Blog do Geraldo José - ARTIGO – O DESPREZO NUM SORRISO IRÔNICO
24 de Fevereiro de 2018
publicado em 04 de Fevereiro / 2018 às 23:00

ARTIGO – O DESPREZO NUM SORRISO IRÔNICO

O tema é delicado e a imponência do cargo tem uma dimensão tão especial que, obviamente, até mesmo inibe a quem escreve em tecer qualquer comentário sobre o desempenho jurídico de Ministros com a envergadura dos integrantes dos Tribunais Superiores. Mas, independentemente do respeito que o cargo impõe a todos, encontramos na Constituição Federal de 1988 a permissão que nos autoriza a exercer o direito do livre pensamento, no seu Art. 5º, que diz: “Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade; [...] é livre a manifestação do pensamento...”. Com base nisso, sinto-me à vontade para tratar de um assunto amplamente noticiado, inclusive com a imagem que ilustra este Artigo.

Assim, observados os cuidados com os excessos e a intolerância diante da respeitabilidade de que se reveste o cargo, é impossível, contudo, ficar alheio à revolta do cidadão comum com certas posições pessoais jurídicas ou, às vezes, não tão jurídicas, de alguns julgadores da nossa mais alta Corte! Uma atitude se tornou comum em restaurantes, aeroportos e durante os voos aéreos, das pessoas hostilizarem políticos ou Ministros de Estado, como forma de extrapolarem a sua revolta ou protesto pela conduta irregular e nem sempre muito ética por parte da maioria no desempenho de suas funções. Era inimaginável pensar que algum Ministro do nosso Superior Tribunal Federal algum dia pudesse ser alvo de igual manifestação, ou estar sendo impedido de circular livremente em seu próprio país, e até mesmo no exterior!

Foi divulgado nas redes sociais e mesmo nos Blogs mais notáveis do país, como o geraldojose.com.br, em 14/01, a triste e vergonhosa imagem do Ministro Gilmar Mendes curtindo tranquilamente em Lisboa o período de recesso do STF, cidade onde possui residência para as férias eventuais, quando circulava na contemplação das coisas à sua volta e duas brasileiras o percebem, e começam a gravar um vídeo cheio de protestos e com expressões pouco elegantes para um Ministro do Superior Tribunal Federal, e atual Presidente do Tribunal Superior Eleitoral-TSE: “O senhor é de uma injustiça imensurável. Inclusive, o senhor deve estar querendo se disfarçar aqui, andando como um comum dos mortais, coisa que não é [...] O senhor não tem vergonha do que faz pelo país? ”. Para completar esse triste episódio, o Ministro foi também hostilizado aqui no Brasil, pelos passageiros durante um voo comercial para a sua terra, Mato Grosso, com impropérios de toda ordem e gritos de “FORA GILMAR”! Além dessas agressões, outras pragas foram proferidas contra o nobre Magistrado, as quais me recuso a repeti-las!

No caso de Lisboa, o Ministro jamais poderia esperar que a milhares de quilômetros do Brasil pudesse encontrar brasileiras tão corajosas e dispostas a gritar alto e em bom som os seus sentimentos de rebeldia, mesmo encarando como resposta o seu já conhecido sorriso irônico e de desdém, igualmente usado quando era Presidente do STF num histórico bate-boca em plena sessão com o ex-Ministro Joaquim Barbosa, e este usou de expressões muito semelhantes às dessas senhoras!

Quero acreditar que a repercussão negativa desses fatos, não só no Brasil como em outras partes do mundo, deve ter incomodado profundamente os demais Ministros dos Tribunais Superiores, que, certamente, estão conscientes de que a postura incontestável e irrepreensível é uma marca indelével para a dignidade que o cargo exige e recomenda.

Certamente que o meu pensamento se coaduna com o sentimento que domina o povo brasileiro em não acreditar que tudo isso esteja acontecendo com o Brasil, uma vez que o descrédito predominante que contaminou os demais Poderes da República, já não está isentando nem mesmo o segmento mais soberano de nossas Instituições, os Tribunais Superiores ou, pelo menos, alguns dos seus membros. E disso, não tem sorriso irônico que os salvem!

AUTOR: Adm. Agenor Santos, Pós-Graduação Lato Sensu em Controle, Monitoramento e Avaliação no Setor Público (Salvador-BA).

POSTAR
9 comentários
Antes de comentar qualquer matéria leia as regras de utilização do blog. Qualquer comentário que violar as regras será automaticamente excluído por nossa equipe.

É proibido inserir links (urls) dentro do comentário, caso contrário o mesmo será deletado por nossa equipe.
publicado em 04 de Fevereiro / 2018 às 23:16
ACORD@DINHO - *_*@*_*

Na verdade... Na verdade... as pessoas estão despertando, acordando, ainda que seja devagar. Não há mais nada na vida que possa se esconder entre o céu e terra. Daí acontece essas reações, de quem não aguenta mais tamanha desconsideração daqueles que são devedores do Povo.

publicado em 04 de Fevereiro / 2018 às 23:19
Firo - Perguntar a Quim

Ele eh do time de Judas Traidor Lucifer Temir Quim e Gedeu MDB e Aesiu Alquim PSDB sumico merenda???Tiraram Dilma honesta para colocar quadrilha da pior espécime??

publicado em 05 de Fevereiro / 2018 às 05:59
Joaquim - Amo PT, Amo Lula e os blog

A pesquisa Datafolha desta semana revela uma verdade cristalina: não há um único indivíduo, entre os 207 milhões de brasileiros, capaz de vencer o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva numa disputa eleitoral limpa. A centro-direita brasileira, que apostou na quebra do pacto democrático, sai humilhada diante da sua própria incapacidade de derrotar, nas urnas, um condenado em segunda instância. Caso a marcha da insensatez prossiga e Lula venha a ser preso, a humilhação será ainda maior porque, entre todas as forças políticas, não haverá ninguém capaz de bater um detento. Blog GGN

publicado em 05 de Fevereiro / 2018 às 07:05
Eden Lopes Feldman

Como sempre, você nos traz um angulo diferente da realidade que nos cerca, Agenor. E nesta crônica, além da indignação, temos a revolta de um povo que não entende mais como uma classe de funcionários públicos, em algumas situações atua de forma digna e em outras consegue agir sem o mínimo respeito pelas convicções e anseios dos brasileiros. Hoje já não temos apenas a ideologia política provocando o temor de um estado totalitário, seja a esquerda ou a direita. Também temos ninhos de privilégios, posições corporativistas e opiniões conflitantes com a dignidade que esperamos. FOZ DO IGUAÇU-PR

publicado em 05 de Fevereiro / 2018 às 07:22
ERRY JUSTO

O que aconteceu com GILMAR MENDES é o resultado de uma decisão totalmente insana, a saber, O JUDICIÁRIO QUERER LEGISLAR! Em outras palavras: FAZER POLÍTICA! Isso demonstra que o referido Ministro não está apto para exercer tal cargo de tamanha responsabilidade ao observar que seus atos são no mínimo muito suspeitos!

publicado em 05 de Fevereiro / 2018 às 08:04
Pensador

Sinceramente? Ele ta pouco se importando com isso. Caso se importasse, nem sequer sairia na rua. Na realidade, quem ta passando vergonha são as pessoas quem se expõem tanto nas redes sociais quanto na rua dessa forma. Repito: Se ele sentisse algum remorso, não iria sair na rua.

publicado em 05 de Fevereiro / 2018 às 11:09
TOCADOR

É triste e revoltante para o Judiciário em geral e principalmente para os brasileiros ter na sua Corte Superior um "magistrado" tão cínico, irônico e que sempre "lutou" contra o povo e os seus interesses. Gilmar é uma VERGONHA para a nação.

publicado em 07 de Fevereiro / 2018 às 10:48
Guarabira Queiroz Lima

Mesmo com valha de alguns Ministros, mas o Supremo Tribunal Federal é a essência principal da flor da democracia. Sem a existência do funcionamento dessa Corte Suprema em um País, a democracia perece.

publicado em 07 de Fevereiro / 2018 às 16:22
Guarabira Queiroz Lima

Corrigindo a errata anterior da palavra "vaia", repito: "mesmo com vais dadas a alguns Ministros, o Supremo Tribunal Federal é a essência principal da flor da democracia de um País. Sem essa essência a democracia perece.

© Copyright Blog Geraldo José. 2009 - 2018. Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do autor.