Blog do Geraldo José - Artigo - Nasceu o sol a 25 de janeiro
Vale do São Francisco - 15 de Fevereiro de 2019
|
Redação: (74) 3613-3479
publicado em 08 de Fevereiro / 2019 às 09:23

Artigo - Nasceu o sol a 25 de janeiro

O que para muitos foi uma simples eleição de sindicato, pode representar uma grande conquista para Juazeiro. A vitória da Chapa 2 nas eleições do SINSERP- Sindicato dos Servidores Públicos da Prefeitura de Juazeiro, no último dia 25, encabeçada por Luiz Alberto (Presidente) e Francisco Arnóbio (Vice), pessoas altamente comprometidas com as causas dos servidores públicos e com a cidade de Juazeiro, é a grande esperança do retorno das vozes que se opunham em Juazeiro e a quebra do poder hegemônico nos sindicatos e associações.

Vivemos tempos difíceis, o exercício plena da democracia não estar sendo respeitado, é inconcebível para quem defende os princípios democráticos concordar com o sufocamento das vozes opositoras.

Nenhum governo pode sobreviver sem as críticas ou oposição. Em Juazeiro está tudo dominado, como diz o “filosofo” social e existencialista Igor Canário: “tudo nosso nada deles, depois de nós é nós de novo”. O tudo nosso, é a expressão exata de que o povo não estar nos propósitos da gestão.

É absurdamente imoral que a câmara de vereadores esteja de joelhos, literalmente arriada. Nos discursos dissimulados dos vereadores para justificar adesão em massa a base do governo, está a intepretação equivocada do texto constitucional que trata sobre os poderes. “Harmônicos” não quer dizer subserviente, e sim que os poderes estejam imbuídos nos processos democráticos, republicanos e de respeito a sociedade. E são “Independentes”, sei que para alguns vereadores compreenderem isso, vai ser necessário desenhar.

Embora o governo tenha feitas conquistas incontestes para Juazeiro, mas esgotou o modelo, não há mais nenhum movimento em favor da cidade, mas do grupelho. A gestão tem vivido para disputar eleições, e aí vale tudo, inclusive a cooptação com a nomeação excessiva dos cargos comissionados, inchaço da folha de pagamento e a total incapacidade de investimento em obras públicas pela prefeitura.

Dizem que o povo precisa acordar, ou que a cidade acordou, nada disso, o povo precisa votar bem e fazer as suas escolhas, pois elas tem consequências. Ouvir de um membro da Chapa 1: “rapaz, as pessoas que a gente trouxe para votar na chapa 1, votaram na chapa 2”. É justamente isso que o povo precisa fazer nas próximas eleições, os servidores municipais deram um grande exemplo de como resolver a questão do voto para as próximas eleições municipais.

Por fim, é oportuno parafrasear o Hino da Independência da Bahia: Nunca mais, nunca mais o despotismo regerá, regerá nossas ações, com tiranos não combinam juazeirenses, juazeirenses corações.

Enio Costa         

Pedagogo

POSTAR
4 comentários
Antes de comentar qualquer matéria leia as regras de utilização do blog. Qualquer comentário que violar as regras será automaticamente excluído por nossa equipe.

É proibido inserir links (urls) dentro do comentário, caso contrário o mesmo será deletado por nossa equipe.
publicado em 08 de Fevereiro / 2019 às 09:40
Coruja

O artigo nos lembra Lima Barreto , "no Brasil não tem povo, tem público" essa é a realidade de Juazeiro nos tornamos públicos, somente assistimos tudo e somos sufocados nos nossos questionamentos.

publicado em 08 de Fevereiro / 2019 às 09:48
karla - Não tenho bandido B171de estimação Ery Injustiça

Maior tirano bandido miliciano louco satânico mentiroso Boso Quim ta em Brasília piorando a vida do brasileiro

publicado em 08 de Fevereiro / 2019 às 09:49
karla - Não tenho bandido B171de estimação Ery Injustiça

Maior tirano bandido miliciano louco satânico mentiroso Boso Quim ta em Brasília piorando a vida do brasileiro

publicado em 08 de Fevereiro / 2019 às 13:12
Tocador

Acabou a mamata dos membros da chapa 1, que a anos e anos vem sendo subservientes e subversivos ao sistema instalado no Paço Municipal.

Voltar ao topo
© Copyright Blog Geraldo José. 2009 - 2019. Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do autor.