Blog do Geraldo José - Derrubada de árvores da Avenida Adolfo Viana e interdição do trânsito causam revolta, CSTT diz que rodovias federais são de competência do DNIT
Vale do São Francisco - 20 de Setembro de 2018
|
Redação: (74) 3613-3479
publicado em 14 de Setembro / 2018 às 14:30

Derrubada de árvores da Avenida Adolfo Viana e interdição do trânsito causam revolta, CSTT diz que rodovias federais são de competência do DNIT

A obra de requalificação da Avenida Adolfo Viana está causando dezenas de reclamações: leitores denunciam a derrubada das árvores e o trânsito está um caos nas imediações da avenida. Vários motoristas reclamam da falta de orientação para que rota seguir. Eles cobram a presença de agentes de trânsito no local e "uma explicação para a derrubada das árvores".

Confira Nota CSTT:

A Companhia de Segurança, Trânsito e Transporte (CSTT) informa que vem acompanhando a obra de requalificação da Avenida Adolfo Viana desde o início. Quando a interdição aconteceu no trecho do semáforo da SOTE, toda a sinalização foi feita e fiscais de trânsito ficavam lá diariamente.

Neste momento, a interdição acontece na BR e rodovias federais são de competência do DNIT, a CSTT não pode atuar. Por esta razão, a via está somente sinalizada e sem a presença de fiscais. Assim que a obra retornar para o trecho municipal da via, os fiscais de trânsito voltarão a atuar diariamente no local.

POSTAR
9 comentários
Antes de comentar qualquer matéria leia as regras de utilização do blog. Qualquer comentário que violar as regras será automaticamente excluído por nossa equipe.

É proibido inserir links (urls) dentro do comentário, caso contrário o mesmo será deletado por nossa equipe.
publicado em 14 de Setembro / 2018 às 15:03
Moizes

As arvores maiores maiores não podem ser derrubadas.

publicado em 14 de Setembro / 2018 às 15:05
Jonh Leno

Tem que derrubar mesmo essas árvores qie atrapalham o trânsito de juazeiro, esses falsos ambientalistas tem que se preocupar e com a floresta amazônica,e não com essas árvores irrisórias.

publicado em 14 de Setembro / 2018 às 15:15
Júlio César

Tudo em Juazeiro vira polemica, se não faz reclamam, se faz ficam com picuinhas besta, é complicado, uma obra que vai melhor o mobilidade urbana, transtornos faz parte de uma cidade em desenvolvimento.

publicado em 14 de Setembro / 2018 às 15:32
Carlao

Muito agente de trânsito pra nada

publicado em 14 de Setembro / 2018 às 16:35
Fiscal

Esse povo de Juazeiro não sei não, já semanas até falam que vão retirar as árvores e fazer o replantio de outras, e em uma quantidade maior. O povo feio daqui merece mesmo a cidade feia que tem.

publicado em 14 de Setembro / 2018 às 16:41
Pedro

Essa nota da (CSTT) mostra o despreparo da empresa e a despreocupação para com população, a obra antes de ser iniciada deveriam ter romado as medidas necessárias para diminuir os transtornos. ex celebrar convenio com o DNIT para realizar a orientação e sinalização da via. Nesse trecho tem espaço do lado direito da via, seria possível fazer a 3 faixa para acesso ao via que passa em frente ao Raport hotel. Total descaso com o povo

publicado em 14 de Setembro / 2018 às 18:55
paulo

E desde quando essa avenida se classifica como uma ¨rodovia¨?, esses medíocres e acéfalos dessa prefeitura municipal e suas matracas exalando imbecilidades!!

publicado em 14 de Setembro / 2018 às 21:45
Matheus

Já foi dito pelo empresa aqui mesmo neste Blog que serão plantadas 252 árvores para compensar a perda das atuais.

publicado em 15 de Setembro / 2018 às 07:32
o bem observado

parece que a gestão pos a galera dela toda comentar asneiras em defesa de si mesma aqui aqui, meu deus... quer dizer que se importar com arvores que levaram anos pra ficar daquele jeito é errado? não podiam ter elaborado projetos que mantivesse as arvoreS?!?? ai começa uma obra sem terminar outra, isso essa turma de baba... não comenta

Voltar ao topo
© Copyright Blog Geraldo José. 2009 - 2018. Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do autor.