Blog do Geraldo José - Mais da metade dos deputados serão enforcados nas urnas em 2018
Vale do São Francisco - 17 de Dezembro de 2017
|
Redação: (74) 3613-3479
publicado em 07 de Dezembro / 2017 às 09:00

Mais da metade dos deputados serão enforcados nas urnas em 2018

A vida política dos deputados federais, que apoiaram a derrubada de Dilma Rousseff, apoiam abertamente ou de forma velada o governo de Michel Temer, e do mesmo modo, vem decisivamente apoiando as reformas estruturais que estão diminuindo o tamanho do Estado na condução de políticas estruturais em favor do povo brasileiro, não está definitivamente nada fácil.

E provavelmente todos eles terão muitas dificuldades para convencer aos brasileiros de que devem voltar a representar os mesmos no Congresso Nacional a partir de janeiro de 2019. Prova mais do que cabal disso são os recentes eventos em que muitos deles estão participando e o povo sem nenhuma piedade não mais bate palmas como partícipes de auditório, mas simplesmente os deixam em situações constrangedoras pelas vaias recebidas.

Não está sendo realmente nada fácil acreditar que as coisas em 2018 serão da mesma forma de eleições anteriores aonde o dinheiro podia comprar propriamente dito mandatos de deputados, porque com a ascensão das redes sociais, e o terrorismo midiático diário falando de corrupção, de malas de dinheiro, de quebra de direitos elementares, e outras coisas mais cabeludas, o povo está definitivamente deixando de ser massa de manobra das aves de rapinas que acham que leram demais Maquiavel, e se esqueceram dos próprios ensinamentos do homem de Florença.

Para aumentar ainda mais a dor de cabeça de deputados que não representam o povo, a pior e mais cruel reforma estrutural que querem impor aos brasileiros sem um diálogo convincente com a sociedade, a Reforma da Previdência, deverá ser colocada em pauta bem em cima das eleições que escolherão os próximos representantes do povo no Congresso Nacional. Além disso, os financiadores de campanhas eleitorais, que fazem por licitações e outros instrumentos de obtenção de recursos públicos, deverão pensar duas vezes antes de fazer isso nas próximas eleições. O medo de ser preso, exposto na jaula pública, e perder tudo em pouco tempo falará mais alto.

E outra coisa, Michel Temer não está nem aí prá nada, pois não é candidato a praticamente nada. E se for é somente para querer atrapalhar alguns para outros vencerem e ele ser embaixador da República numa capital européia. Ele não está nem mais levando vaias, porque não sai mais em público, e ainda vai colocar arame farpado em torno do Palácio do Jaburu, enquanto outros como o deputado Arthur Maia (PPS-BA) está passando vergonha pública, levando vaias por onde passa. Quem viver mais tempo, verá os enforcamentos das urnas!

Por Genaldo de Melo
POSTAR
9 comentários
Antes de comentar qualquer matéria leia as regras de utilização do blog. Qualquer comentário que violar as regras será automaticamente excluído por nossa equipe.

É proibido inserir links (urls) dentro do comentário, caso contrário o mesmo será deletado por nossa equipe.
publicado em 07 de Dezembro / 2017 às 09:36
João Bicudo

Texto tendencioso que "esqueceu" de falar nas vaias da Caravana de Lula pelo Brasil, da Prisão dele ano que vem, do cabo eleitoral Tiririca, que já está condenado, e também que o MESSIAS vem aí - é bom JAIR se acostumando. Bolsonaro 2018.

publicado em 07 de Dezembro / 2017 às 09:37
Juazeirense

Espero que a tendência se aplique a prefeito e principalmente vereadores de preferencia em nossa cidade, vamos renovar tudo tirar todos os vícios politicos que tanto nos faz mal, não vamos reeleger ninguém que aí está e lembrar que precisamos de vereador de oposição ou corremos o risco de ficar como está atualmente um marasmo politico total.

publicado em 07 de Dezembro / 2017 às 09:41
Juliano

Parabéns. Tudo verdade.Gedeu PMDB daria tudo para sair da cadeia. Falta Temeroso Judas na papuda??Brasília muito mamando e mandando para Suíça. Cunha PMDB continua mamando de dentro da cadeia??????

publicado em 07 de Dezembro / 2017 às 09:49
Getulio

Ao comentar a ação da Polícia Federal na Universidade Federal de Minas Gerais, o jornalista Ricardo Cappelli diz que como ex-presidente da UNE, jamais imaginou que a "onda fascista" chegasse a tanto; "O cadáver do Reitor Cancellier parece não ter surtido qualquer efeito na reação. As Universidades são espaços invioláveis, bastiões da democracia e da liberdade. Ultrapassaram todos os limites. Os Democratas precisam se levantar na Defesa do Estado Democrático de Direito e das garantias individuais", diz ele; "A ação ideológica infiltrada no aparato estatal é inadmissível. LULA 2018 urgente!!blo

publicado em 07 de Dezembro / 2017 às 10:23
Walnyr Lino

Esperamos que os eleitores tenham essa visão e tomem a atitude correta em "enforcarem" esses políticos corruptos e que só "trabalham" em causa própria. Como dizia o velho ditado: "Chegou a hora da onça beber água".

publicado em 07 de Dezembro / 2017 às 11:22
José Paulo

Peço a Deus que suas sabias palavras sejam ouvidas na Integra e que todos os envolvidos como os do PT também caiam no Sarafo.

publicado em 07 de Dezembro / 2017 às 13:50
Junior de Juá

NADA VAI MUNDA na VIDAS deles, vão sair da situação de ladrão pra bandidos.

publicado em 07 de Dezembro / 2017 às 16:44
MARIO DA SILVA

ESSA CAMBADA TEM QUE SE FERRAR MESMO.

publicado em 09 de Dezembro / 2017 às 15:26
Guarabira Queiroz Lima

Só vai receber voto para Deputado quem tiver dinheiro para comprar, pois a maioria dos eleitores brasileiro se vende, disso não tenho dúvida, porque, infelizmente, vejo funcionar em todas eleições, inclusive essa que passou, principalmente para Vereador. Vi gente que não dar água a pinto, se eleger Vereador, na base da compra de voto. Alias, a Imprensa Brasileira detalha muito bem essa situação epidêmica na política de Brasil. A Operação Lava-Jato confirma o que estou dizendo, não existe melhor prova.

Voltar ao topo
© Copyright Blog Geraldo José. 2009 - 2017. Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do autor.