Blog do Geraldo José - Monumentos e praças públicas de Juazeiro estão em estado de abandono; rede cidade digital não funciona
Vale do São Francisco - 20 de Junho de 2019
|
Redação: (74) 3613-3479
publicado em 11 de Junho / 2019 às 12:00

Monumentos e praças públicas de Juazeiro estão em estado de abandono; rede cidade digital não funciona

Monumentos que deveriam guardar a história de Juazeiro estão se perdendo no tempo em virtude da falta de manutenção. O que poderia servir para contar a  história, inclusive a turistas, anda muito mal cuidado, depredado ou incompleto. A reportagem do Blog Geraldo José visitou alguns espaços públicos e constatou que faltam cuidados por parte do poder municipal e da população. Em algumas praças do Centro, os monumentos que fazem alusão a fato históricos estão pichados, quebrados e sem placas de identificação.

Na Praça doutor José Inácio da Silva, conhecida "Praça da Misericórdia", centro da cidade, zona comercial próximo a orla, ponto que deveria ser de atrativo turístico, um Coreto construído e inaugurado no dia 21 de abril de 1923, que era para ser uma homenagem, é reflexo do abandono.

Olhando ao redor, o abandono fica ainda mais evidente devido a grama alta, lixo e luminária quebrada. O comérciante José de Arimathea diz que não existe sequer um vigilante. "O Coreto serve de local para mendigos e uso de drogas, além de cachorros que perambulam de um lado para o outro". Os comerciantes pagam taxa de uso do solo público, referente ao valor tributo de autorização de atividade econônica.

A reportagem do Blog Geraldo José também conversou com taxistas e mototaxistas e eles reividicaram "que apesar de existir uma placa de uso de wifi gratis, "simplesmente não funciona".

Em todo canto da cidade tem monumento mal cuidado, ou melhor, sem cuidado nenhum. Quem passa pela Praça da Avenida Fláviano Guirmaraes, considerado um dos pontos mais movimentados de Juazeiro constata outro reflexo do abandono, monumentos que precisam de restauração e as árvores podadas.

O mestre em História Social, professor Francisco Moreira, atribui que "esses problemas de conservação acontecem por falta de educação patrimonial, um descaso para a falta de cultura, cujo reflexo é o abandono do espaço público". O professor também aponta que no geral o poder público está numa "fase" de abandono total em relação à manutenção de praças e patrimônios históricos.

Redação Blog Fotos: Ney Vital
POSTAR
13 comentários
Antes de comentar qualquer matéria leia as regras de utilização do blog. Qualquer comentário que violar as regras será automaticamente excluído por nossa equipe.

É proibido inserir links (urls) dentro do comentário, caso contrário o mesmo será deletado por nossa equipe.
publicado em 11 de Junho / 2019 às 12:34
sinceramente

Sinceramente esse que tá aí e nada é a mesma coisa. É bosta nagua. Tem é que o povo tirar eles do poder Clériston incompetência e companhia

publicado em 11 de Junho / 2019 às 12:50
Jeferson Santos Sales

Juazeiro todo está no abandono ... Ruas esburacadas sem remédio os postos de saúde e etc.e Juazeiro todo q está abandonada

publicado em 11 de Junho / 2019 às 13:18
Fernando Barros

A população não deve se preocupar, quando faltar seis meses para as eleições, a prefeitura vai fazer o conserto e tá tudo bem.

publicado em 11 de Junho / 2019 às 14:59
Paulo Gilberto

Parabéns ao blog e sua equipe de reportagem Geraldo tem falado no seu programa tem demostrado no blog todo abandono que se encontra a nossa Juazeiro uma vergonha o prefeito demostra a cada dia que não tem co promisso nenhum com a cidade nem muito menos com o povo. VERGONHA

publicado em 11 de Junho / 2019 às 15:11
Pedro Silva Santos

As praças em Geral estão em total abandono. Aquela ao lado do SAF em Juazeiro é o maior retrato de descaso, alem da praça de Piranga 1 ao lado do Codefas que só tem espinhos.... E outras mais centrais. Mais Ação Senhores Gestores.

publicado em 11 de Junho / 2019 às 16:31
O Brasil tem que passar a limpo

Estou necessitando de 21 palito,21 gravata,21 cadeira para fazer 21 bonecos eles ficarem sentados na beira do canal do Alto da Aliança olhando a obra parada que foi gastos mais de 6 milhões,esses bonecos vai representar os vereadores de juazeiro que só serve para puxar saco do Prefeito e não representa o povo de juazeiro.Essa foi a forma de fazer o protesto.

publicado em 11 de Junho / 2019 às 16:39
Moraes

Geraldo, eu como filho de Juazeiro estou envergonhado com a situação de minha cidade entregue a forasteiro, minha auto estima está lá em baixo. O que me tranquiliza é que só faltam um ano e meio para esse desgoverno acabar. Tomara que não aprovem a continuação de mais dois anos para os prefeitos senão Juazeiro sai do mapa.

publicado em 11 de Junho / 2019 às 16:59
gildailton

O que esperar de quem não conhece por vivenciar, mas, só de ouvir falar da história de Juazeiro? Chegou a hora de unirmos por nossa cidade, vamos resgatar a história e a felicidade de nossa gente! Vamos a luta!!!

publicado em 11 de Junho / 2019 às 17:40
Zé Trovão

Parabens Geraldo José. Um jornalismo diferenciado, bem mostrado, balizado com a verdade.

publicado em 11 de Junho / 2019 às 17:58
QUIM

AFINAL,O QUE FUNCIONA AQUI EM JUAZEIRO ?

publicado em 11 de Junho / 2019 às 18:00
QUIM

AFINAL,O QUE FUNCIONA AQUI EM JUAZEIRO ?

publicado em 11 de Junho / 2019 às 18:02
QUIM

MORAES-AMIGO,SER FORASTEIRO NÃO SIGNIFICA SER INCOMPETENTE,O NÓ ESTA NA FALTA DE CONHECIMENTO PARA SABER E A FALTA VONTADE E DE CAPACIDADE PARA FAZER.

publicado em 11 de Junho / 2019 às 18:32
Cidadão Juazeirense

A população deveria começar a ler todoa os dias o diário oficial do município de Juazeiro e ver o quanto se gasta com bobagem em nosso município, infinitos cargos comissionados, milhares de dinheiro pra confecção de carimbo e outros milhares pra material de expediente na Sesau, que nem especificado no documento que tipo de material é esse não está, então povo de juazeiro, abram o olho e vão direto na fonte e comecem a bater as panelas pois como eu sempre disse: VAI PIORAR!

Voltar ao topo
© Copyright Blog Geraldo José. 2009 - 2019. Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do autor.