Blog do Geraldo José - Espaço do Leitor
Vale do São Francisco - 20 de Setembro de 2019
|
Redação: (74) 3613-3479

Espaço do Leitor

publicado em 18 de Novembro / 2011 às 16:40

Espaço do Leitor: Professor tem dúvidas sobre o concurso público da Prefeitura de Juazeiro

Próximo do dia das realizações dos exames do concurso para vaga de professor do Município de Juazeiro-BA, muitas dúvidas dos concorrentes vem à tona, diante disso quero fazer algumas colocações.

O que a sociedade não sabe e que infelizmente alguns colegas de profissão não procuram se informar e cobrar do nosso sindicato APLB são providências em relação a revisão do nosso plano de cargos e carreira, pois o atual é um ENTRAVE para o avanço do profissional em Educação.

Ele não contempla as titulações adquiridas pelos docentes, ou seja, não adianta o profissional gastar dinheiro se especializando, pois não será valorizado pelo Sistema de Educação Municipal. Se ainda fazemos especializações é somente pensando no nosso melhoramento profissional. Necessitamos dos dois: Melhoramento profissional e financeiro.

O salário do profissional em Educação é baixíssimo, que tiver curiosidade basta pesquisar o salário base do Município para professor com 20 horas, sem falar nas precárias condições de trabalho em algumas das nossas Unidades de Ensino.

Segundo a Presidente da Comissão de Fiscalização e Avaliação do Concurso Seduc 2011, aSEDUC pretende implantar, até o final do próximo ano, a revisão do referido plano. Quero ressaltar que o interesse maior nessa revisão é dos profissionais em Educação e que o nosso sindicato APLB deveria está  em processo de discussão com a categoria em relação a revisão do plano em caráter  emergencial, pois as perdas que nós estamos sofrendo em virtude desse desastroso plano é enorme.

Incentivo às tecnologias para os professores através de sobra do FUNDEB é uma ação isolada e não devemos com isso ficar acomodado, pois é muito pouco em relação ao cumprimento de direitos que vai melhorar substancialmente a vida dos profissionais em Educação.

Precisamos abrir uma enorme discussão com nossa categoria, para que possamos rever de imediato o plano.

Revisão já.

Edi Santana Barbosa - Professor da Rede Estadual e Municipal de Educação

publicado em 18 de Novembro / 2011 às 16:10

ESPAÇO DO LEITOR: O IDEAL COMUNITÁRIO

O Dia Municipal do Comunitário instituído por força de lei aprovada pela Câmara de Vereadores de Juazeiro passou despercebido em nossa cidade. Nenhuma ação, nenhum evento, nenhuma solenidade foi desenvolvida com a finalidade de comemorar a data. Apenas um único texto enviado pela comunitária, Maria Nilsa Silva dos Santos.

 O IDEAL COMUNITÁRIO

Apesar dos sofrimentos e das traições,

Apesar do não reconhecimento de muitos em meio às conclusões,

Apesar das incertezas e da incompreensão até mesmo família,

Apesar das derrotas, das marcas tristes que ficam no rosto de muitos,

Apesar das vidas que foram ceifadas por melhorias buscadas,

das lagrimas derramadas, humilhações passadas por portas batidas na cara,

A figura do comunitário ali está.

Lutando, Brigando, Reivindicando melhorias para sua comunidade,

E porque não dizer que também por sua cidade.

Comunitário que mudou a história, e que fez a história,

Comunitário que salvou vidas, que deu vidas,

Comunitário que precisa de você na soma de forças para um mundo melhor. 

PARABÉNS A TODOS OS COMUNITARIOS PELO SEU DIA.

17 DE NOVEMBRO: DIA DO COMUNITÁRIO

Maria Nilsa Silva dos Santos

Presidente da Associação de Moradores da Pedra do Lord e Conselho de Segurança Pública da 76ª CIPM

publicado em 18 de Novembro / 2011 às 10:30

Espaço do Leitor: Ex-atleta sai em defesa do esporte amador de Juazeiro

Caro Geraldo José, 

O tempo fez de mim um ex-atleta. Já não tenho mais a impulsão para enfrentar ataques nas quadras e defender o voleibol de Juazeiro, bem como de Petrolina, como o fiz no passado. Mas sobra-me o amor pelo esporte das duas cidades, com o qual construí boa parte da minha história de cidadão.

É esse amor que me traz até aqui, para reparar uma injustiça feita através de um texto publicado neste Blog pelo nobre Professor José Raimundo (Negão do Edson), o qual tive a honra de conhecer através do esporte, como também a Héber Pontes, George Bandeira e o saudoso Guerrinha, entre outros, ídolos do vôlei no passado.

Juazeiro disputou muitos títulos no esporte amador, é verdade, mas raras vezes encontrou apoio para essas conquistas. A prova disso é que ficou quase 10 anos sem receber os atletas das cidades vizinhas, nos chamados zonais, que classificavam para as etapas finais. Aliás, nas etapas finais do Interiorano baiano, era comum passar horas buscando um lugar para tomar banho, pois nos alojamentos não havia estrutura, dormíamos em salas de aula, e tínhamos que viajar no “Bororó” da Famesf, levando pratos e talheres, como aconteceu em Feira de Santana e Itabuna, nos anos 90.

Se Juazeiro participava desses jogos, isso se devia muito mais a personagens como o citado Guerrinha e alguns outros nomes que muitas vezes custearam os atletas do próprio bolso. Talvez disso, muitos não se lembrem mais. Por isso, discordo do professor José Raimundo, que suponho, olhando as coisas de um lado político, compare o passado de glórias esportivas de Juazeiro com, no seu ponto de vista, o fracasso nos jogos deste ano. Não houve fracasso, para mim, houve uma grande vitória, só em ter de volta algo que há algum tempo não acontecia.

Tive a oportunidade de conviver nos mais diversos espaços esportivos da região, e em Juazeiro, sempre houve dificuldade para um simples treino, pois só havia uma quadra coberta, a do ginásio de esportes. Na direção contrária, a vizinha Petrolina, foi produzindo seus espaços e cultivando o esporte de forma mais justa e evoluída.

Hoje, começamos a ver sinais de avanço no esporte de Juazeiro. A prova disso são as 17 quadras cobertas aprovadas no PAC II, bem como a cobertura da quadra do Paulo VI, sonhada há tempos pelos desportistas e estudantes juazeirenses, a qual se inicia na próxima semana. Avanço também na retomada do programa 2º Tempo, que havia sido abandonado pela gestão anterior e que retornou este ano, para a alegria dos pais de mais de 5 mil crianças.

Apesar de não atuar mais na área esportiva, embora não tenha deixado de estar, vez por outra, nas quadras, torço com fé para que o esporte de Juazeiro volte a disputar de igual para igual com cidades como Itabuna e Feira de Santana, que sempre estiveram no topo das boas colocações, mas torço ainda mais, para que estas ações que citei possam contribuir para proporcionar justiça social para as famílias de Juazeiro. A meu ver, esse é o troféu mais valioso que o povo juazeirense almeja ter. 

Samuel B. Morais Ex-atleta de Juazeiro

Fotos ilustrativas da comunidade Galeria do Vôlei
publicado em 17 de Novembro / 2011 às 17:30

Espaço do Leitor: Será o fim da crítica?

Num dos seus escritos, o poeta francês Charles Baudelaire teceu comentários sobre a análise do fazer artístico: “Para ser justa, ou melhor, para ter sua razão de ser, a crítica deve ser parcial, apaixonada, política; isto é: deve adotar um ponto de vista exclusivo, mas um ponto de vista exclusivo que abra ao máximo os horizontes.”

Ultimamente tenho ouvido falar coisas sobre a aceitação da crítica, o modo de se fazer e coisa e tal. A primeira reação é o esvaziamento da discussão, levando o debate para o campo do “gosto”. Outras reações se dirigem para o lado pessoal, ou profissional. Mas, desde já, informo que  não abro mão da crítica. Ela tem a sua função social, mesmo que algumas sejam ríspidas, agressivas. Mas até as construtivas causam certo incômodo, pois todos sabemos que, quando somos alvo e temos o nosso trabalho com um dedo em riste, mesmo que com uma breve e despretensiosa análise, nos sentimos afrontados.

Assim sendo, se não fosse a crítica, principalmente no que se refere à arte, tudo seria arte. Para alguns, tudo é arte, mesmo não se exigindo conteúdo, conceito, nem fruição. O mundo seria demasiadamente desumano, pois muita gente iria “se achar”.  Arte é um dom divino. Ela pode até ser utilizada como ferramenta pedagógica para que o ensino seja mais leve, mais agradável, atraente. Mas o talento é inato. Esses talentosos por natureza, quando se colocam como artistas, também estão sujeitos à análises, que muitas vezes chegam com um nível alto de argumentação e criticidade. Mas, diante das reações das últimas horas, tanto em situações nacionais como em acontecimentos regionais, fiquei a me perguntar: e se não tivesse a crítica, como seria?

Criticar (no sentido de opinar sobre o fazer artístico) se tornou um ato quase proibido, que só pode ser feito de forma velada para não gerar um mal-estar numa relação de amizade. E geralmente quando isso acontece ocorre o esvaziamento da discussão, colocando na roda da conversa pontos como “uns vem para criticar, outros pra fazer”, ou “gosto é isso ou aquilo...”, com conotação de desdém e, às vezes, escatológicas, ou ainda “isso é inveja”. Mas também há as reações de enfrentamento, quando a reação à crítica passa a ser ofensiva, questionando a qualidade da crítica, de quem fez.  Eu, assim como sempre diz o poeta e professor Josemar Pinzoh, acho que “gosto” é uma coisa produzida. Ninguém nasce gostando de arrocha, mas as TVs da Bahia colocam todos os dias grupos dos mais pitorescos na telinha.  A pressão é tão contundente que muitos indivíduos que assistem a isso passaram a gostar, pois se já se familiarizaram com aquele tipo de música. Com quem já tem um “gosto” diferente, a rotina diária passa a ser de combate com o que lhe é empurrado goela adentro, para que você não ache esse tipo de pressão musical um ato normal.

Diante da impossibilidade de realizar uma crítica, surge uma infinidade de “artistas”. Eles estão em todos os segmentos: no teatro, na teledramaturgia, nas artes plásticas, na música (lugar onde se há mais deles), na literatura, nas produções culturais, em tudo quanto é canto. Assim sendo, eu proponho o debate: de quem é aceitável a crítica? A apreciação do ato cultural/artístico pode ser feita por quem, somente por especialistas de determinada área? Certamente serei alvo de críticas sobre o que escrevo, mas de quem eu posso e devo aceitar a crítica aos meus rabiscos e minha análise? Como reagir?

Como sou demasiadamente humano, creio que a primeira reação seria saber quem falou. Mas como tenho procurado um novo tipo de comportamento a situações conflituosas, buscaria ouvir, ou ler o que foi falado ou escrito, para daí saber se valeria a pena fazer a crítica da crítica.

Provavelmente algo há de se aproveitar.  Como disse o poeta Arnaldo Antunes, “com tantos sentimentos deve haver algum que sirva”.

*Raphael Leal é jornalista formado pela Universidade do Estado da Bahia.
publicado em 17 de Novembro / 2011 às 13:30

ESPAÇO DO LEITOR: A TORCIDA QUER O JUAZEIRO SOCIAL CLUBE FORTE

Seleção de Juazeiro no torneio de acesso a 1ª divisão ( já contava com o apoio da “ Gaviões Juazeirenses” )

Nós da torcida organizada “Gaviões Juazeirenses” do mais querido time, tricolor do norte baiano, entidade esta que, reconhecidamente foi a pioneira no vale do São Francisco e que, de todas as maneiras, encontrava uma forma de poder apoiar o Juazeiro Social Clube em suas partidas tanto dentro de campo, quanto em outras praças esportivas.“Encontramos apoio de alguns abnegados, amigos, pequenos comerciantes e é claro, do conselheiro e fundador, Dalmo Feitosa que nunca deu um ‘não” a torcida organizada nas suas viagens e andanças.

Estivemos afastados, mas neste momento em que o Juazeiro  Social Clube respira com dificuldade diante das irregularidades ocorridas na sua eleição e na iminência de nova eleição, para  que estes sucessivos equívocos e erros que aconteceram no Juazeiro tenham necessariamente que acabar, e a vontade do torcedor é poder estar diretamente no dia-a-dia do Juazeiro Social, a fim de que se possa evitar o pior, tais como: Não participar do campeonato baiano de 2012, além de ser rebaixado para a segunda divisão conforme alertou o presidente da Federação Baiana de Futebol, Ednaldo Rodrigues, estamos comunicando aos conselheiros eleitores, as qualidades deste senhor para a “torcida organizada”que é co-responsável nas suas vitórias e derrotas. Apoiamos o senhor Dalmo Feitosa conselheiro fundador do Juazeiro Social Clube para a presidência do Juazeiro, porque queremos o nosso time do coração de volta aos braços da sua fanática torcida.

Queremos um Juazeiro forte, campeão da primeira divisão e participando de outros campeonatos de acesso a elite do futebol do Brasil e copas no território nacional.

Queremos trabalhar juntos com a diretoria, funcionários econselheiros comprometidos com os interesses do clube, pela consolidação da estrutura do CT- Centro de Treinamento e aquisição de uma sede social digna da torcida fiel e apaixonada pelo Clube das Cores da Cidade, O orgulho do povo de Juazeiro.

O Juazeiro Social Clube e torcedores, representam a alegria do povo Juazeirense. Para tanto senhores conselheiros, vamos consagrar o nome de Dalmo Feitosa para Presidente do Juazeiro e juntos, elevar o nosso clube no mais alto lugar. 

Avante Juazeiro ! 

Assinam os fundadores da Torcida Organizada “ Gaviões Juazeirenses”           

João Bosco de Souza Lima

Francisco Batista

Josué da Silva Rocha

Claudio José

Francisco Oliveira

Valterlino Pimentel

publicado em 17 de Novembro / 2011 às 10:30

Espaço do Leitor: O Calvário Político de Juazeiro e dos Juazeirenses – Parte I

Heróico e sofrido é o povo de nossa amada Juazeiro, banhada pelo untuoso Rio São Francisco, ilustrada por tantos vultos importantes, de tantas histórias e vitórias; e hoje agonizando em meio ao sofrimento provocado pelo descaso, pelo descompromisso, pelas atitudes despóticas de um governo oscilante, que pende entre a venda de ilusões e a falta de realizações... Um governo ausente no que tange às necessidades do povo... Um governo obscuro no que respeita à transparência no trato com a coisa pública... Um governo que só governa para si, negligenciando em governar PRO POPULI (Para o Povo).

Vivemos numa terra promissora, com um potencial excepcional, que possui em seu seio um povo de fibra, austero, lutador, um povo que não foge à luta e traz consigo a garra e o destemor do nordestino... No entanto, fomos vil e sorrateiramente ludibriados por um grupo de entusiastas fantasiadores, que se auto intitulou “O Grupo que mudaria Juazeiro”.

Caímos no conto do vigário, compramos gato por lebre, corajosamente apostamos “no novo” e “o novo” ganhou. Contudo, “o novo” não era tão novo quanto imagináramos e a mudança não foi para o rumo que esperávamos.

É, ao mesmo tempo, constrangedor e revoltante, olhar em volta e ver o caos em que se transformou a nossa cidade. Comprometo-me, aqui, perante os leitores deste blog, a nos próximos dias detalhar as várias dificuldades enfrentadas pelo povo sofrido de nossa terra, fornecendo a este respeitado e laureado blog, a documentação necessária para que se ampare legalmente ao veicular os textos e denúncias por mim fornecidos.

Vamos juntos pelejar por uma Juazeiro Nova! Transformada! De homens e mulheres de fato revestidos em armas e couraça, pela transformação da cruel realidade na qual vivemos.

Alea Jacta Est!

Fábio Lima - Cidadão Juazeirense comprometido com a Transformação para o Progresso de Juazeiro

publicado em 16 de Novembro / 2011 às 23:20

ESPAÇO DO LEITOR: A Prestação de Contas da casa Plínio Amorim

É um dever e também um direito do cidadão contribuinte, que paga seus impostos em dia, fiscalizar os gastos do dinheiro público com a Câmara de Vereadores.  Fiscalizar, cobrar, elogiar, criticar, exigir a devolução de "apropriação indevida" do dinheiro público.

Não somente o Tribunal de Contas do Estado de Pernambuco, mas também o Judiciário, a Sociedade Civil como um todo, e por que não os próprios vereadores.

Existe algo a esconder?

A subtração, desvios ou má gestão de valores públicos é um crime, que na minha opinião, deveria ser classificado como "hediondo" do qual, qualquer parlamentar que for devidamente condenado e somente através de um júri popular, deveria ser preso por 5 anos, ter seus direitos eleitorais inelegíveis por 30 anos, ficando expressamente  proibido de entrar ou fazer política, nem direito a qualquer tipo de associação.

Para mim, a "coisa pública" deve ser tratada com muita seriedade, propriedade, sempre procurando o bem público.

Senhora Presidente da Câmara de Vereadores de Petrolina, Plínio Amorim: "ABRA AS CONTAS DA CÂMARA DE VEREADORES". 

Sem qualquer restrição ou manipulação, assim a democracia se fortalece.

Mas não posso deixar de considerar que, muita coisa foi feita, muitas medidas foram tomadas pelo Congresso Nacional com o intento de "melhorar a forma de fiscalização" do dinheiro público.

Sou a favor que sejam criadas "Leis Duras" para quem de qualquer forma ou maneira, "cometa violações inaceitáveis" com o dinheiro público.

O dinheiro público tem valor sim, e deve ser bem administrado, gerido,  investido, transformado em mais Educação, Saúde, Esporte, Empregos.

Viva a Democracia do Brasil.

Moraes de Carvalho - Presidente do PSDC de Petrolina PE
publicado em 16 de Novembro / 2011 às 16:40

ESPAÇO DO LEITOR: CANDIDATA DENUNCIA QUE HOUVE GOLPE EM ELEIÇÃO DA UBE PETROLINA

CARTA ABERTA À CIDADE DE PETROLINA

Olá cidadãos de Petrolina,

Meu nome artístico é Zazy Grazyely e sou poeta e escritora. Faço parte da UBE – Petrolina e quero concorrer à eleição para Direção da UBE porque acredito no meu potencial e que posso ajudar outras pessoas que como eu querem ter a felicidade de ter um livro publicado e pertencer ao mundo da literatura.

O meu primeiro livro foi de literatura infanto-juvenil. Não tinha dinheiro para publicá-lo na época, assim como não tenho agora, mas confiei no poder da coragem, em Deus e escrevi ao governador do estado, Eduardo Campos. Recebi como resposta uma caixa com um tesouro. Era o meu livro publicado. O governador mais bem votado do Brasil acreditou em mim. Ele assim como outras pessoas amigas e meus companheiros de chapa acreditam em mim. No entanto, ao pedir para me inscrever para concorrer à eleição da UBE, fui negada como integrante da instituição, fui tachada de incompetente, que não tenho “capacidade” e não tenho “o que fazer”.

Negaram informações sobre a eleição para associados e negaram principalmente a constituição brasileira que afirma que instituições sem fins lucrativos devem ser transparentes e obedecer à lei.

Tenho dois livros publicados, se vocês vão gostar, não sei, mas são como filhos para mim e eu os adoro de coração. Aos críticos, digo que somente à prática e o estudo levam à perfeição e se depender disso, esse é o caminho que pretendo percorrer.

Sou cadeirante e tenho sérias dificuldades de locomoção. Irei sempre depender de outras pessoas para algumas tarefas simples do dia-a-dia, mas meus amigos, uma coisa eu digo com firmeza, minha mente e minha vontade alcançam o mundo. Com firmeza, coragem e fé, posso chegar a todas as mentes e corações.

Eu acredito nas leis. Eu acredito em Petrolina. Eu acredito em Deus. Eu acredito que há outros como eu que querem mostrar seus escritos. Eu acredito que Petrolina é um terreno fértil de literatura e, amigos, agora mais do que nunca eu acredito que a UBE de Petrolina precisa de renovação. Uma instituição séria abre suas portas para a democracia. A UBE é uma instituição sólida e ética por todo o Brasil, inclusive várias delas disponibilizam seu estatuto para quem quiser ver. A “Ata de Eleição” que localizei no cartório de Petrolina é uma farsa. Repito. É UMA FARSA. Não houve eleição. Não houve consulta aos associados. O que houve foi um golpe de estado. Um pequeno golpe de estado de um país chamado UBERDAN ALVES DE OLIVEIRA. Isso tem que mudar. A democracia deve ser maior que a ditadura. Eu posso fazer essa mudança porque eu acredito na instituição chamada União Brasileira de Escritores de Petrolina. Eu sou mulher. Eu sou cadeirante. Eu sou escritora. Eu sou poeta. Eu sou amiga. Eu sou Zazy.

Aos amigos e amigas, muito obrigada!

Eu amo vocês.

Cópia da ata do processo eleitoral

publicado em 16 de Novembro / 2011 às 11:40

ESPAÇO DO LEITOR: PREFEITO INVESTE NA SAÚDE?

O prefeito de Juazeiro, Isaac Carvalho, investe na saúde segundo suas mirabolantes propagandas, mas observe esse absurdo que está acontecendo em um hospital público, o Hospital da Criança.

Se esse hospital fosse particular será que os fiscais sanitários não estariam autuando o órgão? Lixo hospitalar jogado em via pública, onde passam diversas pessoas que vão praticar exercícios na orla, nadam no rio São Francisco e frequentam a prainha ao lado do prédio da Marinha. É esse o tipo de investimento, sujar a rua com lixo hospitalar?

Ministério Público acorde, isso é um absurdo.

Alex Tanuri - Vereador

publicado em 16 de Novembro / 2011 às 10:30

ESPAÇO DO LEITOR: VERGONHA, CAIS DE JUAZEIRO ESTÁ PODRE!

Quer passar vergonha em Juazeiro leve convidados ou visitantes para o caís ou orla da cidade? 

Em seguida, sente no bar Cais do Porto e um "mau cheiro" inunda o ar vindo de esgotos e fezes embaixo daquela laje que deu lugar ao histórico cais. Famílias inteiras estão acampadas ali, além do som alto e distorcido do local.

Irritado, você acaba levando seus convidados visitantes para o "M", afinal a visão do rio e da ponte é deslumbrante. Que nada, logo o "mau cheiro" de fezes toma conta do pedaço. Embaixo do "M" tem muita m... Sem falar que você tenta passar com seus convidados pelos bares "Bora-Bora" "La Barca" Tio Nininho" e o "Gordo"  pedindo que eles olhem para o outro lado, para não ver a "feiura" daquilo ali com seus sanitários imundos.

Ao lado do prédio da prefeitura tem um restaurante que já fez um "toldo" em cima da praça. É bom lembrar que o Ministério Público fechou um famoso "bode assado" que hoje está no Country Clube. 

 Pois é, grandes empresas estão se instalando em Juazeiro, vem aí a inauguração do maior hipermercado, novas agências bancárias, Casas Bahia, construção do shopping?, hotéis, condomínios e prédios, mas a limpeza, a iluminação, praças e ruas tudo continua muito ruim, tem até confinamento de lixo na praça da prefeitura e do Banco do Brasil. Enquanto isto, a programação cultural é zero e a nova "vaquejada" vai ser 10.

Eu sou mesmo um "garoto safado" para continuar aqui. 

José Carlos Carvalho

publicado em 16 de Novembro / 2011 às 09:10

ESPAÇO DO LEITOR: "PARABENS À MUDANÇA"

Andei perambulando pelos meus pensamentos, exercitando a paciencia com esta administração, refletindo e buscando respostas para infinitas indagaçoes a respeito de nossa cidade e o seu futuro pois o presente é assustador e o passado é que nos consola.

Juazeiro realmente dorme em coma profundo anestesiada que foi por um engodo, um projeto de mudança fabricado por marqueteiros que hoje conseguiram levá-la para o estado terminal.

Nossa cidade é uma urbe deteriorada, enlameada, invadida por muriçocas, escura, esburacada, sem vida cultural, sem alegria, sem entusiasmo, sem cor, sem tom, sem alma, contaminada por uma gestao inerte, confusa, atrapalhada, ilusória, estranha e mentirosa, sobrevivendo pelo amor e esperança de seu povo. O exôdo em Juazeiro de 2009 ate 2011 ultrapassou, segundo o IBGE a faixa recorde de 17%. prova disto foi a queda da população com o rescenceamento 2011.

Consoante site transparencia Brasil Juazeiro recebeu neste ano o maior volme de recursos dos ultimos 10 anos, onde foram aplicados estes recursos? segundo o mesmo site nossa cidade foi a décima cidade no Brasil a receber recursos para o programa segundo tempo, noticia, inclusive, veiculada na folha de Sao Paulo, onde foram aplicados estes recursos? A saude recebeu quase 27 milhoes a mais que as outras gestoes ? o Instituto de previdência criado pelo prefeito está há sete meses descontando do servidor sem ter um conselho fiscal formado, quem esta gerenciando estes recursos? Poxa, porque isto com a minha Juazeiro, Isaac?

As casas do programa federal minha casa minha vida são uma vergonha de construção, as fossas expostas, a água inexiste, a energia mal colocada, a infra estrutura ausente, a UPA encontra-se parada, as praças esbagaçadas, as ruas intransitáveis, o tal anel viário virou uma piada popular desde a construção das duas alcinhas que foi uma das monstruosidades que o prefeito conseguiu para Juazeiro, as contas do prefeito estao penduradas no TCM , o lixo tomou conta da cidade, enfim Juazeiro se perdeu no seu rumo.

A coisa está tão desnorteada que jamais em nossa cidade uma gestão precisou de uma avassaladora campanha de marqueting para tentar elevar a auto estima do Juazeirense, o que está sendo feito agora, acabaram de contratar outro marqueteiro para tentar dourar a pilula, sem querer exergar que a auto estima do nosso povo é elevada principalmente por uma administração competente, honesta e responsável com este trinômio o marqueting se tornaria desnecessário.

A prefeitura com quase nove mil funcionarios diretos e indiretos, altos salarios, ex funcionarios da empresa do prefeito gerenciando a administração da cidade, realmente nossa cidade se tornou um exemplo de vergonha administrativa e motivo de chacota por ai a fora!

Impossivel não enaltecer Petrolina, semana passada o vice prefeito daquela cidade foi à Belgica instalar um estande de exportação de uva saidas da regiao, lançou o Sao João cultural no exterior, o festival da primavera e a Fenagri e falou para quase quinhentos empresarios estrangeiros sobre o potencial da regiao, visitou a Holanda e agendou uma visita de empresarios holandeses para investirem no ramo hoteleiro e turismo nautico da cidade.

Enquanto isto, Juazeiro aguarda por mais uma vaquejada no parque de propriedade do prefeito... É isto, a cidade tem o que não merece, enquanto a vizinha cidade respira o progresso, nos vivemos do embriagador cheiro de estrume da arena de bois e vacas do prefeito. Parabens a todos que fazem o governo da mudança, voces realmente são competentes na arte de mudar...

Ate mais Juazeiro, boa sorte.

MARLA CONCEIÇÃO/JUAZEIRENSE-CASTELO BRANCO

publicado em 14 de Novembro / 2011 às 17:30

ESPAÇO DO LEITOR: HOMOSSEXUALIDADE UMA DISCUSSÃO DE VIA ÚNICA

Nunca foi tão agitada esta discussão da homossexualidade versus heterossexualidade, os meios de comunicações têm investido de forma direta e indireta para a ampliação deste assunto que tem se tornado tão problemático e contundente na nossa sociedade contemporânea. Quando me coloquei a disposição para escrever acerca desta temática, foi devido a minha evidente preocupação com o desenrolar desta mini guerra ideológica e de princípios religiosos, no que diz respeito ao assunto abordado.

Com base na Constituição da República Federativa do Brasil no seu Capitulo I, Art. 3º seção IV que diz: “Promover o bem de todos, sem preconceitos de origem, raça, sexo, cor, idade e quaisquer outras formas de discriminação”. Podemos observar que é tanto direito do Homossexual como do Heterossexual defender e exercitar a sua opção e forma de escolha da sua orientação sexual a ser seguida. Contanto, que ambas as partes tenham o direito de expressar o seu desejo de escolha.

Quando inicio este pequeno ensaio dizendo que a discussão Homossexual é uma via de mão única é justamente por que não existe por parte de alguns dos movimentos que apóiam e defende os homossexuais a observância do direito aos heterossexuais de expressar a sua opinião sexual, ou seja, não existe uma democratização para os heterossexuais, portanto nos restam duas perguntas: por que só os movimentos homossexuais podem falar e os heterossexuais não podem? Onde fica o processo democrático? É baseado neste contexto que digo que não existem duas vias nesta discussão.

Numa briga que só um dos lados pode expressar seus pensamentos, não quero com isso apoiar os movimentos heterossexuais que se baseiam na violência para divulgar ou ate fazer se ouvir, pois, a violência gera violência. Quero apenas que os amigos leitores pensem nesta discussão com duas vias.

Só podemos construir uma sociedade forte e indissolúvel com a observação de nossos direitos e deveres, que possa existir um verdadeiro processo de democracia, se existe os direitos para os homossexuais podem ter certeza que existem de igual modo direitos para os heterossexuais. Sempre lembrando que a violência não pode ser o carro chefe para a resolução dos problemas sociais e ideológicos para ambos os grupos, que Deus nos abençoe e vamos fazer valer os direitos do processo chamado DEMOCRACIA.

Fábbio Xavier - Teólogo e Graduando em História
publicado em 14 de Novembro / 2011 às 13:30

ESPAÇO DO LEITOR: A importância do voto cosciente

Tudo começa e termina na mesa de um político, seja ele vereador, deputado, prefeito, senador, governador ou presidente. Nosso dia à dia é determinado na maioria das vezes por parlamentares, seja em assuntos pequenos, como o fluxo do trânsito da cidade pelo qual determina obrigatoriamente, por onde teremos que transitar e onde seremos multados, ou seja por assuntos de alta complexidade, como por exemplo o Novo Código Florestal, aprovado recentemente, que definiu, seja para melhor ou para pior, o futuro das florestas do Brasil.

Muitos outros assuntos também tem impacto direto em nossas vidas, que também são determinadas por políticos, como por exemplo, os valores da taxa Selic, que define como ficará  o custo de vida nas grandes metrópoles e em muitas outras cidades de pequeno e médio porte de nosso país.

Um dos pilares centrais de sustentação da democracia do Brasil, são os partidos políticos. Nosso país diverge em muito dos Estados Unidos, que dentre outras diferenças fundamentais,  por exemplo, possuem apenas dois partidos políticos, duas correntes de pensamento.

Lá nos USA, ou você é democrata ou republicano. Vote num Democrata ou eleja um Republicano. Mas também, além de muitas outras diferenças, você não é obrigado a votar nos políticos, caso não concorde com nenhuma das correntes.

Qual a diferença básica entre o cidadão brasileiro e o cidadão americano, visto que vivemos teoricamente num mesmo regime democrático capitalista?

As muitas correntes políticas de pensamento existentes no Brasil, são uns dos principais entraves ao impulsionamento do nosso país para níveis de primeiro mundo.

A democracia altamente desenvolvida, não permite a proliferação de muitas correntes políticas.

Mas os americanos possuem uma história de colonização muito diferente da nossa. Enquanto que  em sua base principal, os conceitos primordiais do cristianismo foi um modeladores da formação do pensamento americano, nosso país sofre até hoje com as conseqüências eternas e duradouras do colonialismo português, que foi extremamente explorativo e subjugante.

Então qual é o caminho para podermos, seja a curto, médio ou longo prazo, desenvolvermos à níveis maiores, pelos quais já fomos superados, pelo menos militarmente e economicamente, pelos chineses?

Precisamos na verdade, criar mecanismos ou sistemas eficientes e perenes para a formação da consciência política do nosso país. Este é um grande enigma, que nem mesmo Ali Babá saberá responder.

Como encontrar ouro em uma terra que não temos certeza que de fato, existirá o metal precioso na direção das escavações?

Um dos primeiros passos é votar consciente.

Mas como?

Precisaremos de uma verdadeira "Força Tarefa" direcionada as multidões, principalmente aos analfabetos funcionais, para curto, médio e longo prazo, para então assim podermos obter reflexos de mudanças interiores, complexas, profundas e perpétuas.

Mas pelo menos hoje, em relação a qualidade do voto consciente, se a cidade não se importar com isto, quem se importará?

 

Viva à democracia do Brasil.

 

Moraes de Carvalho - Presidente do PSDC de Petrolina

publicado em 14 de Novembro / 2011 às 08:10

ESPAÇO DO LEITOR: ESCOLA PÚBLICA - Repensar o atual modelo de sua grade curricular

Sempre haverá discordância, e isso é natural, pois vivemos num país democrático, onde cada um pode expressar-se livremente. Contudo, a ausência da disciplina de cunho religioso no ensino público, e a perda do hábito das crianças participarem do hasteamento da Bandeira e o canto do Hino nacional brasileiro, contribuiu muito para a situação vexatória que estamos vivenciando hoje nas escolas públicas. Ter em sala de aula uma leitura reflexiva da Bíblia ou mesmo orar o Pai nosso como antigamente, não influencia ninguém a seguir qualquer corrente filosófica ou mesmo aceitar qualquer religião, até porque o Brasil é um país laico, e todos podem seguir ou defender o credo que quiserem, e o Estado não interfere quanto a esta escolha, a Constituição Federal dá essa prerrogativa a qualquer cidadão.

Estamos perplexos e chocados com os acontecimentos do nosso dia a dia, a escola que deveria ser um lugar de aprender, armazenar conhecimentos, desenvolver o senso crítico, contribuir para a formação da cidadania e construção social, tornou-se cenário de gladiadores onde alunos e professores vivem em constantes conflitos, fatos que estão se tornado uma rotina nas escolas públicas de nosso país. A arma de fogo que é algo restrito por lei a nossa polícia, está sendo portada com facilidade por jovens estudantes, não é difícil numa abordagem rotineira encontrá-la numa mochila ou até mesmo uma arma branca, aliás, os crimes que estão em voga mais recentemente são através desse instrumento, tão mortal quanto à arma.

Outro problema de difícil solução, é que as famílias estão transferindo pra a escola uma responsabilidade exclusiva dela, que é a educação de um filho. As orientações básicas têm que vir de casa, é a primeira escola, corrigir quando necessário, colocar limites sempre com respeito e autoridade de pai, sem exceder, respeitando o filho, e mostrando pra ele que a vida não consiste só de vitórias, mas também de fracassos constantes. Se não forem ensinados dessa maneira dificilmente estarão preparados para enfrentarem uma situação adversa. É bastante conhecido à frase não basta ser pai e mãe, é necessária participação, e essa participação é com amor, carinho, afeto, acompanhamento e aceitação, pois a presença dos pais na vida dos filhos transmite segurança e proteção. Certamente esse filho ou filha sentir-se-á importante e amado no processo de sua autoestima.

A escola tem a sua função social, mas infelizmente não está preparada para solucionar os problemas de violência em sala de aula. Não tem uma metodologia que possa aplicar na problemática do alunado e, ao deparar com situações de risco ficam impotentes e geralmente os desfechos dessas histórias são catastróficas, com algumas exceções. Fazer campanhas pregando a paz não deixa de ser um ato importante, porém, não é eficaz, porque não resolve o conflito, é preciso mais que isto. É importante a participação do governo, da população e toda a sociedade representativa, unindo forças e objetividade na busca de ações práticas e concretas para salvar nossos filhos e fazer com que nossas escolas sejam um lugar atraente e prazeroso. Deve-se fazer um estudo aprofundado e dinâmico com a participação de psicólogos, sociólogos, especialistas em gerenciamento de conflitos escolares, psiquiatras, pedagogos, autoridades civis e militares, a Guarda Municipal, porque é uma instituição que está em ascensão e mais próxima á população nesse tipo de discussão e pode contribuir com a sua experiência, pois da forma que está não há quem sobreviva a esse sistema sem que haja perdas, não perdas de materiais, e sim de vidas, vidas inocentes. Sempre existiram conflitos entre alunos com alunos e também entre eles com os professores, mas não na proporção que estamos presenciando atualmente, deixando transparecer que tudo está escapando ao nosso controle ou não estamos sabendo lidar com essas questões, exigindo de cada professor mais que ensinar e que ele tenha competência para administrar violência física.

Sou defensor do ensino religioso de volta, que o mesmo faça parte da grade escolar, pode até não resolver essas circunstâncias, porém, ajuda a criança a valorizar e ter amor pela vida, praticar atos de bondade para com seus colegas, e acima de tudo é refrigério para o coração e remédio para a alma.

Obviamente quando os nossos representantes políticos olharem a educação como prioridade e, concentrarem esforços no sentido de melhorarem o atual sistema de ensino, implementando políticas de valorização dos nossos professores, como também na qualidade do ensino, será um novo modelo de educação e desenvolvimento para o país e crescimento econômico e social da nação.

Antonio Damião Oliveira da Silva (damis.oliver@hotmail.com)

Professor de Matemática

Guarda Municipal de Petrolina

publicado em 12 de Novembro / 2011 às 08:00

Espaço do Leitor: Loteamento Eldorado espera pelo calçamento

Olá Geraldo,

Amigo como tínhamos já comentado com você em outros e-mails, nós moradores do Loteamento Eldorado, passamos um bom tempo sem cobrar o nosso calçamento, mas como estamos sem nenhuma resposta concreta da Secretária de Desenvolvimento Urbano, Célia Regina e nem do prefeito, que nos prometeu muitas vezes as obras na própria imprensa, queremos, através do seu blog, lembrar aos governantes de que já estamos próximos às eleições e nada de ações.

Segundo o prefeito, só estava faltando a licitação e até hoje nada. Geraldo nós continuamos abandonados com as ruas cheias de lixo, matagal e muita muriçoca, em três anos praticamente, a prefeitura não realizou nenhuma benfeitoria para nossa comunidade. E tem mais, com a chegada do tempo chuvoso ai é que vamos ficar sem condições nem de tirar ou colocar nossos veículos na garagem.

Queremos através do seu blog, tão visitado, denunciar o descaso, tanto da prefeitura quanto dos vereadores, que não lutam por nossa comunidade. Não vou aqui citar nomes, porque para nós, todos são omissos com a população, pois sabemos que o dever deles é de cobrar e da prefeitura realizar.

Quando chegam as eleições eles sabem bater às portas e prometem mundos e fundos e depois que estão no poder esquecem do povo que  os elegeram.

Amigo como muitos Juazeirenses, estamos cansados de sofrer, mas como diz aquele ditado popular: ‘‘SOMOS BRASILEIROS E NÃO DESISTIMOS NUNCA”. Queremos te agradecer por você ser esse  elo, entre nós moradores sofridos e essa prefeitura vergonhosa, que não toma nenhuma providência, apesar de estarmos há mais de três anos cobrando um direito nosso, pois pagamos impostos e temos direito a uma vida melhor.

 Muito obrigado e fica com Deus.

Luciano Medrado

publicado em 11 de Novembro / 2011 às 23:20

Espaço do Leitor: Vampiros no Juazeiro Social Clube?

(Nostradamus-imagem da internet)

Caro amigo Geraldo José, 

Hoje no programa esportivo apresentado pelo radialista, Charles Gray, na Rádio Juazeiro que sempre primou pelas notícias que envolvem o futebol amador de Juazeiro, Juazeiro Social Clube e pela Desportiva Juazeirense, fomos “pegos” de surpresa quando o radialista, Beto Lupi, entrava no ar com sarcasmo e de maneira hostil, desrespeitando os diretores do Juazeiro Social Clube, bem como, os conselheiros fundadores desta agremiação que nos deu tantas glórias. 

Na oportunidade, o radialista nos lembrando da figura de NOSTRADAMUS, que previa o futuro, dizia que Baé (não sabemos se será o presidente do Juazeiro ou não), ostentava um crucifixo, contra os “vampiros” que estariam de volta ao comando do time após dez anos. 

Estamos em 2011 e, passados 10 anos, quem estava no poder era Carlos Humberto e Jailson Oliveira (O das Tintas), lembro que na oportunidade o Juazeiro com brilhantismo fez um bom campeonato e seria o vice-campeão baiano. Durmam com um barulho deste! 

Thiago Rodrigues

publicado em 11 de Novembro / 2011 às 14:40

ESPAÇO DO LEITOR: DENÚNCIA CONTRA PM`S DA BAHIA

Caro Geraldo José,

Gostaria fazer uma denuncia de exploração de estacionamento clandestino, sem alvará de exploração, feita por policiais Militares de Juazeiro.

No dia 30-07-2011, quando na ocasião da festa do cantor Luan Santana na vaquejada de Juazeiro, me desloquei com minha esposa e filha de 14 anos, ao chegar nas proximidades do Rancho Mandacarú, antes mesmo do local da festa, fui abordado por uma senhora sem identificação, dizendo que para ir a festa teria que pagar R$ 10,00 para estacionar o meu carro. Achei estranho a atitude e questionei que nem tinha chegado e já estavam me cobrando a taxa, diante mão questionei qual seria a garantia de deixar meu carro aos cuidados dela, a mesma retrucou em tom de deboche dizendo “garantia era nenhuma”. Diante dessa resposta me neguei a pagar, a mesma disse que se eu não pagasse, iria chamar a Polícia, de imediato mandei que a mesma chamasse, pois na minha ótica estava havendo extorsão.

Com a chegada de dois policiais militares do policiamento ostensivo, pensei que iria resolver o problema, mas me surpreendi com a atitude do policial da 75ª PM. O mesmo se dirigiu a mim de forma grosseira e mandando que eu pagasse o valor do estacionamento, perguntei ao mesmo se ele estava a serviço do estacionamento clandestino ou do estado, haja vista que o mesmo estava fardado?

Diante do meu questionamento, o mesmo disse que iria chamar a viatura, de imediato, mandei que chamasse também o responsável pelo estacionamento. Novamente me surpreendi com a pessoa que estava à frente disso, era nada menos que um Oficial da PM que disse que a minha garantia era nenhuma. Com o meu questionamento e a atitude ora duvidosa dos PM’s tanto o ostensivo e sem farda, fiquei revoltado e sai em direção a minha residência.

Depois de quinze dias recebi em minha casa pelos correios, duas notificações de infração de trânsito nos artigos 195 e 210 do CBA, diante do abuso de poder e desvio de conduta dos PM’s, entrei com um pedido de apuração junto ao comando da 75ª CIA PM da pessoa do Coronel Sampaio, que é uma pessoa honesta, e encaminhei ao Ministério Público estadual para fiscalizar o abuso de poder, tentativa de extorsão, concussão, praticado por pessoas que maculam a imagem da policia Militar da Bahia.

O inquérito policial está em fase de apuração, sendo acompanhado pelo Ministério Publico. Gostaria de alertar a população de Juazeiro que irá frequentar a nova festa este mês que se de fato acontecer a exploração, que denuncie ao Ministério Publico e que este blog sirva de alerta todos.

Jailson Bosco Dos Santos-Cidadão Brasileiro

Foto da internet meramente ilustrativa
publicado em 09 de Novembro / 2011 às 19:10

Espaço do Leitor: Petrolina, cidade ainda da fase agrícola

 
Nosso município, banhado pelo Rio São Francisco, vizinho a Juazeiro-BA, é o maior conglomerado urbano do semiárido. Distante a 730 km da capital de Pernambuco, nossa querida Recife, ultrapassou em 2008 até mesmo a cidade de Caruaru PE, chegando à 6a posição de importância entre todas as maiores cidades do estado. 
 
Com 294 mil habitantes, Petrolina PE apresentou um crescimento raquítico de 3,5% ao ano, no período de 2000 a 2010, revelando assim que nosso município precisa sair da fase da Agricultura e passar para o desenvolvimento Industrial, para assim poder obter taxas de crescimento de 6 a 9% ao ano.
 
O Ministério da Integração Nacional bem que poderia contribuir e muito para a Industrialização de Petrolina Pe, no entanto, mostra à falta de foco total. 
 
Os carros pipas ainda são utilizados em nossa região como políticas partidárias, como forma de subjugar as comunidades. 
 
Onde estão as novas adutoras, para resolver de vez esse problema?
 
E porque não conclui-se o Projeto Pontal, abandonado, esquecido?
 
Estamos vivendo ainda de forma retrógrada, da antiga e atual fase do coronelismo, da boca de urna, do assistencialismo, em pleno século XXI?
 
Isso é uma vergonha!
 
E porque deixar nossa cidade ainda perpetuar com políticas ultrapassadas, enriquecedoras e desastradas?
 
Estamos cansados de tudo isto e por isso olhamos para o futuro. 
 
Quero um Petrolina  preparada para o desenvolvimento industrial ainda nesta década. 
 
Viva a democracia do Brasil. 
Moraes de Carvalho/ Presidente do PSDC Petrolina
publicado em 09 de Novembro / 2011 às 09:40

Espaço do Leitor: Espetáculo de atendimento no HUT e Dom Malan

Prezado Sr. Geraldo José,

Gostaria que se possível publicasse o meu elogio aos hospitais HUT (Hospital de Traumas) e Hospital Dom Malan de Petrolina, pois como muita gente só busca a imprensa para bater e para cobrar, também devemos utilizar para elogiar quando é necessário para que a população também conheça o lado bom que existe na cidade.

Sobre o HUT

No dia 17/09/2011 a minha irmã Raylane Aline deu entrada no HUT próximo das 00:00hrs, ela sofreu um acidente grave e estava gestante de 8 meses e alguns dias. Ela passou por várias cirurgias nas pernas sobre a responsabilidade do excelente profissional, Dr. Eduardo Borges (Cirurgião plástico), sendo acompanhada diariamente pela excelente equipe de profissionais de enfermagem daquele hospital.

Ela ficou desde o dia 17/09/2011 até o dia 07/11/2011, foram quase 2 meses de muita luta e muito sofrimento, tanto da família que rezava a DEUS dia e noite, como também dos profissionais citados acima, pois lutaram desde o inicio para que ela não tivesse a sua perna direita amputada e conseguiram a vitória. Ontem ela teve alta para terminar a recuperação em casa, vai ficar retornando ao hospital 2 vezes por semana para troca de curativos até finalizar o processo.

Neste período em que ela ficou internada, sempre teve a companhia de uma pessoa da família ou amiga, e pudemos observar que Petrolina realmente tem um hospital de responsabilidade, com acomodações excelentes, camas excelentes para os pacientes, ar condicionado sempre funcionando bem, alimentação de primeira qualidade tanto para os pacientes como também para os acompanhantes, enfim, na minha opinião, os profissionais que fazem aquele hospital funcionar em excelente nível estão de parabéns.

Sobre o Dom Malan

Como citei no inicio, quando a minha irmã sofreu o acidente estava gestante de 8 meses e alguns dias, para que os procedimentos cirúrgicos fossem realizados na perna dela, teria que fazer o parto cesariana, após realização do parto, o bebê Izaque permaneceu internado por vários dias também tendo sempre um acompanhante da família ou amiga, onde também foi constatado o excelente trabalho dos profissionais daquele hospital, tanto a equipe médica como de enfermagem, as instalações e acomodações excelente e em alto nível, faço das minhas palavras citadas acima as mesma para elogiar também os profissionais do IMIP, meus parabéns.

Quero aproveitar a oportunidade para agradecer também a um profissional de comunicação e sua irmã que tiveram uma participação fundamental neste contexto todo, é o Sr. Edenevaldo Alves com a sua irmã Vânia. Muito obrigado de coração a todos, que DEUS lhes abençoe.      

Atenciosamente,

Altemir Nunes

publicado em 09 de Novembro / 2011 às 08:40

Espaço do Leitor: Agradecimento ao Blog e à Polícia Militar

É com muita alegria que, após quase dois meses de absoluto silêncio, torno a escrever para este importantíssimo veículo de comunicação da população do Vale do São Francisco.

Confesso que após ter postado uma denúncia sobre o aumento do consumo de crack em nossa cidade e de não tê-la visto publicada, fiquei bastante chateado com o caro amigo Geraldo José, porém semanas depois, soube por meus familiares e vizinhos que a carta tornara-se pública, através do Blog, e com o acontecimento de alguns fatos pude perceber que a mensagem chegara aos seus destinatários. Agradeço, portanto ao amigo e peço-lhe as mais sinceras desculpas pelo pré-julgamento.

Hoje, como o título desta mensagem já diz, volto a escrever para agradecer não somente pela credibilidade a mim concedida por Geraldo José, mas também, e principalmente, Polícia Militar da Bahia, na pessoa do senhor Coronel João Pedro pela atenção a um clamor de um cidadão comum, também pelo pronto atendimento às minhas reivindicações, que na verdade, era um pedido de socorro da população de Juazeiro. Agradeço-lhe pelo compromisso, firmeza e pela seriedade com que comanda a Polícia juazeirense.

A situação do consumo de drogas na Avenida Oscar Ribeiro e da aglomeração de viciados nas áreas centrais da cidade, denunciada por mim e por outros leitores, e que resultou em até mesmo em um homicídio dias após a denúncia, foi finalmente vista e combatida pelas autoridades locais.

Através da atuação da Polícia Militar, que passou a fazer a segurança não somente dos bancos e comércio, as áreas residenciais do centro de Juazeiro encontram-se mais seguras, principalmente após o fechamento da boca de fumo gigantesca situada na rua dos fundos da Vanessa Móveis.

 Atualmente é possível ver policiais rondando nas Avenidas Oscar Ribeiro, Santos Dumont e Lauro de Freitas, Travessa Edson Ribeiro e Sete de Setembro, também nas ruas Floriano Peixoto e Eduardo Brito. Viaturas, motos, bicicletas e policiais a pé nos dão uma maior sensação de segurança, oferecendo paz e tranquilidade aos cidadãos de bem que deixam diariamente suas casas para trabalhar ou estudar.

Os policiais do CETO também estão de parabéns, atuando na Orla e em toda área situada abaixo da Ponte, inclusive, em pontos críticos como em frente à Casa do Artesão e as Lojas Americanas. O que renova a nossa fé e nos faz acreditar no poder dos poucos homens de bem que restaram para comandar a Polícia em nossa cidade.

Solicito ao Ilustre Comandante apenas que seja intensificado o policiamento no Terminar Rodoviário Urbano, principalmente nos horários de 5:30 às 7:00hrs da manhã e das 22:00 à 00:00h, pois muitos assaltos acontecem ali, envolvendo especialmente mulheres e estudantes.

Na oportunidade venho novamente clamar aos demais órgãos que compõem o sistema de Defesa Social a trabalharem pela população, pois cuidar da segurança do povo não é dever somente da Polícia, mas de todo aqueles que assumiram esta função ocupando cadeiras no funcionalismo público e, desse modo, assumindo o compromisso de bem trabalhar para e pela sociedade.

Um forte abraço,

Claudionor Sena

publicado em 08 de Novembro / 2011 às 07:00

ESPAÇO DO LEITOR: A DESESPERANÇA

Prezados juazeirenses, os nascidos e os chegados. É triste, muito desalentador, quase angustiante pensar na nossa situação política, cultural e vamos dizer assim de um modo geral, obviamente preservando alguns setores onde ainda vislumbramos algum crescimento.

Juazeiro está ao lado de Petrolina e infelizmente esta comparação nos irrita, já estamos por demais cansados de ouvir comparações e as mesmas críticas repetidas à exaustão.

Mas o que tem sido feito para melhorar nossas vidas? Nossa pobre autoestima? O que será de nós em 2012? Qual será a nova "mudança" ou se a mesma vai continuar? Quem voltará com novas promessas? E os novos que de tão velhos já chegam derrotados nessa desesperança!

Juazeiro vai assim mesmo, vai! Podemos nos alegrar com algumas conquistas, algumas obras do governo federal e do governo estadual também, mas a cidade e o interior do município agonizam com a falta de serviços públicos, limpeza adequada, iluminação de cidade grande, praças e lazer, esportes para esta juventude abandonada, mergulhada em festinhas de "pagode" e arrocha, em uma desconstrução humana sem precedentes, criando jovens analfabetos e desinformados para a mão de obra barata e a marginalidade.

Não temos cultura nenhuma, não temos um parque municipal, não temos sequer uma biblioteca de cidadezinha, um cineminha pelo menos, alguma programação de lazer e cultura nos finais de semana, não! Ficamos esperando as "festinhas" de camisa e abadás com esta música pobre e burra baiana fazendo a cabeça dos "neymarzinhos" ruins de bola e as patricinhas paupérrimas sendo induzidas para o sexo sujo e massificado.

 Terra sem sequer uma liderança política forte, inteligente, confiável, muitos, muitos mesmo querem a "vereança" para ganhar um ótimo salário e fingir que defende o povo, e a prefeitura que já enriqueceu muita gente que se quer tem algum sentimentozinho por esta terra tão roubada, enganada, esquecida, maltratada e maltrapilha.

Quem vai nos defender minha gente? Em quem podemos acreditar? Vamos crescendo sim, grandes empresas chegam à juazeiro, mas para a nossa cotidiana tristeza o lixo, as ruas destroçadas a falta de cultura e estrutura nos faz apenas esperar por mais um natal, um carnaval e cinzas.

Juarez Bahia - cidadão triste desta terra

publicado em 07 de Novembro / 2011 às 07:00

Espaço do Leitor: Falta de Policiamento

Prezado Geraldo José

Por meio deste, venho até o seu espaço jornalístico, para relatar sobre a falta de policiamento para prestação de serviço ao cidadão em Juazeiro/BA.

O fato ocorreu devido a um acidente de trânsito gerado em frente ao ATACADÃO Supermercado, na Rodovia BR-407 em Juazeiro/BA por volta das 20 hs do dia 05/11/2011.

Eu, José Ferrari, quando chegava a este supermercado conduzindo meu veículo (Fiat Línea), fui atingido, já com o meu veículo parado, do lado direito do meu carro por uma moto de placa NZD-9236, conduzida por um motociclista de forma totalmente imprudente. O mesmo saia do supermercado empinando a referida moto quando perdeu o controle e veio a colidir.

Assim que procurei ligar para o 190, solicitando a presença do Policiamento, não tive êxito, pois quem me atendeu disse que não havia policiais para prestação do serviço naquele momento.

Então, aproveitando-se da minha distração quando telefonava para a polícia, o condutor da referida moto evadiu-se do local com a própria moto envolvida no acidente sem prestar qualquer tipo informação em que eu poderia ser ressarcido dos danos causados no meu veículo. Possivelmente, o mesmo estava sem a CNH ou com o veículo irregular, pois o motociclista havia dito para que eu não acionasse a polícia.

Ainda no local do acidente tirei algumas fotos e posteriormente, liguei para a PRF de Senhor do Bonfim, onde o Agente/Patrulheiro da PRF, Sr. Patrick, me orientou da melhor forma possível a procurar um posto da PRF mais próxima para prestar os esclarecimentos e registar um BO (Boletim de Ocorrência) ou uma DAT (Declaração de Acidente de Trânsito).

Dessa forma me dirigindo até o posto da PRF em Petrolina/PE, encontrei com uma viatura da própria PRF sobre a ponte Presidente Dutra, onde preenchemos uma DAT a qual usarei para acionar a justiça, já na próxima segunda-feira, dia 07/11/2011, em busca de meu ressarcimento financeiro.

Dentre as avarias ocorridas no meu veículo, tive o farol dianteiro direito quebrado, arranhões no para-choque dianteiro, quebra da grade frontal e deslocamento com quebra da placa dianteira.

A DAT foi registrada pela PRF sob a ocorrência de n° 119802.

O que nos deixa triste é fato de não existir em Juazeiro efetivo de policiais para que possam ajudar-nos nessas situações, uma vez que, se houvesse naquele momento patrulha militar, tenho certeza de que o condutor imprudente ou o responsável pelo veículo, estaria prestando todos os esclarecimento e/ou com seu veículo apreendido.

Agora, fica o cidadão de bem, além do dando material, incubido de acionar a justiça para que esse condutor ou o responsável pela motocicleta pague por suas irresponsabilidades e imprudências.

Atenciosamente,

José Ferrari

publicado em 05 de Novembro / 2011 às 09:00

Espaço do Leitor: Qual é, hoje, o IDH de Juazeiro?

Geraldo,

Encontrei uma notícia interessante e gostaria de compartilhá-la e comentá-la em seu blog.

“O relatório do Desenvolvimento Humano 2011, divulgado em 02/11/11 pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), classifica o Brasil na 84ª posição entre 187 países avaliados pelo índice. O Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) do Brasil em 2011 é de 0,718 na escala que vai de 0 a 1.” Fonte: G1

É a média brasileira é de 0,718. O que já não é nada bom.  Mas então, qual seria o IDH de nossa amada cidade, Juazeiro?

Acessei a página da Prefeitura Municipal de Juazeiro e a última atualização que consta, de acordo com o próprio site da Prefeitura Municipal, é de 0,683 – dados do ano 2000! Muito abaixo da média nacional... E hoje? 2011?

Será que não temos dados mais recentes? Onde está a preocupação do nosso administrador em melhorar este índice tão importante, se se quer o conhece?

Ora, já estamos quase entrando em 2012. Como planejar uma cidade com dados tão obsoletos?

Certa vez, num programa de rádio ouvi o Sr. Secretário de Planejamento, o Sr. Carlos Neiva dizer que está planejando Juazeiro para daqui a 20, 30 anos. Ora, se a prefeitura municipal é incapaz de informar ao cidadão o IDH do município, como é que está a planejar ações para a sua melhoria?

A tábua de pirulitos, postagem muito comentada neste blog, continua atualíssima, mesmo depois de meses... Todos os dias, assim como muitos cidadãos juazeirenses, me vejo em um rally: ruas e avenidas esburacadas, esgoto a céu aberto - e isso tudo a menos de 5Km do centro da cidade... Que espécie de planejamento o Sr. anda fazendo, Carlos Neiva? O de construir rampinhas “provisórias” de acesso à ponte que têm até quebra-molas para bicicleta?

Juazeirenses, conheçam a sua cidade! Conheçam os bairros e vejam o caos em que eles se encontram. Juazeiro está deteriorada...

E fica a pergunta: Qual é o IDH de Juazeiro? Justifique.

Mariana Campos Fontalvo - moradora do bairro Malhada da Areia

http://g1.globo.com/brasil/noticia/2011/11/brasil-ocupa-84-posicao-entre-187-paises-no-idh-2011.html

http://www.juazeiro.ba.gov.br/?pag=juazeiro

http://www.geraldojose.com.br/index.php?sessao=noticia&cod_noticia=15970

publicado em 04 de Novembro / 2011 às 16:10

ESPAÇO DO LEITOR: LEI DO SILÊNCIO

Geraldo José, 

Resido no Condomínio Santo Antonio e não agüento mais o BARRULHO que a Igreja Batista vem fazendo, e quarta-feira de 02.11.2011 realmente ultrapassou, pois tinha uma banda tocando uns sons (religiosos) nos ritmos de ROCK, PAGODE, FUNK, ARROCHA que pelo amor de Deus, parece que o DEUS deles é SURDO, para orar não precisa todo esse barulho, tentei descansar não conseguir, tentei estudar e aí foi pior, pois não conseguir me concentrar, um ABUSO DO SOM da IGREJA Batista realmente é um ABSURDO. 

Há um MITO, amplamente propagado no Brasil, dando conta de que o cidadão tem o direito de fazer barulho até as 22 horas. Engano. Na verdade, o EXCESSO de ruído que causa dano a outrem, a qualquer hora do dia, especialmente em zona residencial, constitui ABUSO DO DIREITO e, portanto, ATO ILÍCITO. 

Liguei para a Polícia, a mesma disse que não poderia fazer nada.  Mais tenho conhecimento que a mesma pode SIM, lavrar um TCO (Termo Circunstanciado de Ocorrência), com base no art. 42, III, da Lei nº 3.688 (a chamada "Lei das Contravenções Penais"), AINDA QUE NÃO HAJA O APARELHO QUE MEDE OS DECIBÉIS, mesmo porque a prova referente ao nível de ruído terá um momento próprio para ser produzida. 

Sei que posso entrar com uma ação de OBRIGAÇÃO DE NÃO-FAZER, pedindo para que o Estado-juiz imponha Igreja Batista (a ré) o dever de não efetuar o som acima de um determinado limite; ou, alternativamente, QUE INSTALE REVESTIMENTO ACÚSTICO HÁBIL A EVITAR O BARULHO (hipótese em que a obrigação, evidentemente, será de FAZER).

 É preciso que as pessoas tenham a compreensão que a Lei do Silêncio existe não para cercear o direito de alguns, mas para garantir o direito de todos. 

De acordo com a lei nº. 1.402/95, o nível máximo de som permitido para alto-falantes, orquestras, rádios e instrumentos isolados, entre 8h e 18h, é de 55 decibéis e 45 decibéis das 18h às 8h. Já os bares, restaurantes, boates, cassinos, dancings ou cabarés instalados na área urbana, não devem ultrapassar 40 decibéis entre 18h e 01h da madrugada. 

Em 2009 gerente de fiscalização e postura da SEIHASP, informou que os fiscais da Prefeitura Municipal iriam ficar de plantão.”O plantão vai acontecer na sexta-feira e no sábado até 01h da madrugada e no domingo até às 00h. Os fiscais de postura estarão com decibelímetros verificando se o som não está ultrapassando o limite da Lei do Silencio”.

Gostaria que a Prefeitura de Juazeiro tomasse uma providência e esses fiscais fossem até a Igreja Batista, para diminuir a ZUADA. 

Sandra Marly de Souza Faustino

Imagem Ilustrativa
publicado em 03 de Novembro / 2011 às 13:30

ESPAÇO DO LEITOR: O realizador de "sonhos fundiários"?

O problema da regulamentação fundiária de Petrolina PE, já vem de um longo período, extendendo-se por várias administrações e continua perpetuando-se, com a expansão da cidade, de forma "desordenada" e com total ausência de políticas públicas sérias, que possam definir as "regrinhas básicas de crescimento da cidade". 

O que falta então?

Nossa cidade, abriga diversas instituições qualificadas e preparadas para "projetar o desenvolvimento" de Petrolina PE. Temos o CEFET e a Univasf - todos abrangendo com muita propriedade e maestria à construção civil. 

No entanto, o que vai ser feito?

Empossar os moradores, que muitas vezes invadiram uma propriedade "antiga roça" particular ou retirar as famílias que já construíram suas casas? 

E como vai "A Prefeitura Municipal de Petrolina" convencer à Justiça de que as áreas ou "roças antigas", que ainda escrituralmente pertencem aos seus antigos donos, agora são "ditatorialmente" do interesse municipal?  

Por acaso o seqüestro de propriedade particular, por governos municipais é permitido nesse país? 

Então qual é a solução? 

Esse sonho fundiário, ainda permanece como o "pesadelo" de milhares de famílias, tanto de um lado, como de outro. 

Não existe e nem mesmo existirá, à menos de 1 ano para as eleições de 2012, políticas públicas avançadas e modernas, que sejam capazes de pelo menos "atenuar" este problema urbano. 

Tudo isso é a prova inconteste da total incapacidade dos gestores, na matéria de administração de cidades. 

O povo não é cego, nem surdo, nem mudo.

Moraes de Carvalho - Presidente do PSDC de Petrolina PE
Voltar ao topo
© Copyright Blog Geraldo José. 2009 - 2019. Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do autor.