Blog do Geraldo José - MP pede reabertura de ação contra Roberto Carlos por funcionários fantasmas
Vale do São Francisco - 13 de Outubro de 2019
|
Redação: (74) 3613-3479
publicado em 09 de Outubro / 2019 às 05:00

MP pede reabertura de ação contra Roberto Carlos por funcionários fantasmas

O Ministério Público da Bahia (MP-BA), por meio da Procuradoria-Geral de Justiça Adjunta, pediu que o Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA) retome a ação penal contra o deputado estadual Roberto Carlos (PDT). O parlamentar é investigado por contratação de funcionários fantasmas na Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA) na Operação Detalhes. 

A ação penal contra Roberto Carlos foi suspensa em julho deste ano pelo desembargador Júlio Travessa, do Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA), motivada pela decisão do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, que determinou a paralisação de todos os inquéritos em trâmite no país originados a partir de relatórios do antigo Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf). 

No agravo interno em que argumentou pela reabertura da ação penal, o procurador-geral de Justiça adjunto, Wellington César Lima, arguiu que a determinação de Travessa foi imprecisa ao entender que a decisão de Toffoli atingiu qualquer investigação que utilizou dados do Coaf sem autorização prévia da Justiça.

“Nota-se que - ao contrário do que quer fazer crer o denunciado - o ministro Dias Toffoli não determinou o sobrestamento, indistintamente, de todos os processos que versem sobre compartilhamento de dados pelo Coaf, mas sim determinou a suspensão dos processos judiciais e apuratórios”, escreveu Wellington César Lima. A pedido do senador Flávio Bolsonaro (PSL), Toffoli suspendeu processos que “foram instaurados à míngua de supervisão do Poder Judiciário e de sua prévia autorização sobre os dados compartilhados pelos órgãos de fiscalização e controle que vão além da identificação dos titulares das operações bancárias e dos montantes globais”. 

Wellington César Lima defendeu que nos autos preliminares do processo contra Roberto Carlos, apenas constam montantes globais movimentados e a identificação de titulares das movimentações bancárias. O afastamento do sigilo bancário e fiscal dos investigados teria sido pedido pela Polícia Federal, analisado e deferido após a análise inicial. Com o trâmite, teria ficado inevitável concluir que a ação penal contra o deputado não guardaria semelhança com as hipóteses de abrangência elencadas na decisão de Toffoli. 

HISTÓRICO

A ação penal contra Roberto Carlos foi proposta pelo Ministério Público da Bahia (MP-BA) e aceita em uma votação apertada no plenário do TJ-BA, após descoberta de um erro na apuração dos votos (veja aqui). A Corte ficou dividida se as provas colhidas no curso da investigação não estariam "envenenadas", por terem sido obtidas sem prévia autorização judicial. O parlamentar foi investigado na Operação Detalhes em 2012, com realização de mandados de busca e apreensão na AL-BA, em Juazeiro, Uauá e Petrolina. O relatório do Coaf apontou que o deputado supostamente mantinha oito funcionários fantasmas, que receberiam entre R$ 3 mil e R$ 8 mil (saiba mais). De acordo com a denúncia, foram registrados depósitos em dinheiro que totalizavam R$ 203,5 mil.

Na defesa, o advogado de Roberto Carlos, João Daniel Jacobina, reforçou que a primeira prova produzida foi ilícita, e que todo inquérito foi decorrente dessa prova, conforme diz a Teoria do Fruto da Árvore Envenenada (relembre). A defesa do deputado, antes de pedir a suspensão do processo, requereu que o caso fosse remetido para julgamento na Seção Criminal do TJ-BA e não no Pleno, e o reconhecimento da nulidade da decisão que afastou os sigilos bancários e fiscais do acusado, declarando a ilicitude das provas produzidas a partir dela, “bem como de todas as outras derivadas das ilícitas, seja em razão da ausência de fundamentação da decisão ou mesmo por conta da incompetência da Justiça Federal para apreciar o pedido formulado pela Autoridade Policial”.

Fonte: Bahia Notícias
POSTAR
8 comentários
Antes de comentar qualquer matéria leia as regras de utilização do blog. Qualquer comentário que violar as regras será automaticamente excluído por nossa equipe.

É proibido inserir links (urls) dentro do comentário, caso contrário o mesmo será deletado por nossa equipe.
publicado em 09 de Outubro / 2019 às 07:10
Ineficiência do Pode Judiciário

Ineficiência do Poder Judiciário leva uma vida inteira pra processar um político e aí o dano causado a sociedade já é incontornável. Acontece também nos políticos de Petrolina. Veja como passam uma vida inteira causando danos à sociedade, tanto da impunidade quanto do absoluto cinismo, rindo, fazendo publicidade em outdoors, envergonhando e entristecendo o povo que desacredita, e com razão, dos homens e das instituições do país. E afasta da política as honestas que não querem se envolver com criminosos que pulalam o poder público.

publicado em 09 de Outubro / 2019 às 07:20
Curitiba

REALMENTE A JUSTIÇA ESTÁ MUDANDO OU MELHOR ESTÁ CONSEGUINDO TRABALHAR SEM PRESSÃO DE POLÍTICOS. PARABÉNS JUSTIÇA. TEM QUE IR A FUNDO MESMO A LEI É PRA TODOS. GOSTARIA TAMBÉM QUE AS LICITAÇÃO E CONTRATOS DA PREFEITURA DE JUAZEIRO FOSSEM INVESTIGADOS QUEM SÃO AS EMPRESAS A QUEM PERTENCE A QUEM SÃO LIGADOS . JUAZEIRO QUER SABER.

publicado em 09 de Outubro / 2019 às 07:32
Paulo

Parabéns aos procuradores. Quando agente faz uma análise do governo municipal. Fica complicado em acredita que o povo ainda vota nesse povo. Vejamos a promotoria de justiça denúncia membros do governo municipal em assassinato ,caça o vaqueiro e denúncia um deputado. Que pessoas estão a frente de nossa cidade. Ressaltando todos ricos. O os bestas brigando aqui embaixo. Só falta agora o escândalo de que mais. Parabéns justiça

publicado em 09 de Outubro / 2019 às 08:10
Zaira

Se avexe não. Logo, logo a Bahia e o Brasil saberão quem são, de fato, os "frutos podres" desse processo. Se são as vastas e contundentas provas anexadas aos autos ou se são os juízes encabrestados do Tribunal de Justiça da Bahia.

publicado em 09 de Outubro / 2019 às 08:25
DE OLHO NO FUTURO.

SE DEVE DEPUTADO, O CORRETO É APURAR, COLOCANDO DIVERSOS ASSESSORES E RECEBENDO MAIS DINDIN. PENSA QUE O POVO NÃO SABE DISSO? PENSOU QUE IA FICAR NO ESQUECIMENTO? O POVO AGORA SABE DE TUDO E PEDE A PF. PARA INVESTIGAR JUNTO COM O MPF.

publicado em 09 de Outubro / 2019 às 10:05
Maria de Lourdes

Tudo prática eleitoreira. O processo já foi arquivado. Estão tentando denegrir a imagem do melhor Deputado da Bahia. Eu confio no Deputado Roberto Carlos.

publicado em 09 de Outubro / 2019 às 12:16
Cristiano Felix

Todo Ano que antecede a eleição é assim! Deveriam investigar TODOS os gabinetes de políticos pra saber se todos os assessores estão lá! Que eu saiba assessor e pra estar nas ruas trabalhando, marcando consultas, resolvendo problemas jurídicos etc.. do povo que elegeu os deputados e políticos!’

publicado em 10 de Outubro / 2019 às 19:16
daniel

eu credito no deputado,,

Voltar ao topo
© Copyright Blog Geraldo José. 2009 - 2019. Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do autor.