Blog do Geraldo José - Patético e Vergonhoso: Vitória e Bahia fazem jogo de brigas e expulsões
26 de Setembro de 2018
publicado em 18 de Fevereiro / 2018 às 20:46

Patético e Vergonhoso: Vitória e Bahia fazem jogo de brigas e expulsões

O que seria o Ba-Vi da paz terminou como o Ba-Vi da vergonha neste domingo (18), no Barradão. Com 1x1 no placar e após 16 minutos de paralisação por causa de brigas, o jogo terminou aos 34 minutos do segundo tempo porque o Vitória não teve jogadores suficientes. A regra diz que a partida não pode continuar se um time tiver menos de sete jogadores em campo. Foi o que aconteceu, e de maneira proposital.

O Vitória tinha sete jogadores em campo. Primeiro porque Kanu, Rhayner e Denilson foram expulsos por causa de uma briga que começou quando Vinicius empatou de pênalti para o Bahia – no primeiro tempo, Denilson havia feito 1x0 para o rubro-negro.

O jogo só recomeçou depois de 16 minutos de bola parada e quatro jogadores do Bahia também expulsos, sendo os titulares Vinícius e Lucas Fonseca e os reservas Edson e Rodrigo Becão. Ou seja, com nove do Bahia e oito do Vitória.

Até que o rubro-negro Uillian Correia foi expulso após fazer falta por trás em Zé Rafael e receber o segundo cartão amarelo. O Vitória, com sete em campo, ficava no limite. Poucos minutos depois, o Bahia teve uma falta para cobrar no ataque. E, após uma troca de informações entre o supervisor Mário Silva, o técnico Vagner Mancini e alguns jogadores como Ramon e Bryan, o zagueiro Bruno Bispo caminhou até a bola, que estava parada para Allione cobrar, e a chutou para longe. Ele já tinha cartão amarelo, foi expulso e acabou o jogo antes da hora.

A primeira grande confusão do jogo começou aos 4 minutos do segundo tempo, quando o Bahia empatou o jogo em cobrança de pênalti de Vinícius. Na comemoração, o meia tricolor fez uma dancinha estilo “créu” e gesto de “cala a boca” direcionado para a torcida do Vitória.

O goleiro Fernando Miguel não gostou e saiu em disparada segurando o jogador do Bahia e bradando com ele. Foi o início de uma briga generalizada em que Vinícius levou socos de Denilson, Yago e Kanu, e o volante Edson, do Bahia, deu um murro no lateral Bryan, do Vitória, além de outros jogadores envolvidos.

O árbitro Jailson Freitas expulsou três jogadores do Vitória: Kanu, Denilson e Rhayner, todos titulares; e quatro do Bahia, sendo os titulares Lucas Fonseca e Vinícius, sendo que este não havia revidado nem tinha cartão amarelo, e os reservas Rodrigo Becão e Edson.

O regulamento geral de competições da CBF afirma, em seu artigo 56, que nenhuma partida poderá ser disputada com menos de sete atletas. E acrescenta, no inciso 3º, que “após o início da partida, se uma das equipes ficar reduzida a menos de sete (7) atletas, dando causa a essa situação, tal equipe perderá os pontos em disputa”.

O inciso 4º complementa: “O resultado da partida será mantido, na aplicação do § 3º, se, no momento do seu encerramento, a equipe adversária estiver vencendo a partida por um placar igual ou superior a três (3) gols de diferença; e se tal não ocorrer, o resultado considerado será de três a zero (3x0) para a equipe adversária”.

O técnico Guto Ferreira já falou como vencedor do clássico, embora em tom de lamento: "Infelizmente um triunfo do Bahia que não tem aquele gostinho porque dentro de campo não foi possível terminar da maneira que tinha que terminar. Mas aí não cabe a nós julgar ou tomar decisões por eles. Nós sempre honramos os torcedores, buscamos os resultados até o final".

A Federação Bahiana de Futebol ainda não publicou a súmula da partida.

Correio da Bahia
POSTAR
5 comentários
Antes de comentar qualquer matéria leia as regras de utilização do blog. Qualquer comentário que violar as regras será automaticamente excluído por nossa equipe.

É proibido inserir links (urls) dentro do comentário, caso contrário o mesmo será deletado por nossa equipe.
publicado em 18 de Fevereiro / 2018 às 21:05
Carlao

a imprensa fala como se o campeonato baiano fosse só ba vi.se vc ver a propaganda do premier so fala em ba vi.entao eu acho é bom.coisa boa o que aconteceu. vergonha pura

publicado em 18 de Fevereiro / 2018 às 22:28
Geovanny

isso não vai da em nada. a gente ver uma propaganda do campeonato baiano,e só fala em bahia e Vitória . como se os outros clubes não existem. campeonato medíocre

publicado em 19 de Fevereiro / 2018 às 09:25
Nonato dos santos

Exatamente, o ICASA tem o respeito da crônica esportiva do Ceara , o Salgueiro da mesma forma é respeitado pela imprensa esportiva de Pernambuco, mas os times do interior baiano para à imprensa da Capital, é somente para compor a tabela do campeonato. Espero que o Juazeirense não baixe a cabeça quando enfrentar os dois da Capital, que vivem só do nome, não jogam nada.

publicado em 19 de Fevereiro / 2018 às 15:10
Willams

O mesmos torcedores que criticam a imprensa baiana por dar mais créditos a dupla bavi em Juazeiro, são os mesmo torcedores de Flamengo e Vasco. Não vejo ninguém criticar o dinheiro que a globo e a mídia faz em cima dos times do Rio e São Paulo. Esses torcedores em Juazeiro são hipócritas. Juazeirense está bem, mas do outro lado temos um time bi campeão brasileiro. Se é para cobrar, cobra a falta de mídia que os times do nordeste tem em relação ao Brasil. Um bando de torcedores de Flamengo e Vasco falando besteira. Depois perde na final e inventam que o jogo foi comprado.

publicado em 20 de Fevereiro / 2018 às 10:55
Nonato dos Santos

O que tem a imprensa esportiva do Rio de Janeiro, a ver com a imprensa esportiva da Bahia? Quanta besteira é essa cara...? A única coisa de valor que você postou, foi o nome do glorioso FLAMENGO. kkkkkkkkkkkkkkkk

© Copyright Blog Geraldo José. 2009 - 2018. Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do autor.