Blog do Geraldo José - Cardiopediatra do HDM/IMIP participa de ação em alusão ao Dia Nacional de Conscientização da Cardiopatia Congênita
Vale do São Francisco - 21 de Agosto de 2019
|
Redação: (74) 3613-3479
publicado em 12 de Junho / 2019 às 20:43

Cardiopediatra do HDM/IMIP participa de ação em alusão ao Dia Nacional de Conscientização da Cardiopatia Congênita

A cardiopediatra do Hospital Dom Malan/IMIP de Petrolina, Natália do Vale, está participando de uma ação intermunicipal em alusão ao Dia Nacional da Cardiopatia Congênita, comemorado em 12 de junho. A primeira atividade foi realizada em abril na unidade materno-infantil com uma aula sobre o tema para profissionais do serviço. Esta semana, a médica – com o apoio da coordenação de Residência em Cardiologia Pediátrica da Univasf (promotora da ação) – realizou uma palestra sobre o Teste do Coraçãozinho na Maternidade de Juazeiro; e nesta quarta-feira uma sensibilização para profissionais e usuários do HDM.

"Conseguimos realizar uma ação muito positiva, inclusive com uma boa divulgação na imprensa. No Dom Malan tivemos a aula em abril, a panfletagem e os posts nas telas de todos os computadores. Então, o saldo foi muito positivo", ressaltou. O Dia Nacional da Cardiopatia Congênita foi instituído em 2012, é comemorado por toda a comunidade de cardiologia pediátrica e tem como objetivo buscar aumentar o conhecimento da população a respeito do assunto, a taxa de diagnóstico precoce e o acesso ao tratamento.

As cardiopatias congênitas estão presentes em 1 criança a cada 100 nascidos vivos, sendo esta a mal formação mais frequente e a principal causa de óbito em bebês de até um ano de idade. São originadas na própria organogênese do coração, durante o seu desenvolvimento na gravidez. Na maioria dos casos são cardiopatias simples, mas 25% correspondem a cardiopatias congênitas críticas, que necessitam obrigatoriamente de algum tipo de intervenção, seja ela cirúrgica ou por meio de cateterismo.

O diagnóstico precoce das cardiopatias congênitas é feito através do Teste do Coraçãozinho, que foi instituído em lei em 2014 no Brasil. Esse exame simples é a principal forma de rastreio da doença.

Consiste basicamente em medir a saturação de oxigênio, com um oxímetro de pulso não mão direita e em um dos pés. O parâmetro normal é acima de 95%, com uma diferença menor de 3%. Quando o primeiro exame dá alterado a orientação é repetir após uma hora. Confirmada a alteração é feito um ecocardiograma (ultrassom do coração).

O Teste do Pezinho é recomendado para todos os nenés aparentemente saudáveis, que nasceram com, no mínimo, 34 semanas, e a partir das 24 horas de vida, antes da alta hospitalar.

"O diagnóstico precoce é realmente um grande diferencial, pois quando as cardiopatias veem apresentar sintomas, geralmente, a criança já está descompensada", esclarece Natália.

O Hospital Dom Malan/IMIP de Petrolina já instituiu esse teste para todos os bebês que correspondem aos critérios mínimos e também realiza o ecocardiograma. "Inclusive nós conseguimos ampliar o acesso ao Teste do Pezinho com o apoio da equipe de enfermagem", comemora a médica, que é a responsável pelos ecos pediátricos do serviço.

Anna Monteiro-Hospital Dom Malan Imip
POSTAR
nenhum comentário
Antes de comentar qualquer matéria leia as regras de utilização do blog. Qualquer comentário que violar as regras será automaticamente excluído por nossa equipe.

É proibido inserir links (urls) dentro do comentário, caso contrário o mesmo será deletado por nossa equipe.
Voltar ao topo
© Copyright Blog Geraldo José. 2009 - 2019. Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do autor.