Hoje na política, vivemos tempos de vergonha e imoralidade, não se sabe mais, quem são os mocinhos e quem são os bandidos?  Muitos que empunharam a bandeira das transformações legítimas e verdadeiras se transmutaram e nos cobrem de tristeza, com suas atitudes e eufemismos. Não menciono àqueles que historicamente combatemos, pois não havia expectativa em relação à eles, na construção de uma sociedade nova.  Mas como Vandré um utópico que não resistiu ao mundo empírico... Um mundo bem diferente do idealizado, um poeta sensível e que com facilidade se decepciona, sua canção ventania dá bem o tom das coisas.

Meu senhor, minha senhora,
vou falar com precisão.
Não me negue nessa hora,
seu calor, sua atenção
A canção que eu trago agora
fala de toda a nação.
Andei pelo mundo afora
querendo tanto encontrar
um lugar prá ser contente
onde eu pudesse mudar.
Mas a vida não mudava
mudando só de lugar.

Cantador serei primeiro,
cantando não por dinheiro,
por justo anseio geral.

Por Jairton Fraga Araújo

publicado em 07 de Fevereiro / 2012 às 08:10

Espaço do Leitor: Carnaval e feijoada.

O carnaval de Juazeiro foi realizado, acredito que, com muito esforço e sacrifício, pois a cidade esta muito suja, mal iluminada e cheia de problemas. Valeu como sempre, a disposição do povo de Juazeiro que vai para a avenida de qualquer jeito, com bons momentos de alegria, mas este ano sem muita empolgação.

Na rua da 28 assisti e participei do verdadeiro carnaval de Juazeiro, foi muito bom, boas atrações, público maravilhoso e shows de Armandinho, Gerônimo, Adão Negro e tantos outros. Gostei dos filhos da terra.

O que me deixou assustado e decepcionado foi como sempre, uma certa violência de foliões, em bandos, parecendo coisa de Salvador, a música terrível de certas bandas de pagode, expondo a decadência da música da Bahia, que já foi tão emocionante e maravilhosa.

O que me deixou muito feliz foi a "Feijoada do Dadau" no Country Clube que evento bonito! Quanta gente bonita. Não observei nenhuma confusão ou briga, acredito que ali mais de 6 mil pessoas fizeram o verdadeiro carnaval da Bahia e de Juazeiro, apesar de ser um evento fechado, nada, nada mesmo em juazeiro foi mais alegre do que esta feijoada. O show de Margareth Menezes foi ótimo, os espaços alternativos, a interação, tudo muito bom.

Juazeiro e Salvador estão decadentes diante do brilho cultural que já tiveram, mas eu continuo acreditando na Bahia de tantos talentos e um dia teremos mais alegria, música boa para "derrotar" o mal gosto de hoje que impera.

Quanto à Petrolina, vamos esquecer carnaval!

Antonio Romero de Souza

publicado em 06 de Fevereiro / 2012 às 17:30

ESPAÇO DO LEITOR: CALA A BOCA JOJÓ

Caro amigo Geraldo José,

Seu blog ganhou a admiração de todo o povo de Juazeiro e da região por ser imparcial e justo. Por ser acessível e sem discriminação. Por isso, como petista, não admito que um Jojó qualquer continue fazendo impunemente trabalho sujo pra Jonas Paulo ou qualquer outro dos ... do Templo, sem o mínimo de consideração com os mais de 1.300 filiados do PT Municipal.

O que será que Isaac prometeu a essa gente? Como é que eles têm o descaramento de  emprestar um partido sério como o PT sempre foi, pelo menos antes deles? Veja, Geraldo, esse Secretário Estadual, aproveitando a grande audiência da Rádio Juazeiro no pós carnaval, já anunciou previamente que amanhã, terça-feira, dia 07 de fevereiro, no Sem Fronteira, dará uma entrevista em que, ele já antecipa, não será o Diretório Municipal do PT a instância decisória sobre candidatura própria, ou não, à Prefeitura em 2012.

Que loucura é essa minha gente? Meirinha, você tem que se pronunciar. Apresente ao povo de Juazeiro os resultados positivos de sua presidência, mostre a todo mundo as cópias de ações de despejo contra o nosso Partido, no tempo de Tony Martins, Antônio Marcos etc. Meia dúzia de gatos pingados se ..., e o PT do Estado quer obrigar todos e todas entre os petistas e as petistas juazeirenses a engolir essa humilhação de ter de votar à força em Isaac, o pior Prefeito que Juazeiro já teve. A vingança do povo será terrível! O PT de Juazeiro exige respeito e custe o que custar será respeitado, dê no que der. Por isso, enquanto ainda é tempo, Cala a Boca Jojó!

Geraldo José,

Venho solicitar de V. Sa. a CORREÇÃO/SUBSTITUIÇÃO do nome de quem assina a nota “cala a boca Jojó”. Eu coloquei por engano o nome de Graciliano, essa nota é minha e quem manda sou eu pelo email que você mesmo visualiza que é Antonio Carlos, filiado do PT.

Atenciosamente,

Antônio Carlos

publicado em 04 de Fevereiro / 2012 às 21:00

Espaço do Leitor: Criminalidade em Sobradinho

Geraldo,

Ano passado li no blog valeindependente.wordpress.com a frase: Estamos ou não vivendo uma inversão de valores em nossa sociedade?

Na época não entendi bem o que realmente seria viver preso na minha casa, enquanto os bandidos ficam soltos na rua. No último dia 02, quando minha mãe, a irmã dela (minha tia) e a minha filha de 06 (seis) anos, que passeavam na praça central daqui de Sobradinho-Ba, por volta das 21:00h, foram surpreendidas por um marginal e, esse levou dois celulares com uso da força e de agressão física.

Não valendo a vergonha do ato, ao abordarem uma viatura com os policiais militares que por coincidência passavam na avenida principal da cidade, foram acusadas de estar no local errado, pois, ali era reduto de marginais e eles não podiam fazer nada, tendo em vista que eram menores e eles não podiam prendê-los.

Minha mãe na ocasião solicitou que aos menos abordassem um grupo que ainda permanecia no local, pois, o marginal havia saído de junto deles. A resposta foi a mesma, "nós não podemos fazer nada, essa praça é reduto de marginal, as senhores devem ir para casa que esse horário não é hora de estarem na rua".

É mole? Duas senhoras de mais de 60 anos e uma criança de 6 anos, vítimas de bandidos e dos policiais.

O que falta acontecer? Demarcarem a cidade e apresentar os horários e por onde devemos andar?

KLEYTON GUALTER

Quadra S 15 Rua 7 numera 39, Sobradinho-Ba

publicado em 03 de Fevereiro / 2012 às 10:30

Espaço do Leitor: Uma tribuna para o povo!

Geraldo,

Eu tenho postado alguns comentários em seu blog expondo a minha opinião sobre alguns fatos políticos que ocorrem em nossa Juazeiro, tem me deixado preocupado alguns comentários em referencia ao publicado.

Vejo que algumas pessoas tem confundido obrigação com favor, quando colocamos um cidadão para nos representar tanto no legislativo quanto no executivo, é obrigação do mesmo de no mínimo fazer o que prometeu em campanha e infelizmente não é o que ocorre no momento em nossa querida Juazeiro, falo isso não só em relação ao Sr. Prefeito, mais em relação a todos políticos (ex-prefeitos/vereadores/deputados).

Quando critico a administração do Senhor Prefeito ou até mesmo dos senhores políticos de uma forma geral, faço no intuito de informar e de certa maneira ajudar a nossa população a discernir as coisas com  a mesma clareza. Claro que o Sr. Prefeito tem prestado alguns serviços a nossa comunidade, mas está devendo muito em relação ao que ele prometeu em campanha assim como esta muito aquém em referencia aos milhões que tem recebido. É obrigação, e não favor, do executivo prestar contas à população do que recebeu e o que fez com estes recursos e infelizmente não é isto que nos vemos nesta administração.

Muitos juazeirenses como eu, felizmente, tem usado o espaço em seu blog como uma tribuna do povo para cobrar, dar opiniões e tecer críticas a este governo. Porque, infelizmente, a tribuna da casa do povo no legislativo que é para ter este papel, nos últimos anos só tem servido para honrarias e baixarias entre nossos vereadores.

Não tenho paixão política por nenhum grupo, tenho sim, amor por minha cidade, e não posso ficar quieto diante de tanta irresponsabilidade que tenho visto. Desculpem-me alguns internautas que por terem uma visão destorcida ou até mesmo por uma paixão política não conseguem enxergar a verdadeira realidade de nossa cidade.

Outra questão é sobre as obras em ano eleitoral, claro que tem que continuar com tais obras, agora não acho certo é, que faltando alguns meses para acabar o Governo a prefeitura comece a divulgar na mídia uma série de atitudes que vai tomar em referencia as melhorias para nossa cidade.

Fica difícil para população acreditar, como dizer a esta população que só agora depois de mais de 03 anos  conseguiu elaborar um plano para atrair empresas, que só agora conseguiu recursos para combater a dengue/pernilongos nos sofridos povoados, que só agora vai cuidar do básico que é limpeza de ruas, tapar buracos etc.  

Este Governo está ai a mais de 03 anos recebendo recursos e apoio tanto do Governo Federal quanto do Estadual, cidades com muito menos apoio tem feito um governo bem melhor que o de nossa Juazeiro. Aqui também gostaria de incluir alguns dos nossos vereadores, que passaram todos este tempo omissos e submissos.

Na minha humilde percepção estou vendo a cada dia a nossa cidade retroagir, seja no campo da cultura, agricultura, saneamento, conservação de ruas e praças, segurança etc. Isto só para ficar em alguns exemplos, porque se for explanar aqui o que vejo de errado com certeza iria ocupar muito espaço.

Já falei algumas vezes aqui neste blog que a população não pode ter medo do novo, de inovar, não é porque uma mudança não deu certo que temos que continuar no mesmo erro ou retroagir aos erros do passado, e nem tão pouco, achar que é novo quem ajudou a muitos a fomentarem estes erros. Com certeza Juazeiro tem pessoas do bem, pessoas que querem transformar sonhos de nossa população em projetos concretos. Vamos continuar na busca de pessoas que realmente pense mais no povo. O bom da Democracia é que ela nos da esta oportunidade de colocar e tirar do poder aqueles que querem o poder para si e pouco se importa com o povo.

Não é uma utopia termos políticos que pensem e façam alguma coisa pela população, isto acontecer é uma opção nossa. Como sempre falo, vamos repensar nossa cidade e nossos políticos. Infelizmente nossos políticos, com raras exceções, ainda vivem no tempo do coronelismo, achando que um pouco de circo e pão compram a dignidade dos cidadãos.

Já dizia o poeta “Sonho que se sonha só. É só um sonho que se sonha só. Mas sonho que sonha junto torna-se realidade”.

Julio Almeida

publicado em 02 de Fevereiro / 2012 às 20:30

ESPAÇO DO LEITOR: BALAIO DE GATO.

Como curioso na universidade da vida estive a contemplar o momento político nesta cidade efervescente de Juazeiro-Ba., em especial nos reflexos que a mudança causou nos conceitos de ideologia partidária.

Passei dias observando e tentando entender os passos políticos e partidários dos "graduados" em política de Juazeiro, entrei em paranoia, passei noites insones, tomei calmantes, mas enfim acho que consegui captar os desejos ocultos dos navegantes da nau eleitoral de 2012.

O resumo de toda opera se sintetiza num só desejo entre as oposições -destronar o vaqueiro - só que para isto estão acontecendo fenômenos sobrenaturais de estremecer e fazer endoidar mente sã.

Aglomerações e "turmas" estão se ajuntando em bandos que afrontam qualquer raciocínio lógico - Vasco com Flamengo, Bahia com Vitória, Corinthians com Palmeiras, tudo para tentar tirar a mudança do rumo.

O PT em crise existencial - ser ou não ser - saio ou fico- ergo a ou o Bandeira ou desço do mastro - ao passo que Joseph Bandeira tenta sobreviver sendo que para isto está buscando um lugar na chapa majoritária para Edson Tanuri que foi (?) (pelo menos seu genitor) adversário ferrenho de Bandeira, tendo este fazendo o papel de amealhar soldados para a guerra, distribuindo "afagos" para presidentes de partidos locais reacreditarem em Joseph, coisa que nem o próprio PT seu partido faz.

O DEM de JK e meia dúzias de resistentes continua aqui como sempre, meio fusca 1976 meio corcel 1974, sem definir nada, andando com todo mundo e ficando pra trás, não pode marchar com o PT, com PCdoB e nem com nenhum partido da base governista, sob pena de atrapalhar planos futuros, sonhou com candidatura própria -acordou- agora parece que sumiu do mapa, era cortejado,protagonista, agora , novamente, parece que vai virar mero contra regras do espetáculo.

O PMDB da incógnita Misael, (que não se decide) e diz que apoia Edson Tanuri que por sua vez sonha com a vice de Bandeira, então Misael Apoia Bandeira e então o PMDB também? O PMDB voltara para o lugar em que saiu dizendo que Bandeira não honrava compromissos? Osanah foi secretário de Bandeira e expulso do cargo, agora volta para os braços de quem não o amou? Misael e Joseph no mesmo palanque, Bandeira que o chamou de... E Misael que o chamava de...!!!!!! Que tsunami político...

O PV de Edson Duarte começou forte, mas agora está no estágio mediano sendo penalizado pela indecisão dos grandes partidos, e pela ferocidade dos pequenos. Os outros partidos estão ai de boca aberta aguardando o cardápio, conversa-se muito, afagos aqui e ali, mimos aqui e ali, promessas e o "esquenta" eleitoral vai ficando mais forte.

Enquanto isto o PCdoB mesmo com todos os desgastes e rejeição parece tonificar o vaqueiro para mais uma disputa eleitoral, os velhos não se decidem e os novos se embolam nos velhos, e o vaqueiro começa a tocar seu berrante, eita Juazeiro.

Este é o cenário. É ou não é um balaio de gatos?.

Eurico Canavieira Franco - Country Club - Rua Almirante Crockane 28.

publicado em 02 de Fevereiro / 2012 às 09:40

Espaço do Leitor: Obra no João Paulo está mais uma vez parada.

Prezado Geraldo José,

A obra de reforma da Avenida Shefic Khoury está mais uma vez parada. Gostaria de saber do Poder Público qual é a desculpa dessa vez, já que a Secretaria de Serviços Urbanos, a Sra. Célia Regina Carvalho Barbosa disse no programa Sem Fronteiras que a obra tinha prazo de 30 dias para ser concluída.

O prazo esgotou e a obra está parada. A população não aguenta mais tanta demora para a conclusão desta avenida de grande importância para estes bairros João Paulo II, Antonio Guilhermino e Parque Residencial. Até quando vamos ter que viver este sofrimento?

Murilo Ricardo Rocha

publicado em 01 de Fevereiro / 2012 às 17:30

Espaço do Leitor: Por quê Juazeiro cresce?

Está aí uma pergunta danada de interessante. Por quê Juazeiro cresce? Quem são os propulsores que vêm alavancando o seu desenvolvimento nos últimos anos? Perguntas simples para respostas que podem nos levar a muitas conclusões.

É inegável que a Juazeiro de hoje é mais capaz do que a de ontem. Falamos de uma cidade situada em um local estratégico, onde a mesma é uma das principais referências da região, muito por conta da vocação agrícola que impulsiona o Vale do São Francisco para todo o mundo.

Por conta dessa geografia, Juazeiro é também uma importante rota entre o Nordeste e o Sudeste do Brasil, gerando um fluxo rotativo e constante de visitantes na cidade.
 
Outro ponto que merece destaque é o educacional. Apenas com a Uneb, Juazeiro já trazia gente de todo canto do Brasil para estudar aqui. Fenômeno esse, potencializado hoje com o advento da Univasf. São muitos os estudantes que vêm gastar seu dinheiro em nossa região.

Não menos importante, uma grande usina de cana de açúcar situada na cidade é uma das maiores empregadoras de Juazeiro, responsável pela migração da mão de obra de diversos pontos do país.

Então, como pode-se observar, Juazeiro é uma cidade de muitas potencialidades, que a cada dia que passa, são mais exploradas principalmente pela iniciativa privada, que vê aqui, um importante polo consumista em todos os setores. Aliado a isso, vivemos no Brasil uma situação econômica muito interessante, onde todas as  classes sociais tiveram o seu poder de consumo sensivelmente elevado, e esse fenômeno traz como consequência o aquecimento de toda a nossa economia.

Desta forma, a convergência de todos esses vetores, eleva nossa cidade ao patamar de um grande polo de consumo de modo a atrair todo tipo de investimento. Desde o setor imobiliário que tem investido em grandes empreendimentos, às grandes redes de supermercado ou lojas de departamento tal como Atakadão, G-Barbosa, Lojas Americanas e Casas Bahia; às agências bancárias que têm se multiplicado, entre outros investimentos do gênero. Até um Shopping de grande porte para os padrões locais já se comprometeu em se instalar aqui e trazer consigo uma outra gama de investidores e empreendimentos.

Mas o que tudo isso tem haver com a política local? Na verdade, muito pouco. A cidade tem dado sinais de vida própria e claramente passa por um processo de crescimento independentemente de quem seja seu administrador. O problema é que esse crescimento se dá de forma desordenada justamente por falta de políticas públicas que planejem e organizem esse crescimento. Não temos um plano diretor, não temos a bendita zona azul, não temos vias bem cuidadas, limpas e sem buracos, o lado social da cidade foi abandonado, não temos investimentos do próprio município, e por aí vai.

Então, o que temos? Temos uma cidade que apesar de tudo, cresce! E temos um gestor que tenta de todas as formas pegar carona nesse crescimento, já que seu governo inerte quase nada fez, e seu grau de rejeição é altíssimo para quem busca uma reeleição. É comum vermos o representante do executivo em todas as inaugurações desses investimentos privados, na expectativa de se ganhar pontos com a opinião pública. Mas os investimentos são de ordem particular. É bem verdade que a Prefeitura pode conceder um programa de isenção fiscal para ajudar a atrair esses investidores, mas  mesmo sem essas manobras, as coisas aconteceriam porque como já disse, o fluxo de consumo em Juazeiro é o grande foco. A nossa economia é o grande fiel da balança.

Enfim, não se enganem com um belo carnaval com grandes atrações em ano de eleição. Não se enganem com aparições públicas junto a investidores. Não se enganem com obras federais ou estaduais. Nossa Prefeitura e Câmara fizeram muito pouco nesses últimos três anos. Só não vê quem não quer enxergar!

Júnior Silveira

publicado em 01 de Fevereiro / 2012 às 10:30

Espaço do Leitor: Candidato protesta contra concurso da saúde em Juazeiro

Em 26 de janeiro deste ano foi aberto o edital para o concurso da área de saúde pela prefeitura de Juazeiro só que tem alguns quesitos que não entendo. Na área de enfermagem não vem especificando o local de trabalho se é no CAPS, PSF, MATERNIDADE, HOSPITAL DA CRIANÇA, SAMU OU UPA, ou seja, quem for aprovado pode trabalhar em qualquer lugar independente da vocação, experiência ou especialização, dependendo apenas de interesses políticos.

Nem venham me dizer que os aprovados vão ser locados de acordo com o perfil, pois depois de aprovado a prefeitura pode colocar onde bem entender, pois no momento da inscrição não foi identificado o local de concorrência.

Vejamos o que pode ocorrer; quem for especialista em saúde mental pode trabalhar na maternidade; quem for especialista em obstetrícia pode trabalhar no CAPS, Imagine só o caos! Comparando com a medicina é como se um médico ortopedista fosse aprovado para realizar cirurgias oftalmológicas.

Porque não se refaz esse edital e cola como prerrogativa para inscrição ser especialista na área do local de concorrência, ou pontuação diferenciada se especialista na área, e indispensavelmente o local de concorrência.

Grato pela atenção.

Paulo Márcio Ferreira

publicado em 01 de Fevereiro / 2012 às 09:40

Espaço do leitor: Onde está o dinheiro?

Cadê o dinheiro do décimo terceiro dos funcionários da Prefeitura Municipal de Juazeiro? Hoje, 01 de fevereiro, carnaval começa amanhã e nada! Será que hoje sai o décimo? Tomara! Ou será que ele está investindo no pagamento dos trios? É direito do trabalhador receber seu décimo terceiro salário, é a lei que na está sendo cumprida...

Célia Lima

Pagamento Abono Salarial

A Secretaria de Administração e Finanças informa que conclui hoje (1), o pagamento do 13° salário, de todos os servidores da Prefeitura Municipal.

Assessoria de Comunicação/PMJ

publicado em 31 de Janeiro / 2012 às 10:30

ESPAÇO DO LEITOR: JUAZEIRO O QUE SOMOS? O QUE SEREMOS?

“O IBGE nos rebaixou, mas com toda lucidez possível e sem ‘ufanismo” podemos afirmar: somos muito mais de 200 mil habitantes. Ainda em 2008 éramos 119 mil eleitores, em outubro de 2012 seremos quase 130 mil.

Mas o que somos de verdade? A terra da música, da cultura? Da navegação? Do melão? Da uva e da manga? Do umbu? Da indústria e comércio?

Juazeiro cresceu muito, poderia ter crescido mais, hoje temos a Universidade Federal do São Francisco, seu campus em Juazeiro tem o melhor centro de multi eventos do nordeste.

Indústrias, grandes redes internacionais de atacado e varejo, agências bancárias se instalam em nossa terra. Sem falar em obras federais como o projeto Salitre, minha casa minha vida, outros grandes empreendimentos imobiliários se anunciam.

Mas será que juazeiro caminha para ser uma outra Feira de Santana? Grande mais sem alma, sem alegria, sem cultura, sem identidade. Feira tem quase 600 mil habitantes, uma senhora cidade que serve de passagem para Salvador.

O nosso carnaval esta ai com seus blocos de pagode, "estereotipados", "arquétipos" do carnaval do racismo velado de Salvador, onde a maioria da população negra segura corda para brancos dançarem em segurança. A música é a pior possível, uma verdadeira "miséria cultural" incentivada pela televisão e o rádio. Tudo motiva o sexo barato e vulgar e a violência. Aliás, no Brasil a música morreu há tempos, somos mesmo um país "brega" de "ai se eu te pego".

Salvador vai homenagear Jorge Amado e Juazeiro? A música do carnaval fala em Ivete Sangalo, João Gilberto, Galvão e Daniel Alves, mas os foliões  não estão nem aí para esse tipo de homenagem ou sentimento, nem a população como um todo tem mais nenhuma emoção.

Qual será o momento maior do nosso carnaval? O que poderemos mostrar de verdadeiramente nosso para a Bahia e o Brasil?

Não somos a terra da "bossa nova" o oitentão João Gilberto é do mundo, mas apenas nasceu aqui.

Juazeiro não é a terra do carnaval, Ivete Sangalo é a rainha do carnaval de Salvador, nem aqui vem mais.

Juazeiro não é a terra do futebol, Daniel Alves só jogo 10 minutos aqui e o Juazeiro já levou quatro lapadas e caminha para o rebaixamento por causa de brigas políticas.

Sem porto, sem ferrovia, vamos para o futuro? Tomara que com alguma fé em Nossa Senhora das Grotas para que esta grande multidão que sempre vai para as ruas, nos carnavais, na frente dos trios elétricos, possa levar um pouquinho de emoção, amor e paz, apesar das músicas "hediondas".  

"Sei lá" Juazeiro, o nosso carnaval tá uma "Batata" veloz que nem uma "Rural".

Que o "Cabaré das Ilusões" nos salve! E o palco alternativo da rua da 28 também.

"Recordar é viver".

Juarez Bahia

Foto de Harisson Feeling no Wikipédia, a enciclopédia livre.
publicado em 30 de Janeiro / 2012 às 21:40

Espaço do Leitor: “Não dá para suportar mais...”.

A Compesa está brincando com a população de Petrolina! Haja vista o descaso que existe no bairro Cosme e Damião. Quero levar ao conhecimento da população de Petrolina, que aqui no bairro existe uma boca de lobo estourada há mais de 20 dias e a Compesa não faz nada, mas não faz porque não sabe fazer.

A Compesa já esteve neste ponto mais de 15 vezes e nunca deu uma resolução definitiva para o problema. Por favor, ajude a nossa comunidade, vereadores, Governo do Estado saiam do lugar de conforto ede fato, lutem por nós.

S]ao crianças doentes, transporte coletivo prejudicado, uma fedentina horrível, muitas muriçocas, não dá mais para suportar!

E só de pensar que nós ainda pagamos uma taxa de esgoto caríssima dá uma dor no coração...

Estou enviando umas fotos do local e espero que as mesmas sejam divulgadas. O local é rua 12, bairro Cosme e Damião, ao lado da igreja Católica, área central do bairro.

João Pedro Tavares

publicado em 30 de Janeiro / 2012 às 07:00

Espaço do Leitor: Assembleia da PMBA.

Meu caro Geraldo José,

Antes de tudo quero agradecer pelo espaço dado a todas as opiniões a você destinada independente sem distinção de qualquer natureza, credo ou condição social. Mesmo sabendo que esta não é uma virtude, mas dever de todos os cidadãos e nós servidores públicos e você representante da imprensa devemos obrigatoriamente seguir esta linha. Sabemos quem muitos não a seguem e estes sim estão errados e devem ser corrigidos. Vivemos em estado democrático de direito e assim devemos praticar e democracia com toda sua força e plenitude.

Mas meu caro Geraldo José, o que me faz mais uma vez escrever ao seu blog é simplesmente a intenção de esclarecer a toda população juazerense e em especial aos policias militares, sobretudo os praças de nossa querida e amada PMBA que a defendo e sirvo há quase duas décadas com muito prazer e orgulho. Estamos nos avizinhando de uma grande assembleia para definir o nosso futuro de nossa família, (esposas, esposos e filhos e etc). Sem nenhum tipo de distinção e longe de mim qualquer discriminação a outras instituições púbicas.

Somos o único braço do estado que estamos em 100% do nosso território, somos aquela instituição que chega quando todos se foram, assim somos policiais e bombeiros militares, para citar alguns exemplos recentes e resfriar nossa memória cito, por exemplo, a pacificação dos morros cariocas e claro das favelas baianas, quem está à frente destes eventos? É fácil a PM; Quem não se lembra das tragédias ocorridas nos estados do Rio de janeiro há exatamente um ano? E a queda essa semana dos prédios também no RJ, quem esta lá dia e noite? Bombeiros! Homens e mulheres que colocam suas vidas para salvar vidas alheias. Assim é nosso lema. Assim é nossa vida.

Mesmo fazendo essas ações que nos enchem de orgulho, mesmo sabendo que uma vida não tem preço, precisamos sobreviver precisamos viver com dignidade nossa missão nos impõem uma certeza. Saímos de casa sem ter a certeza de que podemos ou não voltar. Pois a violência que assola nosso país nos põe diretamente na linha frente (SD, CBs e SGTs). Alguns oficiais que visam apenas suas promoções e seus cargos muito bem gratificados com muitas benesses dizem que os policias militares não podem fazer greve, não é verdade! Podemos sim.

O advogado Dr.Tácito Alves, um dos maiores juristas do Brasil, explica e confirma que possuimos este direitos sim! Conforme o Projeto de Emenda Constitucional, de numero 337/04, que permite aos militares o direito de greve e de associação, na qual foi decidido pela sua admissibilidade, pela Comissão de Constituição e Justiça da Câmara dos deputados, em 2007. Para que possamos prestar um serviço digno e que esteja a altura do anseio do nosso povo.

Necessitamos estar tranquilos para assim prestar um serviço melhor à nossa população. Geraldo e amigos, existe possibilidade de protegermos a sua família sem termos se quer segurança para a nossa? Claro que não! Temos muitas necessidades as quais são ignoradas pelo governo e pelo comandante geral não apenas de nossa PMBA, as mazelas que vivemos na Bahia são as mesmas vividas por toda as PMs do Brasil. Talvez por isso segurança é a maior preocupação do nosso povo.

Pode um profissional de segurança, prestar segurança sem princípios fundamentais?
1.Com um salário de um policial é suficiente para garantir a segurança da sociedade e, principalmente, a sua? R$ 622,00 o resto e gratificação e defasada. Cadê a GAP V? as promoções de praça promessa desde 1997.
2. Como manter o controle emocional quando se trabalha em condições desumanas? Pressão de regulamento de quase 200 anos.
3. Carga horária exaustiva influencia no mau atendimento ao cidadão? 24x72hs quando o certo deveria ser 24x96
4. Alguém sabe dizer se existem pressões, ameaças e assédio moral dentro de delegacias, presídios e batalhões contras seus respectivos funcionários subalternos? Isso é coisa corriqueira
5. Você tem certeza que quer homens armados nas ruas que vivam diuturnamente sob as circunstancias relatadas acima? Sim, somos tratados como animas dentro dos quarteis, talvez por isso muitos policias são violentos com a população sobretudo os mais carentes, a velha lei da ação e reação.
6. Quem ganha mais quando se investe nos servidor público, ele mesmo ou a sociedade? A sociedade é sempre a mais beneficiada, quanto ganha um policial nos países desenvolvidos? Cerca de dez vezes mais do que nós.
7. Qual o perfil de profissionais da segurança que queremos – e precisamos! – para lidar com a sociedade? Precisamos de uma policia mais preparada e reconhecida pelo poder publico.
09. Direitos Humanos: Você lembra de algum órgão publico ou ONG que defenda os direitos dos policiais? Resposta Não!

Atenciosamente,

Paulo Santos - Diretos da ASPRA - Associação de Praças

E-mail: paulosantos.30@hotmail.com

publicado em 28 de Janeiro / 2012 às 11:00

ESPAÇO DO LEITOR: PASSOU O MANDATO E O PREFEITO NÃO CUMPRIU A PROMESSA.

Olá Geraldo José,

Amigo nós moradores do Loteamento Eldorado estamos mais uma vez te enviando essa mensagem para que a população de Juazeiro, tenha conhecimento do não comprometimento desse que se diz prefeito junto  a população de Juazeiro.

Vejamos você e toda população sabe há muito tempo que nós moradores do Loteamento Eldorado estamos cobrando o calçamento de três ruas que ficam praticamente no centro da cidade, próximo ao Hiper Gbarbosa e a Nova Caixa.

Pois bem, ele veio aqui há três anos juntamente com o vereador Mitonho Vargas e nos prometeu o calçamento, segundo o mesmo só faltava a licitação.

Primeiro o mesmo e sua secretária Célia Regina, disseram que era uma emenda do deputado Joseph Bandeira e na última entrevista à rádio Juazeiro a secretária disse que iria retomar o calçamento ainda esse ano, mais sabemos que o prefeito só poderá realizar obras até o mês de junho, e aí fica a pergunta será que esse gestor merece ser reeleito?

Peço ao povo de Juazeiro que julgue com a razão e não por interesse próprio, pois devemos viver em bem de uma coletividade e não individualidade.

Hoje sei que ele não tem comprometimento com o povo e sim com algumas pessoas que estão ao seu lado, é só ver a situação de nossa Juazeiro para ver que ele não tem condições nenhuma de administrar  uma cidade do porte de Juazeiro. Muito obrigado e o povo do Loteamento Eldorado agradece o seu apoio.

Fica com Deus.

Luciano Medrado

publicado em 27 de Janeiro / 2012 às 11:00

Espaço do leitor: "Símbolos do futebol de Juazeiro".

 
Caro Geraldo José,
 
Ainda consternado e com a tristeza que me abate e a muitos juazeirenses pela perda do nosso "Cabôquinho", peço-lhe a gentileza de publicar esta foto onde ele está ao meu lado juntamente com outro valoroso símbolo do futebol da nossa terra, meu amigo, mestre e treinador dos tempos do Olaria, Padeiro.
 
A foto foi tirada em 30/junho/2010 quando fui à casa do Bartolomeu buscá-lo e com Vevé ainda vivo fomos até Padeiro para uma sessão de fotos. Reunidos na sala, eu, Vevé,  Mundoca, Cabôquinho e  Padeiro, cobrei dos dois Mestres o histórico de suas andanças pelo futebol ainda em vida pois quando partissem, sem eles a poeira do tempo se encarregaria de apagar fatos e acontecimentos importantes.
 
Cabôquinho, meu amigo desde quando eu com meus 8 anos, vivia cercando-o e a outros do seu tempo, Tugudú, Palito, Adonaí, Zé Rapadura, Queixinho, Tôzinho, nos treinos no Adauto Morais, para que me dessem os meiões velhos com os quais eu fazia as bolas de meia.
 
Padeiro que nunca fez pão na vida, era o mestre sim, na arte do couro, sapateiro tarimbado que calçou pés de muitos craques.
 
A primeira vez que calçei uma chuteria zero km foi feita por ele.
 
A filha Lia me disse que ele botou os pés na calçada da fama. Na verdade, as mãos tambem deveriam lá estar como verdade histórica. Obrigado.
 
Rio de Janeiro, 25/janeiro/2012, 
 
José Gomes (Déda, Bigodinho)
publicado em 27 de Janeiro / 2012 às 06:30

ESPAÇO DO LEITOR: “O GOOGLE STREET" EM JUAZEIRO E A MAIS NOVA FOTO DA TERRA.

Geraldo,

Como o seu blog tem sido uma vanguarda na comunicação ágil, saindo na frente de muitos, aí está a nova sensação do momento, capa de revistas por todo o mundo, primeira foto da terra feita pelo satélite americano SUOMI NPP, em alta definição. Dizem as revistas que é a mais nítida em todos os tempos.

Em tempo: Há mais de uma semana um técnico do Google está em juazeiro, hospedado no Grande Hotel, com um veículo equipado mapeando nossas ruas para o "Google Street". Finalmente vamos para o mundo virtual.

Abraço,

Maurício Dias

publicado em 26 de Janeiro / 2012 às 13:30

Espaço do Leitor: Comunidade de Poço de Fora em Curaçá reclama implantação do programa Luz Para Todos.

Sou proprietário de um sítio no povoado de Poço de Fora, mais precisamente na Fazenda Poço de Dentro, município de Curaçá. Aqui moram mais de trinta famílias. Famílias estas esquecidas pelas autoridades.

Em 2004 foi aprovada a implantação da rede elétrica, dentro do Programa Luz para Todos, e até hoje não foi feito nada, apesar de terem se passado oito anos. A rede elétrica fica a 2 km do povoado. Então não entendemos o porquê da demora. Será o fato de aqui ter poucos votantes? E o lado do ser humano, não conta?

Neste período de seca, o sofrimento é muito grande.Aqui, água só quando o exército abastece com os carros pipas, que não atendem às necessidades da população. É triste ver as criações morrendo! Quem tem condições compra água e quem não tem?

Será que o prefeito de Curaçá não tem conhecimento do que está acontecendo aqui? Quantos mais terão que abandonar suas terras? A barragem do Poço Grande apresentou um furo há dois anos e não foi tomada nenhuma providência por parte do poder público.  

Senhor salvador Lopes, água e energia, é o mínimo que se pode oferecer para que esse povo possa viver com dignidade. Temos fé de que seu coração será tocado e tudo será resolvido.

Wilson Miranda da Silva

publicado em 26 de Janeiro / 2012 às 11:00

ESPAÇO DO LEITOR: O QUE SIGNIFICA A SIGLA S.O.S BA-210 PARA SENTO-SÉ?

Venho mais uma vez chamar à atenção dos políticos da região do vale do são Francisco e da Bahia, no sentido de buscar melhorias em uma estrada que mais parece uma forma de castigar o povo do norte baiano, melhor dizendo de Sento-Sé.

A BA-210, que liga Sento-Sé a Sobradinho, está muito ruim. Temos 100 km de puro sofrimento. Se a viagem é de ônibus entra muita poeira e demora quase 06 horas para percorrer 200 km até Juazeiro. Se é de carro pequeno, quando não quebra, fica o medo do carro derrapar na parte que foi patrolada, sem esquecer dos  assaltos que ocorrem, por motivo do carro não poder atingir uma velocidade compatível com a via, além da falta de segurança por estar quebrado devido os buracos no decorrer da BA.
 
Vocês pediram votos, tiveram votos e agora fazem de conta que nada devem ao povo deste pacato e hospitaleiro lugar? Hospitaleiro vírgula, quando tinha estrada boa para os turistas e pessoas que aqui tem algum tipo de vida financeira ativa, até porque já existem relatos de empresários locais de que certas transportadoras não aceitam mais cargas para Sento-Sé.

Não tiro a razão, porque se você paga impostos quer estradas boas, mas infelizmente por pura incompetência dos governantes não as tem? É melhor não arriscar perder o que já construiu com suor e dedicação.

Peço ao Sr. Governador, que por enquanto me privo de dizer o nome até porque todos já sabem, que olhe para o povo da nossa cidade. Nós só queremos a recuperação da BA-210, trecho entre Sento-Sé e Sobradinho. No mais, pode trazer as empresas que vocês querem para Camaçari, podem trocar os cargos de confiança que quiserem, podem se aliar a partidos que antes eram chamados de oposição, mas não esqueça que este povo que lhe deu mais uma oportunidade de ser diferente do governo que nada fez por nossa região há tempos atrás, pode ser o mesmo povo que fará o que estiver ao alcance para mudar mais uma vez até um dia acertar, pois somos brasileiros, não desistimos nunca.

Fica aqui o desabafo de um cidadão sentoseense em favor dos seus amigos, colegas e interessados em ver a cidade mais uma vez crescer e vencer em nome do seu povo.

Por amor a Sento-Sé.

Joãozinho do Japão

Obs: Só queremos a recuperação da BA-210, nada mais.

publicado em 25 de Janeiro / 2012 às 15:40

USUÁRIO RECLAMA DO ATENDIMENTO DA COELBA EM JUAZEIRO

Geraldo José,

Sou Edinaldo Bezerra Pereira, leitor do seu blog, vejo ele como uma ferramenta da comunidade sanfranciscana para garantia dos seus direitos. Gostaria muito que Senhor divulgasse essa denúncia, pois sei que muitas famílias também estão tendo seus direitos cancelados nesse loteamento que não ha energia elétrica.

Minha mãe mora em casa alugada e comprou um terreno e construiu sua tão sonhada casa, mas necessita da energia para que possa mudar. A casa fica localizada Rua 08, n° 15. Loteamento Barranqueiro II bairro Alto do Cruzeiro em Juazeiro-BA.

Por isso resolvi comunicar minha insatisfação em relação ao atendimento da Coelba em Juazeiro, há quase 4 meses que estamos tentando junto a empresa a ligação, mas sempre temos encontrado dificuldade ou falta de interesse da Coelba. Gostaria apenas que fosse atendido um direito que é nosso. Eis a Resolução 414 da Aneel que trata dos nossos direito como consumidores e parabéns pelo seu BLOG.

AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA – ANEEL

RESOLUÇÃO NORMATIVA Nº 414, DE 9 DE SETEMBRO DE 2010

Estabelece as Condições Gerais de Fornecimento de Energia Elétrica de forma atualizada e consolidada.

Art. 32. A distribuidora tem o prazo de 30 (trinta) dias, contado da data da solicitação de fornecimento, de aumento de carga ou de alteração da tensão de fornecimento, para elaborar os estudos, orçamentos, projetos e informar ao interessado, por escrito, quando:
I – inexistir rede de distribuição que possibilite o pronto atendimento da unidade consumidora;
II – a rede necessitar de reforma ou ampliação; ou
III – o fornecimento depender de construção de ramal subterrâneo.
§ 1o No documento formal encaminhado pela distribuidora ao interessado, devem ser informados as condições de fornecimento, requisitos técnicos e respectivos prazos, contendo:
I – obrigatoriamente:
a) relação das obras e serviços necessários, no sistema de distribuição;
b) prazo de início e de conclusão das obras, observado o disposto nos arts. 34 e 35; e
c) características do sistema de distribuição acessado e do ponto de entrega, incluindo requisitos técnicos, como tensão nominal de fornecimento.
II – adicionalmente, quando couber:
a) orçamento da obra, contendo a memória de cálculo dos custos orçados, do encargo de responsabilidade da distribuidora e da participação financeira do consumidor;
b) cronograma físico-financeiro para execução das obras;
c) cálculo do fator de demanda, conforme o § 7o do art. 43;
d) detalhamento da aplicação dos descontos a que se refere o § 9o do art. 43;
e) detalhamento da aplicação da proporção entre a demanda a ser atendida ou acrescida, no caso de aumento de carga, e a demanda a ser disponibilizada pelas obras de extensão, reforço ou melhoria na rede, conforme disposto no art. 43.
f) informações gerais relacionadas ao local da ligação, como tipo de terreno, faixa de passagem, características mecânicas das instalações, sistemas de proteção, controle e telecomunicações disponíveis;
g) obrigações do interessado;
h) classificação da atividade;
i) tarifas aplicáveis;
j) limites e indicadores de continuidade;
k) especificação dos contratos a serem celebrados; e
l) reforços ou ampliações necessários na Rede Básica ou instalações de outros agentes, incluindo, conforme o caso, cronograma de execução fundamentado em parecer de acesso emitido pelo Operador Nacional do Sistema Elétrico - ONS.
§ 2o Havendo necessidade de execução de estudos, obras de reforço ou ampliação na Rede Básica ou instalações de outros agentes, o prazo de que trata este artigo deverá observar as disposições estabelecidas pelos Procedimentos de Distribuição ou Procedimentos de Rede.
Art. 33. O interessado tem o prazo máximo de 30 (trinta) dias, após a data do recebimento das informações de que trata o art. 32, para manifestar, por escrito, à distribuidora sua opção por:
I – aceitar os prazos e condições, estipulados pela distribuidora;
II – solicitar antecipação no atendimento mediante aporte de recursos; ou
III – executar a obra diretamente, observado o disposto no art. 37.
§ 1o No caso do atendimento sem ônus de que tratam os arts. 40 e 41, a não manifestação do interessado no prazo estabelecido no caput caracteriza sua concordância com relação a prazos e condições informados pela distribuidora.
§ 2o Findo o prazo de que trata o caput deste artigo, sem que haja manifestação do interessado sobre a sua opção pela forma de execução da obra, ressalvado o caso previsto no § 1o, o orçamento apresentado pela distribuidora perde a validade.
§ 3o O pagamento da participação financeira do consumidor caracteriza a opção pela execução da obra de acordo com o orçamento e o cronograma apresentados pela distribuidora.
Seção V
Dos Prazos de Execução das Obras
Art. 34. Satisfeitas, pelo interessado, as condições estabelecidas na legislação aplicável, a distribuidora tem o prazo máximo de 45 (quarenta e cinco) dias para iniciar as obras, observado o disposto no art. 33.
Parágrafo único. Tratando-se de obras enquadradas no § 2º do art. 32, devem ser observadas as disposições estabelecidas nos Procedimentos de Distribuição ou Procedimentos de Rede.

Atenciosamente,

Edinaldo Bezerra Pereira - Téc. em Segurança do Trabalho

publicado em 25 de Janeiro / 2012 às 07:40

Espaço do Leitor: Ideias sobre Juazeiro.

Investimentos: para atrair investimentos de qualidade e em quantidade é necessário o município fazer a lição de casa. Com a cidade em frangalhos com vias públicas e logradouros abandonados, mesmo assim  temos a expansão do G BARBOSA, a promessa do Shopping,a filial da BARI,a promessa da instalação do supermercado  WALMART, imagine com a melhoria da infra-estrutura física como seria importante para ampliar empreendimentos privados locais e externos,passando a competir melhor com a “capital” vizinha.

Educação e capacitação de mão de obra: são elementos motrizes para o pleno desenvolvimento regional emprego e ocupação de mão de obra ociosa. Ex. o colégio GEO preponderantemente tem professores de Petrolina por faltar candidatos qualificados em Juazeiro.

Esporte e Turismo: o povo de JUAZEIRO tem elevada aptidão em todos esportes, seja futebol, natação, atletismo, artes marciais, tendo em vista as olimpíadas no Brasil esse potencial poderia ser melhor explorado, concorrendo para diminuir a atração dos jovens pelas drogas e criminalidade.

O povo desta terra, que já forneceu tantos talentos musicais e artesãos e outros artistas, além das belezas naturais, no aspecto humano é um povo alegre e cordial, dando à região plenas condições para desenvolver um grande turismo cultural, agroturismo (como faz a Miollo em Casa Nova), esportes náuticos, ecoturismo etc.

Centro urbano: a cidade por ser antiga e apresentar ruas estreitas, poderia se contemplada com projetos para transformá-las em calçadão e transferir o centro administrativo para outra área descongestionada do centro.

Transito: é caótico sem policiamento e de vias danificadas, mal conservadas e mal pavimentadas o que ajuda a desorientar as pessoas. É necessário fiscalização de trânsito nas principais vias como forma de coibir abusos, reduzir acidentes e facilitar a mobilidade sem tanto stress. Muitas ruas não obedecem ao padrão em sua largura e não possuem calçamento, mesmo em zonas de expansão de condomínios. Ex: Piranga, Pedra do Lorde.

Em suma a cidade precisa de um poder público comprometido com a população que exerça seu papel de planejador e execute ações com competência, honestidade com visão de futuro com relação às suas responsabilidades e anseio (mesmo que oculto), direitos da população. Dado o papel relevante que Juazeiro merece cumprir e representa para a Bahia e a região são franciscana.

Os políticos locais e estaduais, lideranças empresarias, entidades de classe, universidade e organizações da sociedade em geral precisam pensar Juazeiro e seu entorno com visão de futuro e melhorias de curto, médio e longo prazo, urge uma ação conjunta com a esfera federal, colocando Juazeiro como projeto-piloto modelo como referencial ações públicas pensando em sua gente e no Estado como um todo.

Se existe algum plano diretor é imprescindível sua execução, senão, deveria ser uma medida prioritária a ser conduzida pelo poder público e a sociedade.

Petrônio Campos de Oliveira

publicado em 24 de Janeiro / 2012 às 10:30

Espaço do Leitor: Um shopping para salvar uma eleição!

Algumas pessoas e o próprio prefeito andam confundindo as coisas, claro que este empreendimento é importante para a região,  e com certeza ele não está vindo pela " bela" administração do Sr. Prefeito, está vindo devido ao crescimento natural de nossa região.

O Sr. Prefeito e toda comunidade sabem quais são os deveres e obrigações do poder público, obrigações estas que a administração atual tem relegado ao segundo plano. O que notamos é uma cidade crescendo desordenadamente, uma cidade que tem seus espaços públicos tomados pela iniciativa privada e o poder publico nada faz, uma cidade que até pouco tempo era referência nacional no vale do São Francisco e hoje não passa de uma coadjuvante da cidade vizinha.

Uma prefeitura que pouco ou nada faz pelo social, uma prefeitura que abandonou por completo a zona rural à própria sorte, uma prefeitura que vive de factoides e propagandas enganosas, em fim, tornou-se um verdadeiro embuste.

E quando comparamos certos números ai é que vemos o desastre que paira sobre nossa cidade. No período de 2001 a 2008 (08 anos) a cidade recebeu do Governo Federal uma media de $780 milhões, só neste governo  de 2009 a 2011 (03 anos) foram despejados em nossa cidade mais de R$ 600 milhões , se mantiver a média do ultimo ano, vamos chegar ao fim deste (des)governo  com a bagatela de R$ 850 milhões, ou muito mais,  só de repasses federais, sem contar com receitas de ICMS/IPTU/ISS e outros convênios com o Governo Estadual.

Não estou aqui querendo dizer que os Governos anteriores foram mais generosos com a população em suas obrigações, na verdade, pouco fizeram em relação ao montante recebido. O que eu gostaria é que a população de posse de certas informações tivesse o discernimento para poder avaliar melhor, não só o candidato a prefeito de nossa cidade, mas todos os políticos que ai estão.  

Não é justo o cidadão pagar em dia seus impostos (que não são poucos) e vê constantemente na mídia pessoas reclamando de falta de medicação, lixo e buracos nas ruas, estradas intransitáveis, esgotos a céu aberto, etc etc.

Nos últimos anos não vemos se quer qualquer elogio aos nossos administradores públicos (prefeito/vereadores/deputados/secretários), pelo contrario, se fosse divulgado o que dizem destes senhores com certeza nenhum deles teria coragem de aparecer em público.

E o que deixa mais estarrecido é ver o partido político de Zó e o próprio, compactuando com ações que sempre condenaram, apoiar atitudes que deixariam um ACM envergonhado, usar de subterfúgios para enganar a população, deixar para realizar alguma obra no último ano de mandato achando que o povo é idiota, privar a população de seus direitos durante 03 anos, para usar o mesmo jogo sujo que eles sempre condenaram esperando desta maneira serem reeleitos.

Júlio Almeida

Voltar ao topo
© Copyright Blog Geraldo José. 2009 - 2019. Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do autor.