Blog do Geraldo José - JUSTIÇA ABRA AS ASAS SOBRE NÓS
Vale do São Francisco - 18 de Junho de 2019
|
Redação: (74) 3613-3479
publicado em 03 de Junho / 2019 às 08:00

JUSTIÇA ABRA AS ASAS SOBRE NÓS

A população de Juazeiro assistiu estarrecida e perplexa as ações de compra e venda de votos nas eleições para prefeito e vereadores do ano de 2016, o Comitê 9840 contra a corrupção eleitoral pela ética e dignidade na política encaminhou às autoridades competentes: Polícia Federal, Ministério Público Estadual, Policia Federal Superintendência Salvador, Procuradoria Geral Eleitoral Salvador, Tribunal Regional Eleitoral Salvador, Juiz Eleitoral Juazeiro, notícias de violações às normas eleitorais e aportaram na polícia federal e foram transformadas em inquéritos várias denúncias, chegando a seis investigações e que se arrastam!

indefinidamente, sexta-feira, dia 31 de maio, na qualidade de denunciante e coordenador estadual do comitê 9840 compareci à delegacia de Polícia Federal cobrando o andamento, e tive notícia de que no dia 21 do 03 do corrente ano a Polícia Federal encaminhou ofício à Quadragésima Sétima Zona Eleitoral pedindo a sua excelência Dr. Juiz prorrogação do inquérito.

O escrivão federal me informou que faltava ouvir uma testemunha, me desloquei ao endereço onde hoje reside esta testemunha e retornei à delegacia da Polícia Federal informando o endereço correto e atual.

Senhoras e senhores me refiro a ás eleições de 2016 e estamos há um ano e oito meses para o final do mandato do atual prefeito, corre o risco de chegar ao fim o mandato e ficar tudo como dantes no quartel de Abrantes. Parafraseando Boris Cazoy “isso é uma vergonha”. Rui Barbosa: “justiça lenta é injustiça manifesta e qualificada. E nós para onde vamos?

Quem impedirá o agir de deus?

DAVID LIMA DE SOUSA

COORDENADOR ESTADUAL DO COMITÊ 9840  

POSTAR
9 comentários
Antes de comentar qualquer matéria leia as regras de utilização do blog. Qualquer comentário que violar as regras será automaticamente excluído por nossa equipe.

É proibido inserir links (urls) dentro do comentário, caso contrário o mesmo será deletado por nossa equipe.
publicado em 03 de Junho / 2019 às 10:05
Tocador

De fato, ISSO É UM VERGONHA. Lamentável a o não agir da nossa combalida justiça.

publicado em 03 de Junho / 2019 às 10:40
Madalena

Amigo Brasília cheia de Laranjas B...milicianos B....e a gente parado?

publicado em 03 de Junho / 2019 às 10:49
luciano

FICA CALADO DAVID,AINDA VAI ESTÁ ERRADO KKKKKKK.

publicado em 03 de Junho / 2019 às 11:04
Sandra

Esse senhor David Lima é uma piada, esse cara tem lado, ele só faz denuncismo de um lado, por que é em senhor?

publicado em 03 de Junho / 2019 às 12:20
Paulo Gilberto

Davi lima para que tá feio não adianta a eleição acabou vanos focar para o próximo pleito 2020 com um nome que realmente possa vencer a turma do vaqueiro .

publicado em 03 de Junho / 2019 às 12:57
Maria do Socorro - a legítima

Senhor Davi, seu nome não é à toa. O Sr. enfrenta o Golias da impunidade. Veja o caso da operação DETALHES, que até hoje, depois de tudo provado, ninguém foi preso. Mais uma vergonha para a Justiça.

publicado em 03 de Junho / 2019 às 13:17
O Brasil tem que passar a limpo

É por isso que você ver a cidade completamente abandonada,eles não tem compromisso com o povo porque compraram o voto,esses vereadores de juazeiro que estão ai 20% deles compraram o voto,essa cidade está parecendo a cidade do interior do Piaui que fica na divisa com a Bahia abandonada pelo poder Público.2020 100% renovação já estou fazendo campanha contra esses sangue sugas.todo mundo sabem os vereadores que compraram votos em juazeiro.

publicado em 05 de Junho / 2019 às 08:21
nelzito pereira dos santos

ESSE SIM É UM VERDADEIRO DEFENSOR PUBLICO DE JUAZEIRO.

publicado em 05 de Junho / 2019 às 08:22
nelzito pereira dos santos

ESSE SIM É UM VERDADEIRO DEFENSOR PUBLICO DE JUAZEIRO.

Voltar ao topo
© Copyright Blog Geraldo José. 2009 - 2019. Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do autor.