Blog do Geraldo José - Primeira sessão 2018 da Câmara de Petrolina é marcada por agressão verbal entre vereadores
23 de Maio de 2018
publicado em 06 de Fevereiro / 2018 às 15:30

Primeira sessão 2018 da Câmara de Petrolina é marcada por agressão verbal entre vereadores

A primeira sessão da Câmara de Vereadores de Petrolina foi marcada pela discussão e agressão verbal entre os legisladores Ronaldo Cancão (PTB) e Gabriel Menezes (PSL). O motivo da 'briga" foi Gabriel Menezes ter solicitado um requerimento que foi reprovado pelos vereadores da situação que acompanham o prefeito de Petrolina Miguel Coelho (PSB).

Gabriel fez duras críticas ao Programa de Reflorestamento das margens do Rio São Francisco, na orla fluvial, que está sendo executado pela prefeitura. Gabriel questionou 'o fato de a prefeitura divulgar, na placa informativa referente ao programa, estar investindo mais de R$ 845 mil em 5,5 mil mudas (o que dá R$ 153,00 por cada muda").

Ronaldo retrucou a acusação: "O programa Real Verde foi aprovado ainda na gestão do ex-prefeito Julio Lossio (REDE) e por isto o Governo Miguel Coelho não está comprando mudas para reflorestar a orla, já que a iniciativa faz parte de um convênio com outras instituições da cidade" . Ronaldo chamou Gabriel Menezes de “cafajeste” por divulgar informações inverídicas.

Osinaldo não deu nome aos bois, o que deixou a entender que o recado teria sido endereçado ao Professor Gilmar Santos (PT), com quem ele trocou duras farpas no ano passado. Mas o vereador disse que suas palavras não são apenas para Professor Gilmar.

“Alguns vereadores têm se excedido, e eu não sei se não aprenderam o significado de bons modos, educação, respeito. Vamos discutir política. Agora, você partir para imoralidade, para a baixaria, para a depravação, para o desrespeito, isso não existe. Petrolina não quer isso. Petrolina quer avanço, prosperidade, boa educação, saúde, segurança. Petrolina não quer alguém afrontando um ao outro aqui, e ainda mais sem provas. Você dizer que o cara é imoral, vagabundo, mau caráter. E as provas materiais?”, declarou.

Já o vereador Osinaldo Souza disse que não aceitará "falta de respeito por parte dos vereadores e não vai tolerar essa questão de alguém se exceder, e no dia seguinte aparecer rindo, parecendo uma marica”.

"Petrolina quer avanço. Petrolina não quer alguém afrontando um ao outro aqui, e ainda mais sem provas. Você dizer que o cara é imoral, vagabundo, mau caráter. E as provas materiais?”, questionou Osinaldo.

Redação Blog
POSTAR
3 comentários
Antes de comentar qualquer matéria leia as regras de utilização do blog. Qualquer comentário que violar as regras será automaticamente excluído por nossa equipe.

É proibido inserir links (urls) dentro do comentário, caso contrário o mesmo será deletado por nossa equipe.
publicado em 06 de Fevereiro / 2018 às 16:24
Juazeirense Triste

Melhor essa briga, essa discussão, tão própria do parlamento. A gente vê deputados se estapeando aqui, nos Estados Unidos e até na Inglaterra. Parlamento é isso: Discussão, briga, desavença e liberdade para continuar a discordar. Pior é Juazeiro; Nenhum fala nada, nenhum vereador discorda de nada.. Entram calados e saem mudos ou pior ainda ocupam a tribuna para elogiar a si ou ao prefeito. Triste... Em Juazeiro o parlamento morreu....

publicado em 06 de Fevereiro / 2018 às 20:48
EDEMIAS

PELO MENOS OS CAROS VEREADORES ESTÃO BRIGANDO DE CERTA FORMA POR COISAS QUE RELACIONA A SUA CIDADE OU SEJA ESTÃO COBRANDO POR SUA CIDADE.POR QUE AQUI EM JUAZEIRO MEUS IRMÃOS O NEGOCIO TA FEIO VIU TODO MUNDO CALADO CARA SÓ ESPIANDO E QUANDO CHEGA A ELEIÇÃO AINDA TEM A CARA DE PAU E PEDIR VOTO MIM POUPE VIU PELO AMOR DE DEUS GENTE VAMOS ACORDAR CHEGA SI VENDEM POR MICHARIA ACORDEM PELO AMOR DE DEUS??????????

publicado em 10 de Fevereiro / 2018 às 14:36
Guarabira Queiroz Lima

Briga boa é de foice. Os Vereadores de Juazeiro da Bahia não brigam porque são educados ou porque são valentes. Dizem que valentes não brigam, se tornam compadres.

© Copyright Blog Geraldo José. 2009 - 2018. Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do autor.