Blog do Geraldo José - Artigo - Até que a morte nos separe
Vale do São Francisco - 22 de Setembro de 2019
|
Redação: (74) 3613-3479
publicado em 24 de Novembro / 2018 às 23:00

Artigo - Até que a morte nos separe

O sentimento de perda talvez esteja entre as piores dores sentidas por um ser humano. A palavra perder, por si só, já amedronta e leva automaticamente o positivo para o negativo, independente do que está em 'jogo'. Como dizem os mineiros, 'é ruim demais da conta sô' saber que não mais contará com algo que saiu do presente para o ausente. Muita oração e reza por parte dos cristãos e Yoga e meditação para os praticantes poderão minimizar o sofrimento daqueles que passam por algum tipo de acometimento.

A morte é sem dúvida a mais temida perda para o ser humano. Seu conceito, para a classe médica e científica é a cessação das funções vitais, ou seja, é a interrupção definitiva da vida de um organismo vivo que havia sido criado a partir do seu nascimento. A perda de um ente querido é imensamente dolorosa, chegando a ser insuportável. É algo durável, e permanente, que não se pode destruir, suprimir ou fazer desaparecer totalmente, um acontecimento geralmente difícil de ser enfrentado.

O sofrimento é uma marca indelével do ser humano, não resta outra possibilidade se não suportá-lo. Mas o termo morte não corresponde apenas ao final da vida física, será tudo aquilo que de alguma forma deixou de existir, que foi banido ou cerceado. Assim como uma patologia que pode ser curada através do uso de medicamento, existem infinitas maneiras de se evitar e até mesmo combater atitudes moralmente condenáveis e danosas contra uma sociedade. A participação popular, exigindo seus direitos e, ou, usando dos mesmos, de forma consciente para provocar as mudanças almejadas, contribuirá integralmente aplacar sofrimentos morais.

A perda de direitos conquistados com muitas lutas e até mesmo derramamento de sangue não pode e não deve ser uma complacência. A crise moral não pode ser desculpa para acreditar que um salvador da pátria irá conseguir resolver os problemas atribuídos apenas a uma sigla, em detrimento de fatores outros que corroboraram e ainda corroboram para uma situação estabelecida com fins políticos.

A quem interessar possa: quem atira no que viu não pode dizer que acertou no que não viu. Nada de sem querer querendo. Existem coisas na vida que podem ser evitadas, inclusive a morte. A falta de intenção não seria desculpas por erros premeditados. Não culpemos para não sermos culpados. Quem vai pela cabeça dos olhos é piolho, por tanto é preciso explorar e valorizar sentimentos como a consciência através da razão.

Como dizia Fernando Pessoa: "como facto a morte tem pouco interesse; morrer é só não ser visto, a morte é a curva da estrada".

Por Gervásio Lima

Jornalista e historiador

POSTAR
9 comentários
Antes de comentar qualquer matéria leia as regras de utilização do blog. Qualquer comentário que violar as regras será automaticamente excluído por nossa equipe.

É proibido inserir links (urls) dentro do comentário, caso contrário o mesmo será deletado por nossa equipe.
publicado em 24 de Novembro / 2018 às 23:22
Raquel

Parabéns doutor Gervásio. A perseguição de poderosos PODRES a Jesus Cristo e Tiradentes e Mandela e Lula ficara na História. Fariseus Golpistas Bozo mataram Jesus Cristo por pura inveja

publicado em 24 de Novembro / 2018 às 23:25
Madalena

A maldição do vice. No Brasil, Tancredo, Collor e Dilma sentiram na pele. Pelo visto, bolsonaro tão cedo assumirá o cargo. Era de se esperar isso. Quem manda um capitão escolher um general de vice. Menos mal q, pelas intervenções de Mourãu, ele consegue ser muito mais normal q bolsunaro. Que não consegue formular uma frase sem vomitar odio ou causar uma crise . Nunca, janais seria eleitora de bolsonaro que deseja e faz o mal. Desejar por exemplo q alguem apodreça numa prisão ou a morte e tortura de quem quer que seja não é da minha personalidade. Lamento q seja de milhares de brasil

publicado em 24 de Novembro / 2018 às 23:30
Laura - Acorda Brasil

Gosto dos textos aqui proferidos. Brasileiros lascado na mão de doentes INSENSIVEIS psicopatas torturadores perseguidores anjos do mau Lucifer Cão chutando maga

publicado em 24 de Novembro / 2018 às 23:42
yulo

Entre um ótimo professor e o último aluno da classe, os brasileiros escolheram a segunda opção para presidente da República nas últimas eleições. Senhor Gervásio leia os blog Brasil247 e GGN vai ver que Bosunaro de 10 escolhido 7 sao denuciados de roubo. Brasília cheia de mamadores e o povo vai morrer de fome? A solução??Temir vai pra cadeia?

publicado em 25 de Novembro / 2018 às 00:01
tania

Amigo Gervasio os quarenta milhoes de pessoas que acreditam no golpe na Dilma no lula e eu ainda acredito que essa eleiçao foi uma grande flaude lembra que o bozo disse que nao aceitaria outro resultado que nao fosse ele ganhar a eleiçao e quem falou em flaude nas urnas tudo muito suspeito

publicado em 25 de Novembro / 2018 às 06:55
Fernando Costa

A Morte do PT está próxima. Uma quadrilha que enganou a maioria do povo brasileiro, roubou seu próprio país, e aparelhou vários segmentos para continuar no poder. Explorou a pobreza e quis transformar minorias em maiorias. Só não contavam que nesse mesmo país há gente honesta, cristã, trabalhadora e que defende a vida e a família.

publicado em 25 de Novembro / 2018 às 06:56
José Meneses

Esse povo segue um cara (Marx) que chamava o pobre de PIOLHENTO. É muita ignorância.

publicado em 25 de Novembro / 2018 às 07:16
pedro

Blog plural. A preocupação eh grande com a liberdade de imprensa e com a vida dos jornalistas e a vida dos blog. Hitler mandou prender ou matar todos que era contra o partido nazistas. Ate agira Bozonaro não escolheu nem um nordestino será porque acha come capim e eh burro????

publicado em 26 de Novembro / 2018 às 00:52
Cidadão honesto

Chora petralhada!! Viva a honestidade, a família, e VIVA A JESUS!!!

Voltar ao topo
© Copyright Blog Geraldo José. 2009 - 2019. Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do autor.