Blog do Geraldo José - Pernambuco teve 190 ataques a bancos e carros-fortes em 2018; quase 40% estão fechados ou sem dinheiro, diz sindicato
Vale do São Francisco - 19 de Agosto de 2019
|
Redação: (74) 3613-3479
publicado em 10 de Janeiro / 2019 às 21:30

Pernambuco teve 190 ataques a bancos e carros-fortes em 2018; quase 40% estão fechados ou sem dinheiro, diz sindicato

Pernambuco teve, em 2018, 190 ataques contra bancos, correspondentes bancários, bancos postais e carros-fortes. O balanço foi realizado pelo Sindicato dos Bancários.  A capital do Estado lidera o ranking geral de cidades mais atingidas, sofrendo 20 ataques no ano passado. Segundo o sindicato, o alvo maior foram agências do Banco de Brasil, que sofreram ano passado 43 investidas, 14 a mais do que em 2017.

Em compensação, o número de ataques contra outras agências bancárias diminuíram, como por exemplo o Banco Bradesco, caindo de 54 para 39, quando comparado ao mesmo período em 2017. Segundo o Secretário De Assuntos Jurídicos do Sindicato dos Bancários, João Rufino, essa diminuição de ataques a alguns bancos, como o Banco Bradesco, deve-se a uma migração dos criminosos para outras agências bancárias.

"Muitas vezes as agências que sofrem com a ação dos criminosos, como as explosões, não são reabertas. As Agências do Banco Bradesco são um exemplo disso, por isso os criminosos buscam outro alvo em funcionamento", explicou.

A presidente do Sindicato dos Bancários, Suzineide Rodrigues, explicou também que essa migração dos criminosos não se limita apenas de um banco para o outro. Segundo ela, está havendo uma interiorização das ações criminosas. 

"Houve um avanço nas condições de segurança nos bancos da Região Metropolitana, isso fez com que os bandidos descobrissem as falhas de segurança nos interiores”, explicou. Ela ressalta também que o efetivo policial muitas vezes não é o suficiente. "Muitas vezes as delegacias só têm um carro de policia e dois policias, eles vão fazer o que em caso de ataques?", completou.

Caruaru, no Agreste do Estado, lidera o ranking das cidades atingidas na região, com 10 ações contra bancos em 2018. No total, o agreste sofreu um aumento de 37% quando comparado com 2017. 

Segundo o Sindicato, 60 agências no interior do estado precisaram ser fechadas devido à depreciação deixada após as investidas criminosas, 12 delas ainda não foram reabertas ou estão funcionando sem numerário. Ainda segundo eles, essa condição faz com que o crescimento econômico dos municípios não tenha um bom desempenho.

“Sem a presença de um banco nas cidades, muitas vezes ocorre uma migração dos consumidores para outros municípios, pois lá eles encontrarão agências bancárias em funcionamento. Estando em outro local, esse mesmo consumidor realiza suas compras lá. Isso prejudica a economia local de onde ele [o consumidor] reside”, explicou Rufino. 

O Sindicato Dos Bancários de Pernambuco prometeu cobrar providências do Governo do Estado e apresentar propostas de atuação junto a Secretaria de Defesa Social (SDS). “No ano passado, nossos dados foram questionados. Nesse ano precisamos chegar em um denominador comum com o Governo. É muito importante também que eles deem uma atenção e aumente o efetivo policial”, completou Suzineide Rodrigues. 

Folha Pernambuco
POSTAR
nenhum comentário
Antes de comentar qualquer matéria leia as regras de utilização do blog. Qualquer comentário que violar as regras será automaticamente excluído por nossa equipe.

É proibido inserir links (urls) dentro do comentário, caso contrário o mesmo será deletado por nossa equipe.
Voltar ao topo
© Copyright Blog Geraldo José. 2009 - 2019. Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do autor.